sábado, 7 de setembro de 2013

O dia da independência

7 de Setembro.

Critique e até duvide da Independência do Brasil, é seu direito.

Hoje teoricamente é um dia para se comemorar, mas os realistas preferem usá-lo para pedir que a pátria seja menos madrasta e mais mãe.

Que os caminhões de dinheiro que são tomados do pagador de impostos sejam revertidos numa melhor qualidade de serviços e que o Estado finalmente consiga entender qual é o seu tamanho e onde deve ou não atuar.

Mas vivemos numa democracia e esta é a minha visão. Existem outras visões de quem deseje mais Estado, mais intervenção, mais impostos, mais loteamento de cargos públicos.

É do jogo, a democracia pressupõe até a convivência forçada com idiotas.

Só que até a imbecilidade tem limite. Como, repito, como alguém pode utilizar da sua liberdade individual, no dia da independência do seu país, para festejar uma ditadura estrangeira onde não haveria o mesmo direito de manifestação?

No dia da Independência do Brasil, bandeiras de Cuba escalaram o monumento aos bandeirantes no Parque do Ibirapuera. Não para pedir mais ou menos governo, mais ou menos intervenção do Estado na economia, mas para pedir ditadura.

Sim, precisamos colocar os pingos nos Is e chamar os admiradores de Cuba pelo que eles são: pessoas que não respeitam a liberdade do outro.

E como vivemos em uma democracia, que garante o que eles não querem garantir aos demais, temos a obrigação de tolerá-los, mas não temos a menor obrigação de respeitá-los e temos o dever de não permitir que consigam o que pretendem.



0 Comentários