segunda-feira, 31 de março de 2014

Culpa da ditadura

Em 1964 a sede da UNE foi incendiada. 46 anos depois, em 2010, o governo do PT DEU 30 milhões para que a entidade emissora de carteirinhas e organizadora de choppadas, entre outras atividades, construísse um prédio novo no terreno doado pelo presidente Itamar Franco.

Em 2011 nem capinado o terreno estava. Prédio então, nem pensar, mas a UNE jurava que as obras "começariam logo".

Mas eis que neste ano de 2014, quatro anos depois do prêmio da Mega Sena que a companheirada doou para o clube de estudantes profissionais, eles divulgam um convite para uma "Vigília de Resistência na Sede da UNE", para relembrar os 50 anos do golpe militar.

Só que lá pelas tantas o desavisado poderá ler o seguinte: "traga barraca, canga, lanterna". Quer dizer, quatro anos e várias carteirinhas de estudante emitidas depois, as doações do terreno e dos milhões não foram o bastante para que a gloriosa União Nacional dos Estudantes sequer pusesse uma gambiarra no terreno para evitar que seus convidados precisassem "trazer lanterna".

Acampar num terreno baldio na semi-escuridão para realizar o "enterro da ditadura" e depois o "samba da resistência" realmente vai ser um programão. Quem sabe eles não aproveitam as lanternas e procuram onde é que os 30 milhões foram parar antes que acabem as pilhas.

Talvez a sede ainda não tenha saído do papel por "culpa da ditadura", vai saber.



Pronto, agora vai


Eu não mereço o que mesmo?

I - Tirar foto com uma plaquinha escrito "eu não mereço ser estuprada" faz tanto sentido quanto com uma escrito "eu não mereço ser assaltada", no entanto a esquerda acha que se você sair por aí ostentando um celular caro, você merece sim.

II- Boa pergunta: se a mulher estiver com um micro-short Versace, o que a esquerda diria? Que ela merece ser estuprada por estar ostentando ou "meu dinheiro, minhas regras"?

III- Num futuro não muito distante as pessoas vão morrer de vergonha e tentar esconder a todo custo que alguma vez já participaram do dia do planeta, usaram Guarani-Kaiowá no sobrenome ou posaram com uma plaquinha "eu não mereço ser estuprada".

IV- Nova dúvida: se os ucranianos posarem com uma placa "eu não mereço ser invadido pela Rússia", será que a esquerda se sensibiliza? 

E se a oposição venezuelana aparecer com uma "eu não mereço ser censurado, preso, torturado e muito menos morto pelo chavismo"?


V - #EuNãoMereço aturar esse monte de comunista de apartamento tentando fazer todo mundo de idiota.


sábado, 29 de março de 2014

"Dívida histórica", pior do que o rotativo do cartão

Fulaninho opta pelo programa de cotas raciais para o acesso em uma universidade pública. Acaba passando com uma nota menor do que aquele que não passou mas não pode fazer uso da mãozinha estatal porque nasceu com a cor da pele errada para a ocasião.

Digamos que Fulaninho tenha sido um aluno esforçado, conseguiu acompanhar os estudos e se formou com louvor. Tudo bem, Fulaninho não teria entrado sem o "glitch" forçado no sistema, mas já que se formou, parabéns a ele.

Mas a demagogia racial não conhece limites, então ao prestar concurso público para um cargo qualquer, Fulaninho poderá optar DE NOVO pelo programa de cotas raciais.

Isso porque Fulaninho traz em si "séculos de escravidão e racismo nas costas". Esqueça que Fulaninho JÁ teve sua "reparação" por isso quando entrou numa universidade federal, cursou, teve a chance de ser até bolsista e se formou, sendo agora um cidadão com "superior completo" como todo mundo que sai formado de uma faculdade.

Onde está, nesse momento, a defasagem educacional que justifique que Fulaninho ganhe uma vaga na moleza DE NOVO?

Simples: fica bem na foto um político defender isso, é bom para as ONGs que vivem dessa lei de Gérson racial, só não é bom para aquela palavrinha que esquerdopata e demagogo geralmente tem pavor, que é a tal da meritocracia.

Fulaninho necessariamente será um mau funcionário público? Não. Mas, convenhamos, se optou por cota DE NOVO, Fulaninho é um bom de um cara de pau.

Aguardemos a criação de uma cota de 20% de "afro-descendentes" para os acertadores da Mega Sena. O cara acerta só três das seis dezenas mas ganha o prêmio do mesmo jeito, afinal, aquelas impessoais bolinhas do sorteio precisam entender que essa tal dívida histórica é um saco sem fundo.


sexta-feira, 28 de março de 2014

Deixem que provem do mesmo veneno

O que está faltando para um grupo de advogados conservadores se juntar e fazer uma representação contra a Jandira Feghali por apologia a um regime assassino e liberticida como o comunismo?

A hora que a direita deixar de dar paz a esses gabirus e trará-los com a mesma intransigência e intolerância que eles tratam quem não concorda com eles, denunciando, processando e infernizando as suas vidas, eles provarão do próprio veneno e a briga passará a ser menos desigual.

Gente que defende bandido dizendo que este é vítima da sociedade, que advoga a liberação indiscriminada de entorpecentes, preconceituosos em relação à religião alheia, apologistas de ditadores e genocidas, advogados e entusiastas de vândalos e picaretas, de corruptos condenados, não faltam motivos.

Falta disposição para reagir e dar à escumalha vermelha o tratamento que ela merece.

PT do crioulo doido

Governistas querem iniciar a CPI da Petrobras investigando o metrô de São Paulo.

- Eles vão se arrepender - diz um dos 39 incompetentes que fazem parte do ministério-paquiderme do Poste de Terninho. 

A menos que as escavações do metrô de São Paulo tenham encontrado petróleo que foi enviado para a refinaria-sucata de Pasadena, para a refinaria-fantasma Abreu e Lima, doado para Cuba ou Evo Morales, não consigo encontrar qualquer ligação entre as duas investigações que não seja apenas a cara de pau e a falta de vergonha total do governo de Dilma Rousseff - que a cada dia mais se comporta como uma tiraneta (já que gosta dessas flexões de gênero heterodoxas) - e dos petralhas em geral.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Lula Jon Il ou Kim Jong Lula

Os blogs sujos e as opiniões mui isentas de sempre estão espalhando que uma CPI contribuiria para "acabar com a Petrobras". Que investigar a empresa é coisa de "entreguista" que deseja o fim dela.

Ficamos combinados assim então: comprar algo por um valor quase dez vezes maior, tranquilo. Lotear a empresa e suas subsidiárias com vagabundos em cargos comissionados, beleza. Doar dinheiro da empresa para a Venezuela, tudo bem. Permitir que o Lhama de Franja boliviano roube refinarias, supimpa. Usar a empresa (e outras estatais) para financiar tropas de choque para falar bem do governo, maravilha.

Investigar o verdadeiro saque do qual a Petrobras é vítima há 12 anos, identificar e punir os corruptos e cretinos que privatizaram a empresa para um partido e a transformaram num caixa forte da companheirada para, quem sabe, saneá-la, um horror, um perigo, um desserviço para o Brasil.

