sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O beijo gay

O "beijo gay" na novela talvez seja a menor ode à baitolagem que já rolou na teledramaturgia da Globo.

Quem se espantou-revoltou-empolgou deve andar com pouca emoção na vida ou habitar alguma realidade paralela.

O Jean Wyllys declarou ter ficado "aos prantos" e pediu um "beijo molhado" na próxima.
Outra vez, qual o espanto? Trata-se de uma subcelebridade que periga ver homofobia ou homofilia até em desenhos do Popeye e do Tom e Jerry, dependendo do humor.

Espantoso mesmo é no ano de 2014, 193º da Independência e 126º da República, ainda ter gente dando faniquito por causa de novela e tranformando isso em assunto dominante, tal qual as manicures do salão que minha avó frequentava na década de 70.

Mas pronto, já rolou o sonhado "beijo gay" em horário nobre, podem começar a reivindicar um softcore na Sessão da Tarde.

Tudo pelo bem do Brasil.
0 Comentários