quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Monteiro Lobato e o politicamente correto

A praga politicamente correta realmente não tem limites.

Outro dia, num desses grupos de troca de mensagens, alguém resolveu prestar um serviço de utilidade pública e fazer um aviso sobre alguns homens que estavam praticando assaltos na saída do metrô de Botafogo, no Rio de Janeiro.

O texto dizia mais ou menos que "homens negros bem vestidos e carregando pastas de executivo estavam assaltando pessoas nas escadarias da estação".

A primeira mensagem em resposta ao aviso foi: por que só negros?

E a pessoa respondeu: porque esses assaltantes em particular são todos negros.

E o diálogo continuou de forma surreal.

- Então quer dizer que só porque são negros eles são assaltantes?

- Não, eu quero dizer que estes assaltantes em questão são negros.

E um terceiro elemento entra na conversa:

- Cara, deixa de ser racista! Esse tipo de aviso, dado desse jeito, vai fazer com que todo negro trabalhador e bem vestido dessa região seja taxado de ladrão.

E a pessoa prossegue com incrível paciência:

- Cara, eu só dei um aviso, nesse caso aí, nessa região, é melhor mesmo que as pessoas tomem cuidado com negros bem vestidos, pois não todos, mas alguns deles, estão praticando assaltos.

- Você é uma porca racista mesmo.

A conversa ainda continuou por mais tempo, só que não acompanhei pois estava ocupado procurando um anti-emético.

Mas o caso me fez lembrar da polêmica envolvendo a PM de São Paulo, que emitiu um aviso para que as viaturas revistassem jovens negros do sexo masculino numa determinada região pois havia, adivinhem só, um bando de jovens negros do sexo masculino realizando assaltos na mesma região.

A gritaria foi bem parecida: governo tucano de São Paulo racisssssssssssta!

Resumo da ópera, agora para não ofender susceptibilidades politicamente corretas, coitadistas e auto-piedosas, um aviso sobre um bando de meliantes numa determinada área precisará ser feito assim:

Se você ver um (a) bando (a) de:

( ) homens
( ) mulheres
( ) homens e/ou mulheres
( ) não se ligue em gênero, isso é coisa da sociedade patriarcal

Que sejam:

( ) brancos
( ) negros
( ) índios
( ) orientais
( ) jedis

E estejam vestidos:

( ) muito bem
( ) muito bregas
( ) esporte fino
( ) com sandálias Croc

Por favor, disfarce, tente não fazê-los pensar que você está tomando precauções só por causa da cor e da roupa deles e faça o seguinte:

( ) fuja do local
( ) chame a polícia fascista
( ) se desculpe antecipadamente e pergunte se eles fazem parte de algum bando de assaltantes
( ) assalte-os primeiro

Acho que assim talvez, só talvez, ninguém fique ofendido.



0 Comentários