O universo paralelo petista dessa forma vai chegando perigosamente perto do nível norte-coreano de confusão mental.

O circo petista

Petistas chilicando por conta de uma cada vez mais provável CPI da PTrobrás, que será mais ou menos como um Mensalão 2 sob efeito de anabolizantes.

Estão chamando de "circo", no que até concordo com eles. Só espero que os mágicos que fazem sumir dinheiro sejam todos apanhados, que os contorcionistas a soldo desistam do salto triplo carpado hermenêutico (como tão bem definiu o Sandro Vaia) e parem de tentar convencer o cidadão que um desvio de verba não é um desvio de verba, e que os palhaços que ainda acreditam no PT entendam de uma vez que é bem menos vergonhoso assumir um erro de julgamento e corrigir o rumo do que sair andando por aí todo sujo de bosta por pura vergonha de limpar a própria cagada.

Vocês, que ainda não estão vendidos, foram enganados. Não descontem a raiva por terem sido feitos de babacas pelo PT em quem tenta abrir seus olhos, desconte em quem te enganou.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Liberdade é isso aí

Kim Jong Un determina que todos os universitários da Coréia do Norte tenham o mesmo corte de cabelo que ele.

Provavelmente tal medida faz parte de um marco civil do estilismo capilar, que visa democratizar os salões de beleza e barbearias e garantir a todo norte-coreano a liberdade na hora de tosar o pelo.

É a Coréia do Norte na vanguarda da regulamentação dos coiffeurs, hair stylists e tosqueadores de moicano.

Link da notícia:http://epocanegocios.globo.com/Informacao/Acao/noticia/2014/03/kim-jong-un-determina-que-todos-os-homens-da-coreia-do-norte-tenham-o-mesmo-corte-de-cabelo-que-ele.html



Se essa moda pega

Kim Jong Un determina que todos os universitários da Coréia do Norte tenham o mesmo corte de cabelo que ele.

Provavelmente tal medida faz parte de um marco civil do estilismo capilar, que visa democratizar os salões de beleza e barbearias e garantir a todo norte-coreano a liberdade na hora de tosar o pelo.

É a Coréia do Norte na vanguarda da regulamentação dos coiffeurs, hair stylists e tosqueadores de moicano.

Link da notícia:http://epocanegocios.globo.com/Informacao/Acao/noticia/2014/03/kim-jong-un-determina-que-todos-os-homens-da-coreia-do-norte-tenham-o-mesmo-corte-de-cabelo-que-ele.html

Bolsa swing

O próximo passo do governo é aprovar um marco regulatório das casas de swing, para garantir uma neutralidade que faça com que todo cidadão que entre ali jamais saia sem conseguir transar, mesmo que só tenha entrado para ver as modas.

Vai transar e pronto. E rolar threesome tem que pagar uma taxa extra. Será a democratização da suruba.

Carro das mulheres

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio aprovou projeto de lei que estende para tempo integral o funcionamento do espaço exclusivo para mulheres no trens do metrô e da SuperVia. O projeto, de autoria dos deputados Thiago Pampolha e Samuquinha, vai à segunda discussão amanhã.

Isso só presta para uma menina mais nova que se intimida e não dá logo uma cotovelada se proteger, mas para as mulheres em geral é algo inócuo porque não cabem todas num vagão. Como não somos um país islâmico, não vai ter como criar trens masculinos e femininos.

O que tem que fazer é pegar umas policiais gostosas, colocar roupas provocantes e assim que o malandro vier de graça tomar uma voz de prisão e sair dali algemado debaixo de cascudo.

Só o medo de se fuder vai fazer o cidadão entender que aquela moça ali na frente deve merecer o mesmo respeito que as avós, a mãe, as tias, a esposa, as sobrinhas ou as filhas dele.




Cuidado com o que for curtir por aí

"Combate ao Marco Civil da internet é caso de polícia". "Pela criminalização da apologia à ditadura militar".

Fui pesquisar dados sobre o marco civil da internet no Google e me deparei com essas duas chamadas de um tal "Blog da Cidadania", mais um desses conhecidos "blogs progressistas" cheio de links para outros exemplos de imparcialidade e defesa da democracia como o Brasil 247 e o Conversa Afiada.

Uma pede que a polícia dê um jeito nesses reaças que não querem uma LEI controlando a internet, outra diz que a "apologia" da ditadura militar deve ser criminalizada.

Noves fora o total silêncio sobre a apologia das ditaduras cubana e venezuelana, já pode se notar por aí como quem defende o tal marco civil só deseja que a internet seja mais "livre". Livre de opiniões que os desagradam, por suposto.

Em outro link, esse do jornal O Globo, o sociólogo Sérgio Amadeu da Silveira, representante da sociedade civil (engraçado que faço parte da "sociedade civil" e nunca votei no Sr. Sérgio para me "representar") no "Comitê Gestor da Internet no Brasil" (imagine que delícia, um "comitê" para gerir a internet), dizia que o marco civil coloca o país na "vanguarda na defesa dos direitos dos internautas".

Isso apenas quer dizer que a velha lei Márcio Moreira Alves - "o que só existe no Brasil e não é jabuticaba, é besteira" - continua válida como sempre. Se o Brasil está na "vanguarda de alguma coisa", ainda mais algo saído da mente dos psicopatas da esquerda, pode ter certeza que não presta.

Mais adiante, o sociólogo (sociólogos palpitando sobre a "liberdade" na internet equivale a pastores evangélicos responsáveis por conceder alvará para uma passeata gay) diz que "o texto foi piorando ao longo do tempo, mas ainda é aceitável".

O que piorou? A retirada da exigência de que dados de brasileiros ficassem armazenados em data centers construídos no país e a liberdade para o governo regulamentar a lei por decreto, ou seja, para o sociólogo defensor dos seus "direitos", seus dados de navegação deveriam ficar armazenados em computadores ao alcance de um chute na porta da Polícia Federal ou da Força Nacional e o governo poderia baixar decretos criminalizando até uma curtida num post do Olavo de Carvalho.

Se isso tudo já não basta para te provar que esse marco civil é furada, me desculpe, mas sugiro que você pare de me ler agora e vá fazer um lanche. Tenho certeza de que o capim vai ser muito mais gostoso do que essa leitura.


Link da notícia no Globo: http://oglobo.globo.com/pais/para-especialistas-marco-civil-da-internet-combina-liberdade-regulacao-equilibrada-11985798



Se puserem o governo para administrar o Deserto do Saara, em 5 anos faltará areia

A frase acima é de Milton Friedman e creio que jamais ficará desatualizada. 

Só um liberticida enrustido ou um palerma irrecuperável pode acreditar que o governo vai se meter em qualquer coisa para garantir alguma melhoria ou liberdade. 

Você tem uma área no meio do deserto, pessoas começam a se reunir ali e constroem uma praça, em seguida colocam umas árvores, improvisam um sistema de irrigação, instalam bancos e todos vão ali quando querem para falar dos assuntos que quiserem. 

 o governo resolve se meter, criar uma regulamentação para que "todos possam usar a praça livremente".

