quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Quem paga a "montagem" do transformista virtual?

Dilma Bolada, a famosa personagem fictícia da presidente da República, encontra-se agora com a verdadeira Dilma para uma entrevista. A agenda era esperada por Jeferson Monteiro, autor da versão virtual da petista. A presidente real aproveitou a reunião com o internauta para resgatar seu perfil no Twitter, desativada desde 2010.

Fonte: Folha de São Paulo 

Várias perguntas se fazem necessárias nesse caso, mas destacaria apenas três:

1) Quem pagou as despesas de viagem para que este cidadão fosse até Brasília gerar buzz na internet e no noticiário para a presidente?

2) Um Twitter (o oficial) criado para fazer ativismo virtual eleitoreiro em 2010, abandonado em 2010, retomado em 2013 às vésperas do início de uma nova campanha, será que essa gente não tem nem vergonha para disfarçar ou pensa que todos são idiotas e acreditam na conectividade, no fácil acesso e na simpatia da presidente?

3) O tal "Dilma Bolada" (um traveco virtual), difama e mente sobre adversários do PT, tudo naquele tom de piadinha inocente mas sempre reverberando o conteúdo ditado pelo Rui Falcão e replicado pela esgotosfera governista na internet, dito isto e vendo este encontro, quem agora pode dizer que Dilma Rousseff não só sabe como apoia tudo o que a rede de difamação petista faz na internet?

Isso para não questionar quem sustenta toda essa canalha que não tem outra função senão a de espalhar mentiras, distorções e ofensas a adversários e desafetos do partido.

Deixo espaço para que cada um de vocês medite sobre as (fáceis) respostas.



quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O ator preso por engano

Sobre o ator preso por engano no Rio, é preciso esclarecer que foi realmente um erro lamentável da polícia, entidade mal paga e mal treinada que presta um serviço abaixo da crítica, ainda que muitas vezes heróico dadas as condições de trabalho que tem disponíveis.
Mas como o ator confundido com um ladrão é preto, já disseram que o caso foi de racismo. Oh, que surpresa.

Vejamos, um sujeito praticou um assalto nas imediações de um shopping, sua descrição batia com a do ator, o ator estava saindo do shopping e a vítima, com certeza abalada, fez um reconhecimento equivocado e disse que ele era o ladrão.

Caso o ladrão fosse chinês, tenho certeza que por mais mal preparados que sejam os policiais não diriam algo como "não, não pode ser chinês, chineses só fazem pastel, vamos procurar um preto".

Aí sim, seria racismo. Mas seguir uma descrição é apenas o procedimento normal, se o meliante era, por exemplo, loiro, ninguém vai procurar por um índio, a menos que fosse um Guarani-Kaiowá de internet.

Nesse caso do ator houve um erro terrível que precisa ser reparado, afinal manter uma pessoa por dezesseis dias na cadeia sem que ela tenha cometido crime algum passa dos limites da "averiguação", mas racismo não.

Que o ator possa superar esse absurdo e que o Estado seja forçado a indenizá-lo na medida da monstruosidade que cometeu contra ele, e aos demagogos raciais de plantão, que tentem de novo na próxima.

Dentre todos os absurdos que essa história possui, racismo não é um deles.

Link da notícia: http://m.g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/02/ator-preso-por-engano-e-solto-no-rj-depois-de-passar-16-dias-na-cadeia.html

O chavismo tupiniquim

O Centro do Rio hoje viu duas manifestações. Segundo noticiou a imprensa, uma delas era contra e a outra a favor do ditador venezuelano Nicolás Maduro, mas a notícia também poderia facilmente descrever que eram duas manifestações, uma a favor da liberdade e outra contra. 

O lado contrário à liberdade, como não poderia deixar de ser, se perfilava atrás de bandeiras vermelhas, expressões de ódio na
 face já corriqueiras e gritos de "socialismo".

