sexta-feira, 7 de março de 2014

Dois diálogos de um leitor da Veja

Cena 1:

O mesmo personagem da historinha acima estava no metrô exercendo seu direito constitucional de ir e vir (que no Brasil não inclui conforto) e , de repente, vê um senhor de idade em pé, prontamente oferecendo o lugar.

O coroa sentou e retirou um exemplar da Veja (sei que o certo seria "de Veja", mas acho feio falar assim) e começou a ler.

De brincadeira, o nosso pagador de impostos inicia um diálogo que terminou se mostrando recompensador:

- Lendo a sua Veja, né?

- Não perco uma edição.

- Nem eu, mas olha, se fosse a Carta Capital eu ia pedir o lugar de volta...

E ele rindo respondeu:

- Meu filho, se você fosse um desses comunistas de shopping center que lêem Carta Capital,
nem teria oferecido o lugar e se eu lesse Carta Capital, não te esperaria me oferecer, mas tentaria tomar de você.

Os dois riem muito, o cidadão chega na sua estação, eles dão tchau um para o outro e seguem seu dia com um sorriso no rosto.

Moral das histórias: não tem moral, só que esquerdistas podem ser muito divertidos quando não estão tentando tomar alguma coisa de você.

Cena 2:

Um sujeito passa pela rua quieto, cuidando da própria vida e de repente aparecem três meninas com bandeiras da UNE nas costas e um balde na mão.

- Pode dar um minuto da sua atenção?

- Claro! Estou sempre interessado no que membros da gloriosa União Nacional dos Estudantes tem pra dizer.

- Então, estamos coletando doações para a UNE e...

São interrompidas no ato:

- Fora a renda das carteirinhas?

- Então, as carteirinhas...

- Fora os 30 milhões para o prédio que nunca foi construído?

- Então, o prédio vai começar a ser construído...

- Fora a grana que a Procuradoria disse que foi gasta comprando roupas e bebidas?

- Já vi que você não vai dar, né?

Nessa hora o honesto cidadão chama um morador de rua que estava perto e pergunta:

- Bebe uma cachacinha?

- Bebo sim.

- Então toma 10 reais aqui pra você beber.

O sujeito vai embora beber sua pinga e o patrocinador da bebedeira ainda completa para surpresa das três:

- Prefiro sustentar esse vagabundo.

(Acompanha a foto das meninas do balde com as cabeças cortadas para preservar sua privacidade, mas não que as cabeças fossem fazer muita diferença, já que são ocas mesmo).



0 Comentários