terça-feira, 13 de agosto de 2013

PTbras - Publicado originalmente em 13 de agosto de 2013

Em sua novíssima e já incontornável coluna no site de Veja, o economista Rodrigo Constantino fez uma análise intitulada "Petrobras: o retrato da destruição" falando sobre o endividamento e a crise que se avizinha na estatal do petróleo.

O título poderia muito bem também definir o legado desta Era da Mediocridade que é o governo do PT iniciado em 2003. 

"Brasil: o retrato da destruição".

Com o seu chorrilho de aproveitadores ocupando cada espaço do governo, sua fome por verbas, sua pouca ou nenhuma responsabilidade para com a coisa pública e com a forma como gasta o dinheiro do pagador de impostos, o que o PT faz no Brasil é exatamente o que faz em escala na Petrobras: uma destruição sistemática.

Já em 2009 era denunciado pela imprensa que duas empresas de fundo de quintal (uma delas do rapper MV Bill) levaram R$8,2 milhões da estatal em contratos do departamento de marketing da empresa. De lá para cá duvido que tenha melhorado.

Como tudo relacionado ao PT, a coisa só piora.

Em 2010 notícias davam conta do sucateamento progressivo da empresa e em 2011 o número de vazamentos ocorridos sob responsabilidade da Petrobras foi o dobro dos vazamentos da Chevron.

Sem contar um dos garotos-propaganda da campanha de Dilma Rousseff em 2010, o navio petroleiro Antônio Cândido, que tendo custado à Petrobras a bagatela de R$ 336 milhões, foi lançado ao mar (e rebocado de volta logo ao término do lançamento) com soldas defeituosas e tubulações que mal se encaixavam. Corria o risco de desfazer-se em alto-mar.

Junte a isso a companheirada pendurada na estatal e suas subsidiárias (algumas cheias de petistas que ganham salário de cargo de confiança mas passam o dia fazendo política em comunidades, universidades e redes sociais) e o resultado não poderia ser outro: destruição.

Toda vez que querem falar sobre privatizações, os petistas berram (já notou como esquerdista nunca fala, só berra?) que o presidente Fernando Henrique já estava "preparando a venda da Petrobras" e para facilitar o processo desejava até mesmo mudar seu nome para "Petrobrax".

Pena que ao invés de vendida, tornado lucrativa e rendendo mais em impostos do que rendia em dividendos quanto estatal, como aconteceu com a Vale do Rio Doce, a petrolífera foi privatizada por um partido, que não a comprou mas levou, e só falta mesmo rebatizá-la para PTbras.

Tudo no melhor estilo petista de administrar: eles ficam com os lucros, o pagador de impostos com o prejuízo.




0 Comentários