Todo o elenco tradicional deste tipo de ajuntamento estava presente. Professores de Ensino Médio que se dedicam à função de molestadores intelectuais de alunos, estudantes profissionais, entidades sustentadas com dinheiro do PT, sindicalistas gordos marcando presença para dar satisfação para a diretoria, militontos com camisetas do bando terrorista MST, inocentes úteis, arruaceiros de botequim, socialistas de galinheiro, gente que imagina a América do Sul como mero repositório de cucarachas ressentidos, covardes que só agem em bando, fora o resto.

Só o que não se encontrava ao lado da récua de bandeiras vermelhas em punho e berros de raiva sendo cuspidos junto com perdigotos eram venezuelanos.

Estes estavam todos do lado das pessoas que foram lá demonstrar repúdio à ditadura bolivariana, que censura a imprensa, persegue opositores e deixou o país no caos econômico.

Quando o grupo de pessoas defensoras da liberdade começou a se dispersar, foi logo cercado pelos brucutus do bolivarianismo botocudo, mas a polícia impediu que houvesse alguma briga ou mesmo uma covardia, já que a proporção de pançudos e piolhentos com camisas de Che Guevara era de cinco para um.

Sem o bando atrás eles geralmente são tão valentes quanto o sargento Garcia ao encontrar o Zorro.

Mas não pense que isso demonstra que são maioria, pelo contrário, mostra apenas que possuem mais tempo livre para estar em piquetes e passeatas por qualquer causa que se apresente, geralmente as piores, já que vivem para isso, enquanto os que se opõem às suas idéias que estão enterradas no século passado tem mais o que fazer da vida e geralmente evitam esses encontros, já que na ausência de razão, os admiradores de liberticidas sempre apelam para a truculência.

O desespero em suas faces, entretanto, e o ódio que não conseguiam esconder mostrava que eles tinham a exata noção do que ocorria do outro lado da calçada: aquela gente em menor número longe de ser uma minoria acuada era apenas a ponta do iceberg de uma imensa maioria que aturou tudo calada por tempo demais, mas que agora resolveu dizer chega.

Está na hora desses cérebros baldios terem um doloroso encontro com a realidade. O mundo não é a dimensão Guevara. 

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Segundo Lula, na Venezuela tem "democracia até demais"

Olha o caráter do governo daquele país.

Chanceler: Álvaro Uribe Velez é é o chefe da agressão contra a Venezuela. É um assassino.

Repórter: O senhor tem provas disso?

E o chanceler parte pra cima do repórter que nem um gorila.

Grande democracia essa bolivariana.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

E aí? Tudo bem

E aí, amigos da esquerda, qual demagogo fanfarrão ou ditador sanguinário vocês vão defender hoje?

Esquerda gente boa

E aí, amigos da esquerda, qual demagogo fanfarrão ou ditador sanguinário vocês vão defender neste domingo?

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Chamando Nicolás Maduro pelo nome

Algumas das bestas da esquerda fingem que nem é com eles, outras saem por aí defendendo o indefensável, que hoje atende pelo nome de Nicolás Maduro.

A Venezuela é uma ditadura propriamente dita. Isso é um fato. Mas é claro que sempre vai aparecer um cientista, professor, filósofo, pensador ou seja lá o que for que vai dizer que não, que tudo isso é coisa de golpista que não gosta do povo que o chavismo tirou da bosta.

Mentira, é claro. É o povo que está lá na rua e o chavismo, tal qual o petismo, não tirou ninguém da bosta, apenas distribuiu desodorizadores de ar para disfarçar o cheiro.

Mas não adianta argumentar com esquerdopatas. Todos, sem exceção, são imbecis ou cretinos. E nunca estão errados ou tem culpa de nada.

Então fica combinado assim, se um professor da UFPQP disse que não é ditadura, então pronto, não é ditadura, ora. Afinal, como pode um PROFESSOR de FEDERAL estar errado, não é mesmo?

