quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Dirceu Donadon - Publicado originalmente em 29 de agosto de 2013

Vamos brincar de adivinhação (gosto disso). Ontem a Câmara livrou da perda de mandato o deputado condenado, Natan Donadon.

Não é apenas um "condenado", mas um cidadão que ocupa uma cela no presídio já com praticamente todos os recursos esgotados e que a partir desta data será, talvez, o primeiro deputado-presidiário do mundo.

Mas será que o Congresso se exporia a tal desgaste (como se pudesse mais) só por conta de um parlamentar do baixo-clero eleito por Rondônia? Talvez sim. Ou será que apenas pavimentou caminho para manter os mandatos dos mensaleiros do PT, que são os próximos na fila para uma cama no presídio?

Dito isso, o que o PT faz é, mais uma vez, continuar com seu sistemático processo de solapar a democracia e desacreditar as instituições, a ponto das pessoas se perguntarem "afinal, para que essa palhaçada toda?".

Não existe uma ditadura sequer na história que não tenha começado justamente assim.

Será que justo no Brasil a história vai ser diferente? Logo aqui?

Uma segunda situação: o governo petista demitiu um chanceler, ordenou que uma comissão de inquérito "triture" um diplomata que tirou um senador que vivia há 15 meses num cubículo na embaixada brasileira em La Paz, impedido de sair do país por conta da recusa de Evo Morales de fornecer-lhe um salvo-conduto (o Brasil concedeu asilo ao homem) e a presidente mostrou-se irada num primeiro momento, com aquele "absurdo" contra o companheiro Evo.

Só que ontem, com mais tempo para que os estrategas do PT pensassem melhor, a presidente mandou dizer que não vai extraditar o senador de volta para a Bolívia.

O que mudou da primeira atitude (de apoio total e "desagravo" à Bolívia) para a segunda, de negar publicamente um pedido já feito pelo companheiro Evo para que devolvesse o fugitivo para lá? Um súbito sentimento humanitário por parte de um governo que manteve uma pessoa numa situação parecida com um preso do DOI-CODI (palavras do diplomata que o retirou de lá)?

Ou isso pode ser respondido com outro exercício de adivinhação?

Digamos que o STF termina de julgar todos os recursos do mensalão, condena os petistas José Dirceu, João Paulo Cunha e José Genoíno a uma temporada na gaiola, a sentença é publicada e dá-se o "cumpra-se".

Um dia antes disso os três porquinhos do PT caminhando pela rua se deparam com uma surpresa:

- Olha! A Embaixada da Bolívia!

E têm uma epifania:

- E se a gente entrasse ali e pedisse asilo ao companheiro Evo, alegando julgamento político, perseguição do PIG, linchamento midiático, injustiça da elite contra "guerreiros que lutaram pela democracia e pelo povo"?

Será que justo o PT seria capaz disso? Logo o PT?

Pense você o que quiser, como eu disse, é exercício de adivinhação.




0 Comentários