Quanto tempo até o Estado resolver dizer o que se pode ou não falar "livremente", quem pode sentar nos bancos e em que hora, cobrar uma taxa pela sombra e os frutos das árvores, dizer que o sistema de irrigação está em desacordo com alguma lei e finalmente cercar a praça?

O marco civil abre espaço para regulamentações futuras, onde o governo põe a mão, tolhe liberdades e iniciativas, um imbecil não percebe isso e um cretino deseja isso, enquanto repete que uma lei é necessária para te DAR uma liberdade que você já tem.

Aí porque teoricamente as "teles" - que são empresas privadas com concorrentes e que podem ser dispensadas pelo consumidor quando este bem entender- poderiam "dominar a internet", vamos resolver isso entregando para o CONTROLE ESTATAL, que é muito mais confiável, claro.

terça-feira, 25 de março de 2014

Ufa!

Sorte que se o marco civil descambar para uma censura na internet e criminalização da opinião, sempre podemos recorrer ao STF e contar com os votos do Toffoli, do Lewandowski, do Zavascki e do Barroso para nos salvar.

Marco civil da internet

Mal caibo em mim de tanta felicidade ao saber que depois de tantos anos sem poder contratar um provedor com a velocidade que eu preferir, acessar a internet e visitar sites livremente, fora os anos de chumbo sem saber o que é dar opiniões e entrar em debates sem medo do que eu disser ser usado contra mim por algum esbirro do governante de ocasião, finalmente aprovaram o marco civil e vão entregar o controle dessa joça para o Estado, essa entidade tão eficiente em tudo o que faz e que sempre age apenas buscando o meu bem e a ampliação das minhas liberdades individuais.

Obrigado a este governo sensacional e sem planos de eternização no poder, obrigado ao PT, esse partido que jamais tentou censurar vozes dissonantes e, claro, obrigado ao maior ajuntamento de homens honestos do mundo que é o Congresso, por cuidarem assim tão bem de mim.

Tenho certeza que algo defendido por Josés de Abreu, Socialistas Morenas, Paulos Henriques Amorins, Franklins Martins, Ruis Falcão e demais bastiões das opiniões sensatas e da independência de pensamento só pode trazer mesmo mais liberdade para a internet e melhorias para todos.

Agora preciso parar as comemorações porque vou ali criar uma página em homenagem ao Nicolás Maduro no Foicebook.

Negócio da China é coisa do passado, a boa agora é negócio de Pasadena

Dica de investimento: se você comprou seu carro há uns anos por, digamos, uns 30 ou 40 mil, gaste algum tempo na tarefa de conhecer alguém na diretoria da Petrobras, porque será grande a chance de que você consiga vendê-lo para a empresa hoje por pelo menos uns 500 mil.



Lições do He-Man

Esse mês aprendemos que privatizar a Petrobras poderia ser perigoso, o patrimônio nacional corria o risco de ser dilapidado, o dinheiro público desviado para o bolso de canalhas e o pagador de impostos roubado.

Sorte que o PT lutou muito bem contra o "entreguismo" e lotou a empresa com uma renca de companheiros em cargos comissionados e hoje a empresa está aí perdendo 200 bilhões em valor de mercado e despencando da 12ª para a 120ª posição no ranking das maiores empresas do mundo.

Imagina se desse lucro, que horror? Lucro não é uma coisa progressista.

Como se pode ver, para o PT o "entreguismo" é apenas um problema de CEP, dependendo de quem seja o destinatário eles entregam tudo, bilhão por bilhão.



Pegue as pipocas

31 de março vem aí e a diversão será garantida por conta dos pitis dos comunas de apartamento, aquela gente que acha que só eles têm o direito de defender ditaduras.

segunda-feira, 24 de março de 2014

A esquerda é uma indústria de vítimas, seja de que lado for

Os "progressistas" se juntam e organizam uma marcha "antifascista" para botar os coxinhas para correr. Chegam gritando que lugar de reaça é na ponta do fuzil, reclamam que aquela gente não tinha direito de estar ali (eles podem todo dia), xingam, fazem gestos obscenos e, quando podem, partem pra agressão física.

Fazem isso 99 de 100 vezes.

Na centésima alguém, sabe-se lá porque, resolve se cansar de voltar pra casa quieto porque "a rua é do povo" (leia-se: a rua é de quem leva uma bandeira vermelha), parte pra cima, outros vão atrás e os comunas levam um couro.

Pronto, é o que basta para posarem mártir, falar nos seus "feridos", dizer que a ameaça conservadora é cada vez maior. Isso geralmente um ou dois posts depois de fazer piada sobre o tamanho da marcha dos reaças caber num Fusquinha.

99% do tempo vagam por aí fazendo vítimas. Quem já viu o que um grupo de esquerdistas em maioria numérica é capaz de fazer sabe do que estou falando. Seu ódio contra a PM não é outro senão pelo motivo de não poderem botar a polícia para correr debaixo de pau.

Mas quando a coisa se inverte, 1% das vezes, tornam-se especialistas em se fazer de vítima.

Ser esquerdista é jogo de ganha-ganha, batem nos outros porque estão certos, apanham por causa das suas virtudes. E a culpa só não é da vítima quando a vítima é um deles.

A foto que ilustra esse texto é de um "progressista" cuspindo num poderoso fascista na porta do Clube Militar em 2012.



O Rio não precisava ter se transformado numa imensa Barra da Tijuca


Jamais entenderei a opção que as cidades brasileiras fazem pela feiura. Tivemos uma colonização que nos deixou algumas belas construções e cidades quatrocentonas que poderiam exibir senão a grandiosidade de uma metrópole europeia, pelo menos a graça e a dignidade de quem preservou sua história.

Não temos muitos prédios suntuosos como Paris, aquelas avenidas largas de Buenos Aires, mas os sobrados do Rio Antigo com certeza ganham de goleada desses caixotes de concreto horrorosos.

Certa vez eu passava pela rua Sete de Setembro quando me deparei com um lindo sobrado cheio de detalhes e na hora pensei: como o Rio seria bem mais bonito se todo o Centro e as regiões no entorno fossem desse jeito. E eram.

A preservação passaria por não conceder alvarás para que ponham sobrados centenários abaixo para construir verdadeiras estufas de vidro e por não permitir que lojas variadas, desde quinquilharias até lanchonetes, transformassem seu térreo num favelão.

A pastelaria do Chan e a loja de tecidos do Farid continuariam no mesmo lugar, só que suas portas e a ocupação da área externa não ofuscariam a beleza dos prédios.

Experimente dar um passeio pela região mais antiga da sua cidade e olhar para o alto. Provavelmente acima daqueles colchões e fogões na calçada estará uma arquitetura tão interessante quando essa da foto.

Sei que a preservação desses prédios impediria que a cidade crescesse verticalmente nessa região, mas isso é melhor ainda. Um sistema de transporte decente e um crescimento ordenado para as periferias do mapa faria a vida de todo mundo ser bem melhor.