A oposição não pode aparecer na TV nem em época de campanha, várias estações já foram fechadas, quem noticia coisas que o governo não gosta é retirado sumariamente do ar (até a CNN vai ser expulsa do país), as tropas atiram na população, quebram carros, prendem sem motivo, torturam, quem faz oposição é imediatamente desqualificado como "elite, burguesia, capacho dos americanos e inimigo do país", o ditador já ameaçou com estado de sítio e prisões em massa, cassaram o mandato de uma parlamentar baseado em acusações forjadas só para dar maioria ao governo para aprovar uma lei que permite o ditador governar por decreto, sedes de partidos são invadidas na marra, diplomatas estrangeiros são expulsos, fora o resto, mas um PROFESSOR, que nem deve ser esquerdopata, que isso, disse que não é ditadura, então pronto, não é.
É tudo complô dos "estadunidenses", da "classe média" e do PIG.

A Venezuela é uma democracia mais sólida do que a da Bélgica e não se fala mais nisso.

Quero ver você sair dessa

Charada para o seu sábado: um menor "negro" mata a facadas um casal "homoafetivo" que o tinha chamado de macaco. Nessa hora chegam um travesti militante do MST e um indígena e o prendem pelo pescoço num poste.

Quem aí é a "vítima da sociedade capitalistaracistafascistahomofóbicamachistapatriarcal" e pra quem a Maria do Rosário, a Benedita, o Jean Wyllys, a OAB, a esquerda caviar, os defensores dos direitos dos manos e os Guarani-Kaiowá de shopping center vão dar razão?

Tente resolver essa

Charada para o seu sábado: um menor "negro" mata a facadas um casal "homoafetivo" que o tinha chamado de macaco. Nessa hora chegam um travesti militante do MST e um indígena e o prendem pelo pescoço num poste. 

Quem aí é a "vítima da sociedade capitalistaracistafascistahomofóbicamachistapatriarcal" e pra quem a Maria do Rosário, a Benedita, o Jean Wyllys, a OAB, a esquerda caviar, os defensores dos direitos dos manos e os Guarani-Kaiowá de shopping center vão dar razão?

Só pra não contrariar

Algumas das bestas da esquerda fingem que nem é com eles, outras saem por aí defendendo o indefensável, que hoje atende pelo nome de Nicolás Maduro.

A Venezuela é uma ditadura propriamente dita. Isso é um fato. Mas é claro que sempre vai aparecer um cientista, professor, filósofo, pensador ou seja lá o que for que vai dizer que não, que tudo isso é coisa de golpista que não gosta do povo que o chavismo tirou da bosta.

Mentira, é claro. É o povo que está lá na rua e o chavismo, tal qual o petismo, não tirou ninguém da bosta, apenas distribuiu desodorizadores de ar para disfarçar o cheiro.

Mas não adianta argumentar com esquerdopatas. Todos, sem exceção, são imbecis ou cretinos. E nunca estão errados ou tem culpa de nada.

Então fica combinado assim, se um professor da UFPQP disse que não é ditadura, então pronto, não é ditadura, ora. Afinal, como pode um PROFESSOR de FEDERAL estar errado, não é mesmo?

A oposição não pode aparecer na TV nem em época de campanha, várias estações já foram fechadas, quem noticia coisas que o governo não gosta é retirado sumariamente do ar (até a CNN vai ser expulsa do país), as tropas atiram na população, quebram carros, prendem sem motivo, torturam, quem faz oposição é imediatamente desqualificado como "elite, burguesia, capacho dos americanos e inimigo do país", o ditador já ameaçou com estado de sítio e prisões em massa, cassaram o mandato de uma parlamentar baseado em acusações forjadas só para dar maioria ao governo para aprovar uma lei que permite o ditador governar por decreto, sedes de partidos são invadidas na marra, diplomatas estrangeiros são expulsos, fora o resto, mas um PROFESSOR, que nem deve ser esquerdopata, que isso, disse que não é ditadura, então pronto, não é.

É tudo complô dos "estadunidenses", da "classe média" e do PIG.

