segunda-feira, 24 de março de 2014

O Rio não precisava ter se transformado numa imensa Barra da Tijuca


Jamais entenderei a opção que as cidades brasileiras fazem pela feiura. Tivemos uma colonização que nos deixou algumas belas construções e cidades quatrocentonas que poderiam exibir senão a grandiosidade de uma metrópole europeia, pelo menos a graça e a dignidade de quem preservou sua história.

Não temos muitos prédios suntuosos como Paris, aquelas avenidas largas de Buenos Aires, mas os sobrados do Rio Antigo com certeza ganham de goleada desses caixotes de concreto horrorosos.

Certa vez eu passava pela rua Sete de Setembro quando me deparei com um lindo sobrado cheio de detalhes e na hora pensei: como o Rio seria bem mais bonito se todo o Centro e as regiões no entorno fossem desse jeito. E eram.

A preservação passaria por não conceder alvarás para que ponham sobrados centenários abaixo para construir verdadeiras estufas de vidro e por não permitir que lojas variadas, desde quinquilharias até lanchonetes, transformassem seu térreo num favelão.

A pastelaria do Chan e a loja de tecidos do Farid continuariam no mesmo lugar, só que suas portas e a ocupação da área externa não ofuscariam a beleza dos prédios.

Experimente dar um passeio pela região mais antiga da sua cidade e olhar para o alto. Provavelmente acima daqueles colchões e fogões na calçada estará uma arquitetura tão interessante quando essa da foto.

Sei que a preservação desses prédios impediria que a cidade crescesse verticalmente nessa região, mas isso é melhor ainda. Um sistema de transporte decente e um crescimento ordenado para as periferias do mapa faria a vida de todo mundo ser bem melhor.

Não dá para acomodar todos os moradores em uma mesma região, mas se as regiões não competissem entre si para ver qual é a pior em qualidade de vida isso não faria tanta diferença.

E esses prédios cheios de empenas cegas, paredes externas com detalhes coloridos e modernosos ou paredões de vidro bregas também continuariam no mesmo lugar.

A Barra da Tijuca já existe para isso.
0 Comentários