Não dá para acomodar todos os moradores em uma mesma região, mas se as regiões não competissem entre si para ver qual é a pior em qualidade de vida isso não faria tanta diferença.

E esses prédios cheios de empenas cegas, paredes externas com detalhes coloridos e modernosos ou paredões de vidro bregas também continuariam no mesmo lugar.

A Barra da Tijuca já existe para isso.

A burguesia do capital alheio

Essa foto foi tirada em Gramado, no Rio Grande do Sul, mas em todo o país podemos ver que deixou de ser "feio" e "coisa da direita" falar mal do PT, aliás, mal não, falar as verdades sobre o PT. Ninguém tem culpa se praticamente todas elas sejam mais feias do que sovaco de feminista.

Muita gente (bem mais do que parece) simplesmente encheu o saco do PT. As pesquisas eleitorais que dão vitória ao Poste de Terninho no primeiro turno (e não querem dizer muita coisa a essa altura do campeonato, caso contrário o Serra seria o presidente) também mostram que mais de 60% da população quer mudar o rumo do país. Há quatro anos era o contrário, a maioria queria manter a farra do crédito fácil (e podre) do lulopetismo.

O povo está endividado, a inflação corrói o poder de compra, a infra-estrutura está em colapso, a roubalheira atinge níveis inimagináveis e só quem ganha muito dinheiro público para fingir que tudo está bem (e quem não ganha nada para bancar o palerma) é que ainda acredita na propaganda enganosa do João Santana, o dublê de marqueteiro e primeiro-ministro que criou no Photoshop e na computação gráfica as únicas obras que o PT tem para mostrar.

O resto do país, o país real, é o Brasil ruim e caro que você conhece muito bem e que muita gente também está se dando conta.

E a radicalização do discurso do partido e de seus estafetas nas redes sociais demonstra que eles têm noção disso. Por essa razão é que ao invés de radicalizar do mesmo modo, só que para o outro lado, o eleitorado oposicionista deve é conquistar esses 60% que querem mudar o país.

Falar 24x7x365 em golpe comunista, em intervenção militar, entre outras coisas, é pregar para o coro da Igreja, é converter quem já é convertido.

Falemos da falência da Petrobrás, dos vagabundos em cargos comissionados, da roubalheira generalizada, dos transportes públicos vergonhosos, dos blogs sujos sustentados por estatais, dos impostos escorchantes, da incompetência que é a característica do PT ao governar.

Precisamos decidir se queremos apenas trollar esquerdopatas e vê-los se descabelando de raiva na internet ou se queremos botar os seus patrões para correr de Brasília.

Quando a fonte secar e eles tiverem que fazer o que acreditam sem receber verba estatal por isso, assim como faz essa crescente força oposicionista que vemos na internet, aí sim é que vamos ver se eles gostam mesmo do PT ou se era só uma questão de ser burguês com o capital alheio.

Fora PT!



Refinaria da luz vermelha

É óbvio que a Petrobras não vai cobrar a dívida da companheirada bolivariana, a ordem do PT é arriar as calças para o chavismo em todos os aspectos possíveis e imagináveis, até aqueles que transformam o Brasil em marafona de beira de estrada.

A dívida eles cobram do pagador de impostos brasileiro, esse trouxa que sustenta a farra das meretrizes e seus cafetões.



domingo, 23 de março de 2014

Não adianta, o povo brasileiro, como projeto de cidadão, não deu certo

Povo alegre, festeiro, feliz, hospitaleiro, me conta aí, quais "qualidades" fake mais o brasileiro tem?

Creio que a melhor legenda para essa foto seria: "sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor". Por isso é que eu digo que a única lei que pegou mesmo no Brasil é a Lei de Gérson.




sábado, 22 de março de 2014

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Com Cynara Menezes, a miss Cérebro Baldio.

A comediante morena resolveu fazer graça e comparar a Marcha da Família com a Ku Klux Klan, até que um sujeito mais esperto (e não precisaria nem ser tão esperto para lidar com a moça em questão) perguntou se ela também achava que a oposição venezuelana era "fascista".

A resposta da bolivariana morena? "Você é venezuelano?".

Claro, porque no cérebro baldio moreno só pode falar mal de Cuba quem é cubano, da Venezuela quem é venezuelano e por aí vai.

A favor não, se for para falar a favor pode ser blogueiro de revista que recebe verba oficial, ser socialista de apartamento, comunista de churrascaria e meter o bedelho à vontade para apoiar ditadores e genocidas, bater palmas para a polícia assassinando cidadãos na rua, dizer que caderneta de racionamento é lindo, que alugar médicos como escravos é perfeitamente normal, vale tudo.

Só não vale mandar para Cuba, porque aí é fascismo.


(Clique na imagem para aumentar)

Não existe meia liberdade de expressão

Qual o limite da liberdade de expressão? Na minha opinião, praticamente nenhum. Excetuando-se incitação ao crime e coisas como pedofilia e outras bizarrices, acredito que todo cidadão tem o direito de ser até nazista se quiser (basta renunciar ao detalhe do genocídio). A execração e o escárnio público são, para mim, o melhor remédio para idéias idiotas.

Mas ainda que não concorde com a reedição da Marcha da Família com Deus pela Liberdade por motivos que já explicitei aqui, acredito firmemente que todas aquelas pessoas têm o sagrado direito de fazê-la. É direito constitucional de todo cidadão ser exagerado, equivocado ou ridículo.

Mas o site "Pragmatismo Político" não concorda com isso.

Vejamos, tal qual a "Socialista Morena", o "Diário do Centro do Mundo" ou as tirinhas cretinas do tal do Latuff, o Pragmatismo Político é um site claramente esquerdista. Todos eles defendem, em maior ou menor grau, o marxismo farofeiro e os genocidas e tarados políticos da esquerda, vivos ou mortos.

Teorias do século passado e retrasado que só produziram autoritarismo, fome e mortes são disseminadas nestas e outras cloacas como a expressão verdadeira de um "mundo melhor". Todos, sem exceção, berram (eles nunca falam, só berram) que estão exercendo seu direito à LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

E estão mesmo. Como disse acima, cada um destes esquerdopatas de apartamento têm o direito de ser panaca e/ou cretino. Porque defender Fidel, Chávez, etc, etc, só pode ser coisa de gente muito burra ou muito esperta, no pior sentido do termo. Os fatos históricos são auto-explicativos.

De onde então essa gente pensa que tem moral para dizer que pedir uma intervenção militar é "incitação ao crime"? Outro dia a vítima foi a Rachel Sheherazade, só porque disse que é compreensível que um cidadão reaja a um bandido e aplique-lhe uma merecida coça.

A Rachel foi boazinha, porque não considero apenas compreensível, mas desejável.

Só que gente que sai por aí defendendo o aluguel de pessoas como é o caso dos escravos cubanos, criminosos julgados e condenados como é o caso dos mensaleiros do PT, patifes e genocidas como Marx ou Stalin, ditadores bestiais como Raul Castro ou Nicolás Maduro, fora o resto, não tem condição de falar em "incitação ao crime" com tamanha elasticidade de conceito, sob o risco de serem enquadrados diversas vezes no mesmo crime.