A Venezuela é uma democracia mais sólida do que a da Bélgica e não se fala mais nisso.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Defensores da Venezuela chavista

Ainda sobre a Venezuela: quem defende fraude eleitoral, censura, agressões a opositores e aparelhamento total do Estado não é sério, trata-se, na pior das hipóteses, de um canalha e, na menos pior, de um defensor de canalhas.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

PT-PSOL

Ter em torno de 20 anos e cair na conversa mole desses socialistas de Mc Donald's do PSOL é perfeitamente normal. Todo mundo tem o direito de ser trouxa pelo menos uma vez na vida.

Mas quem viu o PT antes de ser governo e ainda hoje insiste em acreditar que o Marcelo Freixo e seus comunistas de boteco da Lapa são realmente diferentes, está apto até a comprar o Pão de Açúcar, porque merece ganhar diploma de otário.

Eu sou você amanhã

Ter em torno de 20 anos e cair na conversa mole desses socialistas de Mc Donald's do PSOL é perfeitamente normal. Todo mundo tem o direito de ser trouxa pelo menos uma vez na vida.

Mas quem viu o PT antes de ser governo e ainda hoje insiste em acreditar que o Marcelo Freixo e seus comunistas de boteco da Lapa são realmente diferentes, está apto até a comprar o Pão de Açúcar, porque merece ganhar diploma de otário.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Sai Médici, entra Marighela

Governo muda oficialmente nome do colégio Médici para colégio Marighela.

Se é assim aguardo ansioso pelo Grupo Escolar Osama bin Laden em algum grotão desse país.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Para mudar o mundo

Para "mudar o mundo" e "construir um país melhor vale: quebrar vitrines, censurar a imprensa, agredir repórteres, tomar a propriedade dos outros, condenar quem trabalha e junta dinheiro, jogar lixo ns embaixada "estadunidense", atirar pedras em policiais e qualquer outra coisa que se mexa, brincar de índio e mudar o sobrenome para Guarani-Kaiowá, defender direitos de marginais, fazer discurso contra a Rachel Sheherazade, ver homofobia até em anúncio de absorvente, repassar memes da Atea, defender a mudança do nome daquele biscoito recheado para Afrodescendesco, doemir com a Carta Capital do lado da cama, achar Marx mais legal do que o Papai Noel.

Para "mudar o mundo" e "construir um país melhor não vale: cultivar qualquer resquício, por mínimo que seja, de coerência, noção do ridículo e vergonha na cara.

Dois pesos, duas medidas

Fico daqui vendo a gente boa da esquerda enumerando pessoas que foram mortas pela polícia como se isso dispensasse o caráter abjeto do assassinato cometido pelos black blocs (que até ontem eram os queridinhos da turma, que dizia ser essa apenas "mais uma tática" e que um sindicato ligado ao PSOL chegou até a homenagear durante a greve dos professores do município do Rio de Janeiro) e me pergunto:

- Onde está aquela história que "nada justifica a violência" que foi usada ad nauseam para defender um marginalzinho sem vergonha que foi amarrado num poste?

Cadê a indignação, gente boa? Cadê os direitos humanos?

Desse jeito as pessoas vão acabar dando razão para a direita raivosa e achar que vocês só defendem bandido mesmo.

Tipo ladrãozinho de rua, black bloc, terroristas italianos e gente que invade fazenda para quebrar tudo e torturar os empregados.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Radar tem, o resto todo é pra te ferrar também

Ronald Reagan dizia que o Estado não é a solução, mas o problema. Uma estrutura que não visa atender bem ao seu cliente, porque não se preocupa com lucro já que sempre pode confiscar mais um pouco dos pagadores de impostos, não pode dar certo.

Qualquer pessoa que já assistiu uma aula de economia para dummies 1.0 sabe que um padeiro não acorda de manhã preocupado em alimentar seus clientes, ele quer é trabalhar bem para conquistar mais clientes, vender mais pães e ganhar mais dinheiro.

Agora imagine uma padaria que tenha o poder de obrigar seus clientes a irem todo dia ali de manhã DAR dinheiro para ela. Caso o cliente não compareça, recebe uma multa. Caso não pague a multa, tem algum bem seu confiscado. Mas o cliente não daria o dinheiro simplesmente, ele teria "direito" a levar consigo uma quantidade de pãezinhos estabelecida pelo dono da padaria.

