quarta-feira, 26 de março de 2014

Cuidado com o que for curtir por aí

"Combate ao Marco Civil da internet é caso de polícia". "Pela criminalização da apologia à ditadura militar".

Fui pesquisar dados sobre o marco civil da internet no Google e me deparei com essas duas chamadas de um tal "Blog da Cidadania", mais um desses conhecidos "blogs progressistas" cheio de links para outros exemplos de imparcialidade e defesa da democracia como o Brasil 247 e o Conversa Afiada.

Uma pede que a polícia dê um jeito nesses reaças que não querem uma LEI controlando a internet, outra diz que a "apologia" da ditadura militar deve ser criminalizada.

Noves fora o total silêncio sobre a apologia das ditaduras cubana e venezuelana, já pode se notar por aí como quem defende o tal marco civil só deseja que a internet seja mais "livre". Livre de opiniões que os desagradam, por suposto.

Em outro link, esse do jornal O Globo, o sociólogo Sérgio Amadeu da Silveira, representante da sociedade civil (engraçado que faço parte da "sociedade civil" e nunca votei no Sr. Sérgio para me "representar") no "Comitê Gestor da Internet no Brasil" (imagine que delícia, um "comitê" para gerir a internet), dizia que o marco civil coloca o país na "vanguarda na defesa dos direitos dos internautas".

Isso apenas quer dizer que a velha lei Márcio Moreira Alves - "o que só existe no Brasil e não é jabuticaba, é besteira" - continua válida como sempre. Se o Brasil está na "vanguarda de alguma coisa", ainda mais algo saído da mente dos psicopatas da esquerda, pode ter certeza que não presta.

Mais adiante, o sociólogo (sociólogos palpitando sobre a "liberdade" na internet equivale a pastores evangélicos responsáveis por conceder alvará para uma passeata gay) diz que "o texto foi piorando ao longo do tempo, mas ainda é aceitável".

O que piorou? A retirada da exigência de que dados de brasileiros ficassem armazenados em data centers construídos no país e a liberdade para o governo regulamentar a lei por decreto, ou seja, para o sociólogo defensor dos seus "direitos", seus dados de navegação deveriam ficar armazenados em computadores ao alcance de um chute na porta da Polícia Federal ou da Força Nacional e o governo poderia baixar decretos criminalizando até uma curtida num post do Olavo de Carvalho.

Se isso tudo já não basta para te provar que esse marco civil é furada, me desculpe, mas sugiro que você pare de me ler agora e vá fazer um lanche. Tenho certeza de que o capim vai ser muito mais gostoso do que essa leitura.


Link da notícia no Globo: http://oglobo.globo.com/pais/para-especialistas-marco-civil-da-internet-combina-liberdade-regulacao-equilibrada-11985798



0 Comentários