O limite da liberdade de expressão para esquerdopatas é o seu gosto pessoal. Se eles gostam, até defender terroristas e assassinos torna-se "argumentar ideologicamente"; se eles não gostam, até mesmo pedir uma improvável intervenção militar (ainda que seja contra um governo que quebrou o país), é um crime pior do que o assassinato de bebês foca.

Fazer passeata para pedir algo todo mundo pode. Uns babacas todo ano fazem uma pelo seu direito de fumar maconha onde quiserem, eu poderia fazer exigindo um milhão de dólares americanos, esse pessoal da Marcha da Família quer que os militares salvem o país do "golpe comunista", enfim, não creio que nenhum de nós vá conseguir o que deseja, mas é nosso direito querer assim mesmo.

Algumas vezes funciona, outras não.

E mesmo se tivesse a certeza de que funcionaria, eu jamais faria uma passeata pedindo que censurassem os "blogs progressistas", por exemplo, afinal se eles não exercessem o seu direito constitucional de falar idiotices 24 horas por dia, eu teria bem menos assunto para exercer o meu direito constitucional de fazer piadas sobre eles.




quinta-feira, 20 de março de 2014

O Brasil é governado por assassinos

Anderson Muzzi Nogueira da Costa, de 25 anos, chegou na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Senador Camará, no Rio de Janeiro, sentindo fortes dores no peito. Foi informado por um funcionário que não havia médicos para atendê-lo. Dez minutos depois caiu no chão, desmaiado. Nenhum funcionário da unidade foi socorrê-lo, um deles chegou a aparecer na porta, ver o homem ali caído e nada fazer, o problema não era dele. Pouco tempo depois Anderson morria vitimado por um infarto.

A cena foi filmada por um homem que aguardava um amigo que estava sendo atendido (como se não havia atendimento?) na UPA (ah, esses celulares) e enviada para um jornal.

Fim da história. Realmente é o fim.

As UPAs são um outdoor de propaganda dos governos Dilma e Sérgio Cabral. Containers comprados a preço de ouro são usados no lugar de prédios de alvenaria para simular uma unidade de pronto atendimento. Há equipamentos e algumas delas até funcionaram decentemente por um tempo. Por um tempo.

Hoje não passa do que é o Brasil: uma propaganda enganosa de dimensões continentais.

Outro dia um economista foi preso por "perturbar a ordem" só porque comparecia periodicamente à uma UPA perto de sua casa para fiscalizar se os médicos estavam lá trabalhando para justificar o que recebem do pagador de impostos. Não se tem notícia de nenhum médico picareta - porque esse é o nome de quem recebe dinheiro por um serviço que não presta - sendo preso por faltar o trabalho.

Mas vamos em frente.

O caso de Anderson é o caso do serviço que se presta no Brasil, principalmente o público. Péssimo atendimento, pessoas despreparadas, má vontade, falta de educação, ausência de compaixão ou solidariedade, mau caratismo, vagabundagem, picaretagem.

Nada, repito, NADA que se precise resolver no Brasil seja junto a um plano de saúde, uma delegacia, um cartório, um Detran, um hospital, uma escola, é feito sem que a paciência da pessoa seja testada nos limites de sua sanidade. E o pior: tudo é muito mais caro do que o que vale, que na maioria das vezes é zero.

Uma pessoa chega numa unidade de PRONTO ATENDIMENTO e é avisada que não há atendimento, ainda que pessoas estejam sendo atendidas lá dentro. Desmaia, é observado por funcionários que nada fazem, ainda que estejam ali para fazer alguma coisa, qualquer coisa, nem que fosse chamar uma ambulância. Morre sem ser prontamente atendido. UPA?

E aí? Ora, é apenas mais um brasileiro que passa por coisas que não deveria passar se tivesse a sorte de ter nascido num país decente e não num ajuntamento de picaretas, ignorantes e desleixados, que rodeiam e infernizam a vida das pessoas que prestam.

Nossos políticos, a Dilma, o Sérgio Cabral, o Renan Calheiros, entre tantos, não são alienígenas que invadiram o Brasil e tomaram o poder, eles são o retrato da gente que os coloca lá, seja por ignorância, por egoísmo, por mau-caratismo, por preguiça de pensar.

A saúde pública é considerada um "direito". Pagamos, todos, caro por esse "direito", só que os que têm mais sorte precisam pagar novamente para receber esse "direito" de forma um pouco menos pior em planos de saúde particulares.

E assim acontece com a educação, com a infra-estrutura, com vários serviços, que são "direitos" que custam muito caro para quem não os recebe. E dizem que o pior que pode acontecer é uma privatização, porque ela "rouba o patrimônio do povo e nega direitos".

Ora, Anderson morreu por culpa da saúde pública, que seria um direito seu, que lhe foi negado, roubado. Como chamar isso? Privatizaram a vida de Anderson? Ou Estatizaram a sua dignidade?

Não, o Estado o matou por negligência.

Link para o vídeo perturbador: http://extra.globo.com/noticias/rio/jovem-morre-na-porta-da-upa-apos-ter-socorro-recusado-momentos-de-agonia-foram-filmados-11929095.html



terça-feira, 18 de março de 2014

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Quase todo petralha exibe o mesmo talento para a ironia fina e a piada de bom gosto que o líder da seita, o Apedeuta, daí que quando tentam ser sarcásticos ou debochados o resultado geralmente é parecido com um bêbado de botequim contando uma piada escatológica para um pastor.

E o fato é que alguns deles realmente acreditam que o problema com o eleitor da oposição é o seu "pavor de pobre". Fica difícil entender a lógica disso, afinal, se agora "todo mundo tá na crássi média", podendo comprar carro, viajar, frequentar shoppings, então a pessoa deixou de ser pobre, é ou não é?

Mas tudo bem, para um petralha pobre é pobre independente de quanto ganhe. Até o Lula diz por aí que é operário, mesmo não sabendo nem mais como se parece um torno, já que não trabalha desde a década de 70.

Em todo caso os dizeres dessa imagem ficariam bem mais adequados à realidade caso fossem esses:

Não aguento mais ver petista vagabundo pendurado em cargo comissionado e comendo com o meu dinheiro em restaurante caro.

Não aguento mais pagar pelos jatinhos da companheirada.

Não aguento mais ver prédio do Minha Casa, Minha Vida despencando antes mesmo das pessoas irem morar ali.

Não aguento mais tanto engarrafamento porque os transportes estão um caos.

Não aguento mais ir no shopping e ver que o preço das coisas aumentou DE NOVO.

Não aguento mais saber que algum cineasta companheiro arrumou uma graninha esperta às minhas custas através de alguma estatal.

Não aguento mais ver esse monte de filho da...mamando nas tetas como se não houvesse amanhã.

Pronto, assim está mais de acordo, ainda que o MAV-PT (que vai fazer até um congresso em São José dos Campos, adivinha quem vai pagar por isso) continue espalhando o contrário.



A copa do mundo e o tsunami

Em 2011 um terremoto seguido de um tsunami destruiu amplas áreas do Japão. Em 2007 o Brasil, país do futebol, descobriu que sediaria uma copa do mundo.

