quarta-feira, 30 de abril de 2014

Ah, se fossem tucanos

Aquela linguagem de vala negra está toda presente ali, incluindo a marca registrada da petistagem mais baixa, os "kkkkks" estilo André Vargas.

Com vocês, um pouco mais do tratamento que a deputada Mara Gabrilli está recebendo por ter ousado denunciar o flat onde José Dirceu vive na Papuda.

Imagine agora um tucano fazendo deboches e ataques a um cadeirante do PT ou a Rachel Sheherazade dizendo que "sente nojo" de um parlamentar do partido no Twitter.

Atores canastrões, militantes pão com mortadela, socialistas bronzeados e demais animais da fauna "progressista" estão liberados.


(Clique na imagem para ampliar)

Preparem-se coiotes

Tem que acabar com o latifúndio para plantar maconha, entendeu?
Depois que o Brasil tiver regulamentado a proibição total de armas, a liberação da maconha, o controle da mídia, a relativização da propriedade, a idade penal mínima de 35 anos, o "casamento" gay, alguma letra de funk como hino nacional, o ensino da zoofilia no jardim de infância para combater o preconceito de espécies, cortes de cabelo e roupas iguais para homens e mulheres afim de acabar com a discriminação de gênero, a abolição da gramática para dizimar o "preconceito linguístico", o envio de reacionários e coxinhas como Rachel Sheherazade e Lobão para campos de reeducação, a transformação do congresso da UNE em órgão revisor das decisões da Câmara dos Deputados, do Senado e do STF, a entrega do agronegócio para o MST e o regime bi-partidário PT-PSOL, a única coisa que vai faltar será construir um muro nas fronteiras do país para impedir que imigrantes suecos, holandeses, noruegueses, dinamarqueses, canadenses e suíços invadam o Brasil em busca de uma vida melhor.


Centenário de Carlos Lacerda

Ele não se intimidava perante pretensos pais da pátria, não se curvava ao populismo rastaquera, possuía cultura admirável, escrevia magistralmente, foi um dos maiores oradores da história do país (dizem ter sido o último político brasileiro capaz de despertar paixões com um discurso), e quando disseram que ele só falava, foi lá e fez.

Governou a Guanabara e deixou obras que até hoje, 50 anos depois, ainda servem o povo do Estado que não existe mais, mas que ele serviu com muito trabalho e dedicação.

Errou e pagou pelos seus erros um preço alto demais. Morreu longe da política, longe do destino que certamente merecia, a presidência da República. Talvez hoje o Brasil fosse melhor, certamente seria diferente.

Se vivemos hoje na Era da Mediocridade é porque temos gente de menos como ele foi, talvez nenhum, e gente demais igual ao que ele combateu.

Jornalista, vereador, deputado e governador. Mas acima de tudo inesquecível. Caluniado, difamado mesmo após a sua morte, ninguém até hoje conseguiu superar seu legado, transformar para melhor a cidade do Rio de Janeiro e mostrar, como ele mostrou, que fazia mais do que falava.

Carlos Frederico Werneck de Lacerda nascia nesta data há 100 anos e marcaria para sempre o século em que viveu.

Parabéns, governador!



Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Todos sabem que não há limite para a baixaria de petistas na internet. A tropa virtual do partido do mensalão é composta por dois dos piores tipos de pessoas que podem haver no mundo: puxa-sacos que dependem da demonstração constante de subserviência para viver e gente fracassada na vida que desconta suas invejas pessoais na sociedade para dar vazão à frustração de sua existência.

Tanto uns quanto outros não tem problema algum em despejar bile, fezes, abjeções e mais o que houver dentro de suas cabeças.

Uns dependem da continuidade do governo mais corrupto da história para mamar um pouco das sobras do leite que a nomenklatura joga para eles, outros querem apenas defecar na própria mão e jogar o conteúdo na platéia, com uma diferença brutal para macacos de zoológico, já que no caso de petistas as vezes saem do rascunho de cérebro que possuem.

Mas vamos prosseguir.

Não sou adepto da teoria do sofrimento pedagógico, detesto quem acredita nisso. Ninguém fica doente, pobre, leva um pé na bunda, é assaltado ou qualquer outra coisa para "aprender uma lição". Sofrimento não serve para melhorar e nem piorar ninguém.

Sendo assim já seria terrível alguém apelar para isso ao invés de atacar somente as idéias da pessoa, mas o que petistas de grosso calibre e mesmo aqueles equivalentes a um traque de pulga estão fazendo com a deputada Mara Gabrilli na internet desde que ela OUSOU denunciar que José Dirceu, o marginal condenado, está vivendo num flat com direito até a TV de plasma dentro do presídio da Papuda é de fazer corar até os mais calejados.