Um dia o pão estaria muito queimado, no outro muito cru, alguns dias não haveria pão, mas não tem problema, a padaria estaria se lixando para isso, afinal o pobre coitado é obrigado a continuar pagando.

O nome dessa padaria disfuncional é Estado.

Onde o bruto põe a mão, a coisa para de funcionar como deveria. Sua lógica não é a do mercado, mas a de ser um fim em si mesmo.

O pior é que mesmo sabendo disso (e vivendo na pele) muita gente ainda defende o Estado como solução de tudo. Educação ruim, segurança ruim, saúde ruim, mas querem que tal cornucópia da incompetência administre petrolíferas, águas e esgotos, portos e aeroportos, estradas, o escambau. E quem for contra apoia a "privataria".

Dirigindo numa estrada do Rio de Janeiro, indo de Guapimirim em direção a Niterói, passei pelos municípios de Magé, Itaboraí e São Gonçalo.

Em todos, sem exceção, o Estado mostrava a excelência dos seus serviços. Montanhas de lixo em terrenos baldios, carros abandonados, acostamento em péssimas condições, matagal nas margens da estrada, sinalização precária, buracos no asfalto, conjuntos populares no meio do nada, com prédios semi-acabados, pontos de ônibus depredados, pessoas mofando a espera do transporte público que não passava, ruas de terra, esgoto a céu aberto, calçadas e iluminação urbana inexistentes.

Curiosamente a única coisa que funcionava em todo o trajeto eram os radares e as lombadas eletrônicas, sempre prontos a multar quem ultrapassasse a escalofriante velocidade de 50 km/h.

Veja que coisa incrível. O Estado, completamente ausente para garantir qualquer "direito" ao cidadão numa distância de setenta quilômetros, estava presente somente para enfiar a mão no seu bolso mais um pouco.

Para Mencken todo homem decente se envergonha do governo sob o qual vive.

Pois bem, eu me envergonho também das pessoas que defendem esse governo e acham que ele precisa se meter ainda mais na economia e na vida dos outros.



sábado, 8 de fevereiro de 2014

Vamos combinar assim?

Petralhas e demais simpatizantes que acham a situação dos cubanos no Mais Médicos muito normal, tenho uma oportunidade de trabalho para vocês.

Vão faxinar minha casa, lavar louça e engomar minhas cuecas.

Não tem salário, mas o alojamento e o capim para vocês fazerem suas refeições é por minha conta.

Bárbara Gancia, a senhora é uma fanfarrona

(Clique na imagem para ampliá-la)

Outro dia eu dizia que mais um dos vários problemas da esquerda é achar que a criminalização da opinião faz parte da democracia. Para esse amontoado de cérebros baldios, você tem direito à sua opinião DESDE QUE não ofenda as susceptibilidades de ninguém, DESDE QUE não vá de encontro aos preceitos do que ELES acham certo, enfim, DESDE QUE concorde com eles.

Caso contrário viram alunos de creche, berrando no recreio atrás da tia porque o coleguinha os chamou de cara de melão.

Não é a toa que usam a desculpa do "racismo" para tudo. Alguns cidadãos se juntaram e deram uma coça num ladrão? Ah, só bateram nele porque ele é preto e não porque era ladrão. E também não é a toa que lutam ferrenhamente pela criminalização da "homofobia", o caminho vai ser o mesmo: vitimização, coitadismo e quando nada dá certo, "chama o MP!".

A piada da vez é a colunista Bárbara Gancia, que resolveu presentear o mundo com sua sabedoria e espírito democrático comentando o que pensa sobre a jornalista Rachel Sheherazade.

Como se sabe, a musa da direita disse que é compreensível que a população resolva dar uns tapas num bandido. Foi o que bastou para que sindicatos, partidos de esquerda, ONGs, coitadistas, aproveitadores e demais sócios de carteirinha da caterva esquerdista farofeira a acusassem de "apologia ao crime" e "incitação a violência".