Um ano depois o Japão já tinha terminado a reconstrução da infra-estrutura básica destruída (uma estrada levou apenas seis dias para ficar pronta). 



Sete anos depois e o Brasil mal conseguiu terminar uns estádios superfaturados, já abandonou as obras de infra-estrutura e se prepara para um vexame que, se quiser, poderá chamar de "legado".

Uma montagem com três imagens que recebi hoje talvez explique o motivo de tal disparate: as duas primeiras fotos mostram o Japão logo após a bomba de Hiroshima e o Tsunami de 2011, em ambas as crianças assistiam aulas em salas improvisadas. A última mostra a notícia de que o Brasil suspenderá as aulas em todas as escolas durante os jogos da seleção na Copa do Mundo.

Mas tudo bem, os japoneses devem morrer de inveja do "pentacampeonato".

Veja aqui a incrível reconstrução do Japão: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/um-ano-do-tsunami-do-japao-veja-antes-e-depois-da-reconstrucao/n1597665100883.html




O que o PT pensa sobre a redução da maioridade penal e o desarmamento?

Não existe nenhuma justificativa plausível para que um animal que premedita um crime dias antes de completar 18 anos, para assim ser julgado como menor e receber do Estado uma pena branda e uma caixa de bombons, não possa ser julgado como adulto.

Segue a notícia do Estado de São Paulo:

"O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira, 18, que pode pautar em abril a votação de uma proposta que reduz a maioridade penal em determinadas circunstâncias. O anúncio ocorreu logo após Renan ter recebido em seu gabinete a visita de familiares de Yorrally Dias Ferreira. A jovem de 14 anos, moradora da periferia de Brasília, foi assassinada com um tiro na cabeça pelo ex-namorado dois dias antes de ele completar 18 anos.

No mês passado, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa rejeitou uma proposta que permite a redução da maioridade penal para 16 anos em algumas hipóteses, como nos casos em que o menor tenha cometido crimes hediondos, tráfico de drogas com uso de violência ou reincidência em crimes violentos. O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira, conseguiu apoio para apresentar um recurso a fim de que o texto seja votado em plenário.

Questionado se a proposta pode ir à votação, Renan respondeu: "Eu acho que sim. Nós vamos conversar com os líderes e já assumimos o compromisso de pautar a matéria. É uma matéria complexa, mas será, sobretudo, a oportunidade para que cada um vote da maneira que entender que deva votar."

Esse é um dos assuntos que a oposição (se é que existe mesmo uma) deveria usar para demarcar claramente a linha que separa o Brasil que presta da esquerda farofeira liderada pelo PT.

Assuntos como o desarmamento e a redução da maioridade penal são dois, dentre muitos, que colocam a esmagadora maioria dos brasileiros de um lado e a escumalha vermelha do outro.

Mas infelizmente até aqui não houve um candidato ou líder oposicionista que obrigasse o PT a se posicionar claramente sobre isso. Seja na propaganda eleitoral, seja nos debates, seja na pauta da imprensa, o PT recebe salvo-conduto para fingir que não está contra a maioria da população nesses e outros assuntos.

É preciso fazer com que Dilma Rousseff e os demais petistas digam claramente o que pensam sobre essas questões. Eles precisam ser levados debaixo de chicote para fazer uma dessas duas coisas: dizer que são contra a redução da maioridade penal, mantendo verdadeiros monstros a solta e que são a favor do desarmamento, mantendo o cidadão desprotegido ou então mentir descaradamente.

Chega de falar em privatização, em Bolsa Família, chega de chafurdar na lama do PT. A oposição precisa mostrar ao brasileiro que o PT representa tudo o que ele mais abomina.

Em tempo: já passou da hora de tratar como adultos os menores de idade que cometem certos crimes. Quem estiver com pena que adote e leve para casa. 



O animal da foto foi um dos que arrastaram pela rua e mataram o menino João Hélio. Depois de passar três anos tomando leitinho às custas do pagador de impostos ele voltou às ruas. Em 2012 foi preso novamente de posse de um carro roubado, maconha, cocaína e uma arma.

Vivandeiras, aprendam a lição com o Corvo

O Morgenstern lembrou muito bem que a Marcha da Família com Deus pela Liberdade original não pedia uma ditadura ou regime militar, mas pedia a retirada de Jango, um presidente caótico, do poder.

E só isso já faz a marcha original ser bem diferente dessa reedição de hoje, feita pela versão revolucionário Toddynho da direita, que ao invés de dar munição para a esquerda farofeira ficar por aí acusando todo não-marxista de vivandeira, deveria procurar esclarecer as pessoas, como muito bem lembrou de novo o Morgenstern, que Jango não era um presidente popularíssimo que foi derrubado por gorilas da ditadura como ensinam os professores comunas do Ensino Médio, mas que o país estava dividido e uma verdadeira multidão clamou pela sua saída.

O que houve depois não estava nos planos e nem nos desejos da maioria daquela multidão e posso falar muito bem pois venho de família lacerdista, que detestava o Jango e detestou igualmente o endurecimento do regime militar que veio depois.

Carlos Lacerda, aliás, é um bom exemplo para quem não gosta de ler e nem de pensar sobre o que ocorreu naquele tempo se informar melhor sobre como NINGUÉM queria uma DITADURA.

Uma rápida pesquisa na Wikipédia vai mostrar que o então governador da Guanabara, apelidado de "corvo", apoiou a tomada de poder pelos militares, era considerado um candidato fortíssimo à presidência na eleição de 1965, mas foi traído, cassado e morreu longe da política.

O estado que tanto amou e governou foi EXTINTO por DECRETO pelos militares, que o juntaram à força ao Rio de Janeiro, numa decisão traumática que trouxe resultados nefastos que duram até hoje.

Por isso antes de sair por aí com uma bandeira nas costas dizendo que o gigante acordou e berrando "intervenção militar já!", cumpre responder essa perguntinha bem simples: você gostaria de passar pelo que o Lacerda passou?

Coloquem a cabeça para pensar, ora porra (olaviando agora), é pra isso que ela serve.



segunda-feira, 17 de março de 2014

O enCino do PT

O PT tem toda razão em querer Dilma em 2014 e Lula em 2018, por que parar com esse trabalho excelente? Por que retroceder? Vamos adiante, avante, o abismo é só um detalhe. Mais uns anos e metade da população já estará tão idiotizada que poderá sair por aí andando sobre quatro patas que ninguém perceberá a diferença.

Daí bastará aos guerreiros petistas selar e montar nessa metade e avançar com a cavalaria em cima da metade que sobrou e ainda teima em praticar esse hobby desagradável que é pensar e discordar.



Quer se sentir um bosta? Ande de ônibus

Quer se sentir um merda? Ande de ônibus.

Eu sei que já tem os impostos, a corrupção endêmica, a falta de educação generalizada, as cidades favelizadas, as ruas imundas, a poluição incorrigível, o clima que não é lá essas coisas, mas se tem uma coisa que me incomoda muito no Brasil é a qualidade paquistanesa dos transportes públicos.

