quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Começou: médica cubana pede asilo

Uma médica cubana pediu asilo na representação do Democratas na Câmara dos Deputados.

Denunciou com provas o que qualquer um com mais de um neurônio já sabia: trata-se de situação de trabalho análoga a escravidão. E pior prova que o governo petista, para váriar, mentiu ao dizer que pagaria o trabalho dos cubanos através de um convênio com organismos internacionais, é uma empresa cubana de fachada que recebe o dinheiro.

Se apenas para financiar mais a ditadura companheira ou se para retornar em forma de caixa dois para a campanha petista, ninguém tem como saber, mas de qualquer forma trata-se de mais um escândalo desse governo corrupto e mentiroso.

Mas o pior é que tem gente que, por burrice ideológica ou mau-caratismo incurável, ainda defende isso e diz que é "golpe da direita".

Vejamos: dos 10 mil que a empresa laranja cubana recebe, 400 vão para o médico que só pode sair do seu alojamento para trabalhar sob vigilância, o resto vai para o bolso de uma ditadura que retém seu passaporte e sua família.

Se fosse uma brasileira presa num puteiro na Europa seria escravidão, como é um cubano preso no puteiro esquerdopata que virou o Brasil está tudo normal para os esquerdistas farofeiros de Banânia.

O mais curioso é que esse é o mesmo pessoal que apoiou quase um ano de greve nas universidades federais, porque acha que um professor universitário ganha pouco com um salário em torno de 6 mil.

Certas ideologias só não emburrecem e afetam o caráter de todos os que a seguem porque muitos já eram burros ou maus-caracteres antes mesmo de adotá-las.
0 Comentários