Funciona assim: sair por aí com a imagem de um porco assassino como Che Guevara numa camiseta não é incitação à violência. Fazer vaquinhas e declarar apoio a marginais corruptos presos na Papuda não é apologia ao crime. Dizer que é compreensível (a mesma coisa que Rachel disse) que um animal saia por aí barbarizando as pessoas porque é "vítima da sociedade" não é incitação à violência. Legitimar os narco-terroristas das FARC não é apologia ao crime. Mas discordar da gente boazinha, ah, isso é crime.

Foi exatamente nisso que pensei quando me deparei com a divertida mensagem da Bárbara Gancia que começava assim: "Gente, como tá difícil para os reacionários aprender a conviver com a prática democrática!"

E terminava assim: "Alguém precisa deter essa ignorante, ignara, perigosa e incendiária."

Nota explicativa: na última frase, apesar de que seria bem mais de acordo com a realidade, ela não fala dela mesma, mas da Rachel Sheherazade.

Como podem notar, um texto que começa reclamando "democracia" e termina dizendo que alguém precisa deter essa "ignorante, ignara, perigosa e incendiária" é típico de gente que sofre, como muito bem definiu Olavo de Carvalho, de paralaxe cognitiva, que é "o afastamento entre o eixo da construção teórica e o eixo da experiência real anunciado pelo indivíduo", em português claro, "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

Digo isso não só porque a Sra Bárbara imputa à Rachel um "crime" quando o que ela fez foi expressar a sua opinião, mas porque num passado não muito distante, a colunista da Folha escreveu as seguintes palavras para defender o cineasta Roman Polanski, pedófilo e estuprador condenado e foragido da justiça dos Estados Unidos:

"1) A menina não era mais virgem quando se encontrou com Polanski. Apesar da pouca idade, ela já tinha tido mais de um namorado.

2) Ela declarou que já tinha se embriagado outras vezes e também já havia ingerido quaalude em outras ocasiões.

3) A mãe da menina frequentava as festas do círculo de Polanski e sabia muito bem onde estava levando a filha.

Esse mundo cada vez mais asséptico que nós estamos criando me dá nojo!".

Não são palavras exatas dela, mas o que se depreende do dito acima? Que a menina já era uma arrombada bêbada mesmo, a mãe permitia que ela estivesse ali, o cara só deu vazão ao "instinto animal dele", qual é o problema?

Na democracia de Bárbara Gancia, você pode relativizar um crime abjeto como o estupro, agravado por ter sido cometido contra uma menor, mas não pode dizer que "compreende" que algumas pessoas, fartas de serem vítimas de ladrões ordinários, pegue um deles e dê uns sopapos.

A idéia de democracia dessa gente é só uma: nós podemos tudo, vocês não podem nada.

Pode guardar essa "diversidade" para você, moça, eu prefiro mesmo é a "absoluta liberdade de expressão" defendida pelo colega da Rachel Sheherazade no SBT Brasil e que tanto horror lhe causou.

Seguem os links para o texto publicado pela Bárbara Gancia na íntegra e para o artigo em defesa do Roman Polanski.

https://www.facebook.com/barbara.gancia.lotado/posts/758286780850364?stream_ref=10

http://blogs.band.uol.com.br/barbaragancia/index.php/2009/10/09/refresquei-a-memoria/comment-page-1/

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Boi de piranha

Tudo bem, também sou culpado porque comento todas essas polêmicas, mas justo na semana que pegaram a bebedeira da Dilma na Europa, que rolou o escândalo do porto cubano, a médica fugindo da escravidão no Mais Médicos, apagão, pior balança comercial da história, um petralha ofendendo o presidente do Supremo durante uma sessão solene do Congresso, dizendo que queria dar uma "cutovelada" nele, mais um mensaleiro é engaiolado na papuda fazendo o PT ser o curioso partido que tem um deputado-presidiário, outro petralha é preso na Itália com documentos faltos fornecidos pela Polícia Federal (a mesma que o Romeu Tuma Jr. acusou de estar sendo aparelhada pelo PT), começa esse mimimi por causa do marginal amarrado no poste, das opiniões da Rachel Sheherazade e voltam os black blocks com sua equipe particular de filmagem, o tal Mídia Ninja do Capilé amigo do José Dirceu a quebrar tudo na rua.