Aquela imagem de um trem na Índia ou Paquistão lotado de pessoas até o teto que de vez em quando circula pela internet sempre me vem à mente quando preciso usar algum transporte público brasileiro que não seja um jatinho executivo ou uma lancha  luxuosa, e como não ando em jatinhos ou lanchas, costumo pensar nisso o tempo todo.

Se você é uma pessoa bem sucedida, respeitada no seu trabalho, admirada em casa e tem a estranha curiosidade em saber como é que se sente um merda, é simples: utilize algum transporte público de uma grande cidade brasileira no horário do rush. O metrô no Rio, algum ônibus em São Paulo, qualquer trem urbano. São esses os locais onde a democracia brasileira funciona plenamente e todos são igualmente uns bostas perante a lei. 

Em uma cidade com clima de fazer inveja a uma chocadeira como é o Rio de Janeiro, o ar-condicionado do metrô quase nunca funciona direito, os vagões estão sempre superlotados, as paradas bruscas fazem o passageiro pensar que está num ônibus dirigido por um epilético. E por falar em ônibus, pior do que a falta de educação dos motoristas só mesmo os 50 graus que fazem no interior dos coletivos da frota carioca, onde ar-condicionado e uma velocidade média superior a de um Fusca com três rodas e problema na caixa de marcha são um luxo.

Sobre os trens, uma rápida passagem dará o tom: certa vez fui num show do Roger Waters no Engenhão. A organização estimulou as pessoas a irem de trem, pois o acesso e o estacionamento no local são complicados. Confiei neles e o que senti na volta do show, onde umas 500 pessoas eram comprimidas aos berros e empurrões pelos funcionários da Supervia em um vagão com capacidade para umas 200 me fez deixar de comer sardinhas em lata durante muito tempo, em solidariedade às minhas colegas de sofrimento.

Isso num show com entradas a 200 reais. Imaginem o que não passam diariamente os josés das couves que ganham mal, não têm uma cultura de reclamar e pagam em torno de 3 reais pela passagem. 

Falei disso tudo para comentar sobre o episódio envolvendo a Lucélia Santos, quando a atriz foi fotografada de pé e aparentemente suando em bicas num dos cata-cornos que a prefeitura do Rio de Janeiro e a Fetranspor chamam de ônibus. A foto foi veiculada nas redes sociais e Lucélia, muito justamente indignada, protestou diante de piadas envolvendo sua suposta situação financeira.

Foi aquela coisa "ih, para andar de ônibus deve estar mal de grana". 

Disse a eterna Escrava Isaura: "o Brasil é o único país que conheço em que andar de ônibus é politicamente incorreto!!!!!!! Vai entender. Isso porque os ônibus aqui, e transportes coletivos de um modo geral, são precários e ordinários, o que mostra total desrespeito à população! Em qualquer país civilizado, educado e organizado, é o contrário. As pessoas dão prioridade a transportes coletivos para proteger o meio ambiente. Os governos deveriam investir em transportes decentes para a população, com conforto e dignidade, e depois pretender fazer discursos pelo mundo".

A associação feita pela pessoa que a fotografou com o fato dela possivelmente só andar de ônibus por estar sem dinheiro é a mesma que os governantes brasileiros fazem para tratar o transporte público da forma que tratam: é coisa de pobre e por ser coisa de pobre será tratado como coisa de pobre.

Em qualquer lugar um pouco mais desenvolvido do que Banânia trens e metrôs são rápidos, confiáveis e possuem certo nível de conforto. Sua extensão atende amplas regiões da cidade e todo mundo usa. O automóvel fica restrito para passeios de final de semana, viagens e ocasiões extraordinárias.

Mas o brasileiro é aquele pobretão que começa a ganhar um pouco melhor e passa a vender o almoço para comprar a janta com a intenção de pagar a prestação do carro zero. Se mostrar para os vizinhos é mais importante do que tudo. Daí que, assim que pode, todo mundo corre para o automóvel e fica zombando de quem ainda usa transporte público.

Não interessam as horas de engarrafamento, o custo, o que se paga em troca de tão pouco. Isso demonstra a falta de cultura de uma população que não consegue nem enxergar como ônibus, trens e metrôs decentes, funcionando 24 horas e atendendo as pessoas com dignidade, tornariam sua vida melhor.

Aqui o idiota orgulhoso coloca logo no carro um adesivo com a inscrição "Foi Deus que me deu", quando o certo deveria ser um "Deus me deu um cérebro, mas preferi trocar por esse Palio 2010 e mais 48 prestações".



sábado, 15 de março de 2014

Ao invés de UPP, uma UOC, Unidade de Ocupação Capitalista

Imaginem que loucura: ao invés de avisar aos traficantes que a polícia está chegando, o governo do Rio de Janeiro chegaria ali de surpresa e, baseado num trabalho prévio de inteligência, atacaria justamente onde estão bocas de fumo, fortalezas e depósitos, prendendo gente, matando quem resistisse e, claro, não conseguindo impedir algumas fugas.

Após isso, algumas frentes de ação seriam abertas. A primeira visando capturar os fugitivos, investigando e congelando seus bens e de familiares próximos, garroteando seus recursos até que se conseguisse prender cada meliante.

A segunda seria a tomada policial do local libertado do tráfico, poderia continuar se chamando UPP, tudo bem, o policiamento ostensivo e comunitário, respeitando os moradores do local e não se comportando como força de ocupação, garantiria a segurança e impediria tentativas de retomada do lugar por membros remanescentes do antigo bando ou por outras quadrilhas.

A terceira e última não seria a tal UPP social de que tanto falam e nunca acontece, porque o Estado não tem competência para nada além de confiscar e roubar. No lugar de órgãos públicos, o Estado simplesmente abriria ruas, colocaria uma infra-estrutura minimamente decente, zeraria TODOS os impostos e daria incentivo para que a iniciativa privada colocasse ali lojas, lanchonetes, cursos, creches, escolas, supermercados, coleta de lixo, etc, etc, empregando as pessoas do próprio local e permitindo que elas passassem a ser "donas" do lugar e não o tráfico.

- O senhor quer montar um cinema na Rocinha? Tudo bem. TODOS os seus impostos serão ZERO durante dez, vinte anos, seus gastos serão apenas com os seus insumos e pagamento de pessoal, o resto todo será LUCRO.

Essa é a palavra chave: lucro. A partir do momento que abrir uma pizzaria seja tão lucrativo quanto fazer gatonet ou transporte irregular, as favelas terão uma chance de deixar de ser favelas e a ocupação da polícia será tão natural quanto é em qualquer outro bairro.

Traficante ali nunca mais terá vez. Mas enquanto deixarem os bandidos a solta e colocarem só polícia nas favelas, baixando o pau em todo mundo e o lugar continuar sendo um lixão, infelizmente não vai haver força bruta que impeça esses ataques que andam ocorrendo.

Eu ainda prefiro a remoção de tudo o que for possível e o reassentamento em outros locais, mas se não existe coragem para isso, que pelo menos exista para garantir que toda essa gente não sofra mais ainda do que já sofre.



sexta-feira, 14 de março de 2014

Dúvidas e certezas

Rui Falcão vai à Venezuela junto com a mulher de Delúbio Soares para prestar solidariedade ao ditador Nicolás Maduro.

