quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O bacalhau da Dilma

O hábito faz o monge. Nas pequenas coisas você pode observar a forma como alguém se comporta nas grandes.

Bajular alguém do qual você depende só mostra que você é um excelente bajulador, tratar com civilidade alguém em posição inferior é que prova o seu caráter.

Calma, não é texto do Paulo Coelho, já vou chegar no ponto que interessa.

A presidente Dilma resolveu fazer uma escala em Lisboa para provar um bacalhau a preço surreal. A imprensa descobriu e o jantarzinho virou notícia. O governo, através do seu ministro das relações exteriores, disse que foi uma escala decidida no mesmo dia e que a visita secreta não estava planejada.

Esqueceu de combinar com os portugueses, que divulgaram que o governo brasileiro agendou o passeio dois dias antes da data que o ministro declarou.

E o que era apenas mais um caso de petista fazendo festa com o dinheiro do pagador de impostos (algo habitual) virou uma mentira contada por um membro do primeiro escalão para acobertar atividades da presidência.

Isso mostra o método do PT de lidar com a coisa pública. Petistas mentem por hábito, faz parte do modo de operar deles tratar os cidadãos o tempo todo como se fossem palermas (e muitos são mesmo, tanto que ainda acreditam no partido).

O caráter do PT é a mentira.

Gastar dinheiro público em restaurantes do Guia Michelin é imoral, não ilegal. Mentir para o pagador de impostos e tratar um convescote da companheirada como assunto de Estado talvez também não seja ilegal, mas deveria ser.

A presidente agora disse que pagou sua despesa no restaurante que primeiro disseram que ela não ia e depois contaram que ela só resolveu ir numa "última hora" que curiosamente foi acertada com dois dias de antecedência.

Acredita nela quem quer, eu prefiro achar que a fatura quem pagou fui eu mesmo.
0 Comentários