quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Vale quanto pesa

Desculpem a franqueza, mas sabe esse monte de moleque mimado metido a comunista que infesta desde o Ensino Médio até o Ensino Superior?

Sabe essa hegemonia de esquerda que coloca qualquer um à direita da Marilena Chauí como a reencarnação de Hitler?

Sabe essa praga politicamente correta que defende praticamente tudo, desde um assaltante vagabundo que usa uma arma para tomar bens que alguém estava "ostentando" até a obrigação que daqui a pouco você vai ter de achar mulher com cabelo no sovaco e homem com piolho na barba bonito?

Sabe por que o brasileiro médio acha a situação do país uma bosta (qualquer indicador, desde transportes até o custo de vida demonstra isso) mas não consegue associar o fato a quem está no governo, porque o tico e o teco não aprenderam nem mesmo a concatenar duas idéias tão complementares e simples quanto "o Brasil vai mal, o problema é de quem o governa"?

Sabe quem espalha o marxismo farofeiro desde a tenra idade, fazendo com que uma criança que mal aprendeu a escrever já saiba (ainda que subconscientemente) que tudo é culpa da "exploração de uma classe pela outra"?

São professores, meu amigo. Comunistas, esquerdistas, marxistas, gramscistas, doutrinadores que não têm a menor vergonha de usar uma sala de aula como palanque, profissionais que abastecem a esquerda com idiotas úteis há décadas.

Pois é, são esses mesmos profissionais (ou pelo menos a grande maioria deles) que são apresentados por aí praticamente como a reencarnação de algum santo ou ser superior vindo de outro planeta para acabar com todos os problemas da humanidade (quem nunca ouviu a sentença repetida com aquela autoridade que só os idiotas possuem que "a solução é a educação" para resolver tudo, desde a criminalidade, a corrupção e até espinhela caída?).

A educação não precisa de mais dinheiro, precisa é de mais eficiência. Mas pergunte para a maioria desses professores que estão por aí pedindo "mais dignidade na profissão" se eles aceitam mudar mesmo, de verdade, a educação no país, a começar pelo seu próprio corporativismo e pela doutrinação que fazem no lugar de ensinar, servindo como instrumentos de imbecilização e não de iluminação.

Pergunte se querem esquecer Paulo Freire, Marx, Gramsci, o PT, a CUT, o sindicato, a próxima eleição e a luta de classes e se dedicarem a educar de verdade. Deveriam.

Afinal, por mais redundante que pareça sob todos os aspectos, a solução para acabar com o problema da educação é a educação.



0 Comentários