E ninguém suspeita que isso é espantalho do PT para desviar a atenção?

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Vai ler, vagabundo

Basta ler algumas páginas - não precisa nem um livro inteiro - de Mises, Hayek, Ayn Rand, Rothbard, Olavo de Carvalho, Ann Coulter, Ben Shapiro, Mencken, Marco Antônio Villa, entre outros tantos, e qualquer um deles, e apenas um, que você não conseguirá mais ouvir a cantilena esquerdopata sem perder o respeito pela inteligência do seu interlocutor.

Não precisa muito esforço, não precisa gastar muito tempo, não precisa ser nenhum genio, só precisa ser curioso o suficiente para olhar o outro lado do muro e honesto o suficiente para admitir que a grama do outro é tão mais verde, que seus amigos esquerdistas vão querer até pastá-la.

Dito isso, conclui-se que só repete chavões do marxismo farofeiro quem faz uma opção consciente pela desonestidade e pela burrice.

Mensaleiros no poste

Tenho quase certeza de que toda essa indignação dos esquerdopatas com o caso do bandido amarrado no Rio é temor de que ao invés de pararem numa cela na Papuda o povo agora comece a pedir poste.

Não precisa de muito para ser melhor do que um esquerdista

Basta ler algumas páginas - não precisa nem um livro inteiro - de Mises, Hayek, Ayn Rand, Rothbard, Olavo de Carvalho, Ann Coulter, Ben Shapiro, Mencken, Marco Antônio Villa, entre outros tantos, e qualquer um deles, e apenas um, que você não conseguirá mais ouvir a cantilena esquerdopata sem perder o respeito pela inteligência do seu interlocutor. 

Não precisa muito esforço, não precisa gastar muito tempo, não precisa ser nenhum genio, só precisa ser curioso o suficiente para olhar o outro lado do muro e honesto o suficiente para admitir que a grama do outro é tão mais verde, que seus amigos esquerdistas vão querer até pastá-la.

Dito isso, conclui-se que só repete chavões do marxismo farofeiro quem faz uma opção consciente pela desonestidade e pela burrice.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Mais Mais Médicos

Uma médica cubana pede asilo, provando de uma vez por todas o tráfico de pessoas do qual o governo brasileiro faz parte. Não se ouve um pio da esquerda.

Dois cidadãos são esfaqueados no Aterro do Flamengo por marginais que atuam com o conhecimento da polícia. Nenhum berro vem dos "militantes".

Dissidentes cubanos vão até a nado para outro país, fugindo da fome e da repressão. São "coxinhas", "reacionários" e "lambe-botas dos estadunidenses".

A população se junta, dá uns sopapos num bandido com três passagens pela polícia. "Barbárie!", "absurdo!", "a OAB está investigando!".

Com esses simples episódios prova-se de uma vez por todas que para a esquerda farofeira de Banânia é muito mais grave se opor a um regime autoritário como o cubano ou dar uma surra num ladrão do que alugar pessoas como se fossem mercadorias e sair por aí roubando e esfaqueando os outros na rua.

De um jeito ou de outro estão sempre do lado dos bandidos.

Começou: médica cubana pede asilo

Uma médica cubana pediu asilo na representação do Democratas na Câmara dos Deputados.

Denunciou com provas o que qualquer um com mais de um neurônio já sabia: trata-se de situação de trabalho análoga a escravidão. E pior prova que o governo petista, para váriar, mentiu ao dizer que pagaria o trabalho dos cubanos através de um convênio com organismos internacionais, é uma empresa cubana de fachada que recebe o dinheiro.

Se apenas para financiar mais a ditadura companheira ou se para retornar em forma de caixa dois para a campanha petista, ninguém tem como saber, mas de qualquer forma trata-se de mais um escândalo desse governo corrupto e mentiroso.