A notícia já seria nauseante se não sobrassem dúvidas sobre quem vai pagar a turnê bolivariana e certezas sobre a natureza abjeta da política externa do PT, que rebaixou o Itamaraty e o Brasil ao status de marafonas de proxenetas de quinta categoria.

Em qualquer país com um pingo de vergonha na cara muita gente no PT trocaria o terno e a gravata por um macacão laranja e três refeições por dia, mas como isso aqui é o Brasil, fica essa sensação de que o país deixou de existir como nação e que em seu lugar ficou um diretório estudantil comandado por comunistas velhos e mitômanos que sofrem de complexo de Peter Pan e cleptomania avançada.



Progressistas progridem para onde?

Se tem um termo vazio e enganador este é o tal "progressista".

Fiéis do PT e do resto da esquerda adoram se chamar dessa forma, mas vejamos: onde está o progresso em defender um governo que já está pendurado no poder há mais de uma década e se puder ficará mais umas 10?

Fora que:

1) Um progresso pode ser muito mais lento do que se deseja.

2) Pior, pode ser na direção errada.

3) Ainda pode se dar pela contra-mão.

4) Pode ser um progresso diante de um abismo, mais ou menos como a cena final de Thelma e Louise.

Todos os "progressos" que esses "progressistas" dizem que representam se enquadram nos piores casos.

Sendo assim, concordo que sejam mesmo progressistas, mas que se atirem do alto do abismo sozinhos, meu final de filme preferido nesse caso é aquele do Grease, onde Danny e Sandy vão embora num carro voador, até porque com esse trânsito...

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Brasil, país do futebol, do carnaval e dessas coisas aí.

(Clique na imagem para aumentar)

quinta-feira, 13 de março de 2014

Muito ajuda quem não atrapalha

Infelizmente grande parte do eleitorado de oposição é composto por idiotas que só conseguem ler uma manchete, donas de casa com raiva do cara da feira que querem descontar isso na internet achando que até a falta de educação do feirante é culpa da Dilma (quando até é, mas o pior é o preço do tomate), pré-adolescentes onanistas que só querem "trollar" o tempo todo e gente que não sabe canalizar sua insatisfação e seu desejo de mudança numa ação de auto-educação que o leve a ser um melhor debatedor, argumentador, convencedor.

Gente que fica espalhando coisas como a foto do Joaquim Barbosa rasgando a Constituição ou aquele perfil falso da Camila Pitanga que chama o José Dirceu de "rei" (ela provavelmente até pensa isso, mas não seria BURRA de dizer assim abertamente na internet, burro é quem pensa que ela seria).

Pessoas que repassam a imagem de algum evento na Índia com uma legenda dizendo que é em Recife e nem desconfiam daquele coroa de turbante no canto direito da foto, que ao menor sinal de discordância ou ao ouvir o primeiro "olha, você está errado" já começam a chamar os outros de petralha enrustido, comuna, o escambau.

Enfim, é gente que deseja o melhor para o país (ou o menos pior, sei lá), mas só ajuda o PT e sua militância virtual paga com o nosso dinheiro a criar essa imagem de que aqueles que se opõem ao partido são "classe média burra que repete senso comum e torce contra o país".

Como não dá tempo daqui até a eleição de todos eles se educarem e deixarem de ser essas cavalgaduras que praticamente só dizem platitudes e patacoadas, o melhor seria que se calassem e apenas comparecessem no dia da eleição para fazer a única coisa que podem para ajudar efetivamente a derrotar o PT, que é votar.

Deixem o resto para quem não vai atrapalhar.

O Rio de Janeiro continua lindo

Esta na foto é a Baía de Guanabara, cartão postal do Rio de Janeiro e local que receberá os esportes náuticos nas olimpíadas. Maravilha, né?

Sei que muita gente fica irritada quando digo isso, que acham até que só posso "ser paulista" para falar algumas coisas, alguns até ficam com raiva de mim pessoalmente, mas não posso me furtar em dizer a minha verdade.

O Rio de Janeiro é uma cidade caótica. Um dos maiores cases de propaganda enganosa da história. Péssimos transportes, péssimos serviços, custo de vida caríssimo que não condiz com o que a cidade oferece a quem mora nela, trânsito ruim, investimentos realizados sem o menor critério, enfim, uma cidade até boazinha para passear mas muito ruim para morar.

Essa olimpíada, que poderia ser uma oportunidade para mudar alguma coisa para melhor está sendo um desperdício. O dinheiro público sumindo pelo ralo e as obras realizadas sendo pensadas para os quinze dias do evento e não para o resto da existência da cidade.

Um metrô horroroso, em linha, que vai catando gente que nem gado pelo caminho e quando chega na metade do trajeto já está pior do que um caminhão de levar galinhas, ônibus dirigidos por boçais, táxis que não respeitam minimamente qualquer lei ou regra de civilidade, polícia despreparada e mal paga, flanelinhas, pivetes, camelôs, transporte irregular, despejo de lixo, sem contar que, tirando a zona sul e algumas poucas localidades (que não são boas, mas apenas menos ruins), a cidade é um favelão onde falta água e luz constantemente e o abandono é ainda maior.

O povo no Rio de Janeiro se divide em três categorias: os alienados que realmente acreditam nessa balela de cidade maravilhosa e que são a maioria, um segundo grupo também grande que vive da especulação sobre essa imagem fajuta e explora turistas e incautos e um terceiro, bem pequeno, de gente que sabe que o Rio de Janeiro não passa de uma Osasco a beira mar.

Se tirarem as montanhas e as praias sobra um amontoado de prédios horríveis, pontos turísticos caros e com péssima organização e infra-estrutura, ruas apertadas e mal cuidadas, montanhas de lixo, serviços caros e ruins e muita gente mal educada e mal humorada.

Óbvio que existem os bons e é claro que nem tudo na cidade é problema, apenas uns 90%.


Contatos imediatos do terceiro grau

E se a USP for uma dessas naves-mãe de filmes sobre alienígenas que propagam uma espécie de campo de força idiotizante transformando seus andróides em militantes do PSOL, PSTU, PCO e outras aberrações?

Ver um cartaz convidando as pessoas para uma "roda de conversa" focada em "transfeminismo: o ser além da genitália" me faz pensar que de duas, uma, eles não são desse planeta ou eu é que não sou.

Outro dia vi um post do deputado-BBB Jean Wyllys reclamando de uma tal de "homolesbotransfobia", agora aparece esse "transfeminismo", será que o plano dessa gente é dar tilt nos corretores ortográficos ou apenas no saco alheio mesmo?

Pegue praticamente TUDO que faculdades de humanas produzem no Brasil e a única conclusão a que se chega é que o país dispõe de muito dinheiro e papel sobrando, porque só aparece material imprestável.

Melhor seria caso fosse mesmo uma invasão alienígena, pelo menos poderíamos erguer uns parques temáticos e cobrar entradas para diminuir o prejuízo.