terça-feira, 11 de março de 2014

O socialismo e o indivíduo

O desabastecimento na Venezuela atingiu tal grau que as pessoas estão sendo marcadas que nem gado nas filas para garantir seu lugar.

Este é o país em que Lula disse que existe "democracia até demais" e que o governo Dilma apoia incondicionalmente, creditando os protestos constantes da população como coisa da "burguesia fascista".

O socialismo, mesmo nadando em petróleo, só consegue criar esse tipo de coisa. A pobreza, a redução das pessoas a números, a servidão em troca de não ser preso ou não morrer de fome, a desumanização.

Seja na Rússia ou nas ex-repúblicas soviéticas, seja nos países da antiga cortina de ferro, seja em Cuba, na Coréia do Norte, na China ou na Venezuela, as politicas socialistas transformam o cidadão em gado, em pedinte, em um exilado dentro de seu próprio país.

Nada é mais importante do que o indivíduo. Sempre que alguém falar em "bem comum" ou em "igualdade" (igualdade de quem e a quem?) fique sabendo que o sacrifício do indivíduo sacrificará o coletivo, pois assim como este não existe sem o outro, não é possível o bem coletivo sem o bem individual.

Só a liberdade é capaz de garantir a dignidade humana e não existe liberdade fora do indivíduo.

Nota final: a tentação de comparar a imagem com um campo de concentração foi grande, mas a Lei de Godwin me constrangeu a não fazê-lo.

Link da notícia: http://www.businessinsider.com/venezuelans-marked-with-numbers-for-food-2014-3



0 Comentários