Mas o pior é que tem gente que, por burrice ideológica ou mau-caratismo incurável, ainda defende isso e diz que é "golpe da direita".

Vejamos: dos 10 mil que a empresa laranja cubana recebe, 400 vão para o médico que só pode sair do seu alojamento para trabalhar sob vigilância, o resto vai para o bolso de uma ditadura que retém seu passaporte e sua família.

Se fosse uma brasileira presa num puteiro na Europa seria escravidão, como é um cubano preso no puteiro esquerdopata que virou o Brasil está tudo normal para os esquerdistas farofeiros de Banânia.

O mais curioso é que esse é o mesmo pessoal que apoiou quase um ano de greve nas universidades federais, porque acha que um professor universitário ganha pouco com um salário em torno de 6 mil.

Certas ideologias só não emburrecem e afetam o caráter de todos os que a seguem porque muitos já eram burros ou maus-caracteres antes mesmo de adotá-las.

Esquerdismo prejudica o caráter

Uma médica cubana pediu asilo na representação do Democratas na Câmara dos Deputados.

Denunciou com provas o que qualquer um com mais de um neurônio já sabia: trata-se de situação de trabalho análoga a escravidão. E pior prova que o governo petista, para váriar, mentiu ao dizer que pagaria o trabalho dos cubanos através de um convênio com organismos internacionais, é uma empresa cubana de fachada que recebe o dinheiro. 

Se apenas para financiar mais a ditadura companheira ou se para retornar em forma de caixa dois para a campanha petista, ninguém tem como saber, mas de qualquer forma trata-se de mais um escândalo desse governo corrupto e mentiroso. 

Mas o pior é que tem gente que, por burrice ideológica ou mau-caratismo incurável, ainda defende isso e diz que é "golpe da direita".

Vejamos: dos 10 mil que a empresa laranja cubana recebe, 400 vão para o médico que só pode sair do seu alojamento para trabalhar sob vigilância, o resto vai para o bolso de uma ditadura que retém seu passaporte e sua família. 

Se fosse uma brasileira presa num puteiro na Europa seria escravidão, como é um cubano preso no puteiro esquerdopata que virou o Brasil está tudo normal para os esquerdistas farofeiros de Banânia. 

O mais curioso é que esse é o mesmo pessoal que apoiou quase um ano de greve nas universidades federais, porque acha que um professor universitário ganha pouco com um salário em torno de 6 mil.

Certas ideologias só não emburrecem e afetam o caráter de todos os que a seguem porque muitos já eram burros ou maus-caracteres antes mesmo de adotá-las.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Cale-se e seja livre

"Abusar da liberdade de expressão" é o mesmo que "perder mais ou menos a virgindade", ou se é livre ou se é virgem, não tem meio termo.

Só um esquerdista virgem de sexo, mas com a mente arrombada é que pode acreditar que existe "liberdade demais" ou "democracia até demais".

O mantra deles é "cale-se e aceite o mundo melhor".

sábado, 1 de fevereiro de 2014

O bezerro de ouro da esquerda caviar

Fale mal do Zico para um torcedor do Flamengo. 

Diga para uma adolescente que não gosta do Justin Bieber. 

Peça churrasco num restaurante vegetariano. 

Coloque heavy metal para tocar numa aula de ioga.

Diga que é ateu em pleno Vaticano.

Afirme por aí que o Rubinho era melhor do que o Schumacher. 

Chame uma feministas de "delícia" (OK, essa é difícil).

Tente convencer um frequentador da igreja universal que o "bispo" Macedo é um pilantra.

Procure cérebro ou vergonha na cara em um petista.

Confesse que detesta o Chico Buarque num botequim da Zona Sul do Rio de Janeiro.

Faça o que quiser, mas jamais tente duas coisas: convencer um talibã de que uma caricatura de Maomé é inofensiva ou debater política com os lunáticos do PSOL.

Se, no entanto, ainda assim você quiser tentar a sorte, melhor começar pelo talibã que terá mais chance de sucesso.