quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Goebbels deve estar orgulhoso

O PT pode até vencer, mas que não seja com a sua ajuda.

Algumas pessoas falaram comigo em tom de desespero quando viram a nova pesquisa que saiu agora em setembro e que indicava uma subida na popularidade e nas intenções de voto em Dilma Rousseff.

Não quero bancar o profeta do apocalipse, mas isso é mais do que esperado, isso é normal. Essa eleição é do PT para ser ganha.

O partido tem todo o poder do governo federal nas mãos e nenhum escrúpulo em usá-lo até mesmo fora dos limites da lei. O pronunciamento da presidente no sete de setembro, mais uma peça de propaganda eleitoral do que um discurso presidencial, é apenas mais uma prova disto.

O PT é especialista em mentir, distorcer e controlar a narrativa dos fatos. A oposição parece que ainda nem sabe o que é isso. Mal presta para fornecer desmentidos, nas cordas, na defensiva.

Veja o que ocorreu em junho de 2013. As manifestações sacudiram o país, o governo viu sua popularidade despencar, Dilma levou vaia em um estádio, o povo colocava militantes de esquerda para correr debaixo de sopapo das ruas e avenidas.

O que o partido fez? Ora, não teve o menor pejo em sacar sua metralhadora de medidas desesperadas e atirar para tudo que é lado até que algo colasse.

Relembremos: médicos estrangeiros, constituinte parcial, reforma política, plebiscito, referendo, dois anos a mais para se formar em medicina, serviço médico obrigatório e no final retornou a proposta de trazer médicos estrangeiros, algo pronto e que o partido só esperava o momento para empurrar pela goela do país abaixo.

De uma medida amplamente impopular, hoje tornou-se popular, segundo a mesma pesquisa. Por quê? Certamente não porque deu certo, já que mal começou e muitos médicos abandonaram os postos de saúde sucateados, mas porque, como sempre, o PT controlou a narrativa.

Plantou fotos de médicas brancas vaiando um médico cubano negro, rebaixou o debate a uma questão de racismo e xenofobia, apelou ao coitadismo de sempre, alegando que a "elite" queria ver "us póbri" sem médico e assim conseguiu dominar o noticiário do fato.

Goebbels deve estar orgulhoso.

E agora com essas revelações de "espionagem" contra a Petrobras, conseguiram fazer até com que parcelas da opinião pública que eram contrárias ao governo fossem solidárias a este, porque, afinal, "mexeram com o que é nosso".

Esqueça que nenhum petróleo é do cidadão, que paga uma das gasolinas mais caras do mundo e sustenta um dinossauro cheio de cargos de confiança, parasitas e embusteiros que vivem de política e não têm nada a ver com exploração de petróleo, o que vale é a versão e mais uma vez o PT se mostrou mestre em usar sua própria incompetência (de quem se deixou "espionar") a seu favor.

Voltando à eleição, esta apenas deixou de ser pró-forma como seria antes das manifestações de junho para ser algo mais concorrido. O PT e seu incompetente poste que assombra o país são francos favoritos. Zebra é se vierem a perder.

Mas isso quer dizer que você não deve fazer nada? Que deve se desanimar, se desesperar e "jogar a toalha"? Não.

Pense na resistência francesa, que mesmo com seu país subjugado por uma força até então imbatível continuou lutando, sabotando, colhendo pequenas vitórias e esperando por um final feliz incerto.

Eles não faziam isso porque tinham certeza que um dia venceriam, mas porque era o moralmente necessário a ser feito. Você se une aos canalhas ou se coloca do lado oposto ao deles.

A neutralidade favorece a canalha.

Por isso o PT pode até vencer a próxima eleição, é o mais provável, mas você deve ter o seguinte em mente: não será com a minha ajuda, não será com a minha omissão, não será se eu puder atrapalhar.

Acredite: não existe noite que dure para sempre e a Era da Mediocridade que assombra o Brasil desde 2003 irá acabar um dia.

Certifique-se de estar do lado certo quando este dia chegar, ainda que seja para poder se orgulhar disso depois.
0 Comentários