Coisas como "Deficiência d pernas tem cadeira d rodas..E pra deficiência do caráter?", "Foi a água sagrada que caiu da GOTEIRA e molhou a gloriosa deputada.", "Levanta-te, anda-te e acuse-me, mais uma vez sem provas! Disse ele ao proferir o milagre!" e a pérola "Nem cadeirante te faz um ser humano melhor, @maragabrilli! Tá fazendo o quê na Terra, venal?".

Detesto o politicamente correto, não sou adepto do vitimismo e sei que a deputada não se faz de vítima, mas a pergunta que qualquer cidadão normal, ou seja, que não tenha sido contaminado com essa doença degenerativa da moral que é o lulopetismo deve fazer é a seguinte: é esse tipo de gente que você quer dominando o país? São os patrões desse tipo de gente que você quer nos mais altos postos da República?

E esse desespero todo é porque a Incompetenta caiu alguns pontos na pesquisa, imaginem o que vem por aí se ela cair mais e chegar a ficar atrás de algum adversário.

O PT é o partido do ódio, do rancor, da inveja, da destruição, da divisão do país ao meio com cada metade odiando a outra. É por isso que merecem perder, nosso futuro não merece isso.

P.S.: vocês sabem que costumo apagar os nomes de quem aparece nessa série, mas esse tipo de gente merece e precisa ser exposta. Que recebam o tratamento que merecem.


(Clique na imagem para aumentar)

Bateu o desespero

Dilma anuncia 10% de reajuste no Bolsa Família, quer dizer, vai querer comprar a saída da crise subornando o eleitor com 50% menos do que a companheirada cobra de "taxa de sucesso" pra empreiteiro.

Pessoas dentro da farda

Dificilmente coloco textos de terceiros aqui, mas esse do Ruy Castro que saiu hoje na Folha é leitura obrigatória. 

Dentro da farda, existe uma pessoa, um filho, um pai, um marido, um amigo, um padrinho, um torcedor, uma pessoa que sofre, que é feliz, que ri, que chora, que sente fome, medo, dor, alegria, euforia, paixão, amor, insegurança, dúvidas, certezas, enfim, dentro da farda existe um humano como cada um de nós. Quem chora por eles além de suas famílias e amigos? Quem protesta por eles? A quem interessa que a nobre missão deles fracasse?

Fora UPP? Fora PM? Não.

Fora a bandidagem e fora vocês, defensores da escória, exploradores da miséria, carniceiros da hipocrisia, sequestradores da virtude.

Pessoas dentro da farda

Por Ruy Castro

A 13 de março último, o aspirante a oficial da PM, Leidson Alves, 27 anos, foi morto com um tiro na cabeça por traficantes durante um patrulhamento no morro do Alemão. Foi o 19º PM morto neste ano no Rio, sendo 13 em emboscadas parecidas –alguns quando estavam de folga. A 7 de abril, ao voltar para casa, outro PM, Lucas Barreto, 23, foi capturado em São Gonçalo e levado para uma favela. Deram-lhe oito tiros, a maioria nas pernas, e o jogaram num matagal.

Desde então, não sei a quantas anda a estatística de PMs cariocas mortos ou feridos –não em combate, como de praxe no ofício, mas pelas costas, à traição. Nem sempre os jornais registram que o policial assassinado era jovem, recém-casado, filho exemplar ou pai de filhos. Artistas da Globo não vão a seus enterros. Não se sabe de missas por suas almas e, na verdade, ninguém está interessado. É como se não houvesse uma pessoa dentro da farda.

Nas últimas “manifestações” no Rio, elementos brandiram cartazes dizendo “Fora UPP” e “UPP assassina”. É fácil protestar contra as Unidades de Polícia Pacificadora. Quando um policial comete um excesso ou mata alguém, pode enfrentar processo, ser expulso da polícia ou ir preso. Mas ainda não se viu nenhum cartaz dizendo “Fora traficantes”. E, no entanto, contra a violência destes, não há recurso –a comunidade tem de aceitar calada os tapas na cara, o estupro de suas filhas e as execuções sumárias de quem eles considerem suspeitos.

É difícil acreditar que essa hostilidade à polícia parta de gente de bem nas comunidades. Os números mostram que, com as UPPs, as mortes diminuíram, os serviços aumentaram e sua economia cresceu.

Tais dados são lesivos, isto, sim, aos traficantes, às milícias, aos que vivem das migalhas do crime e a políticos que, para sobreviver, precisam que as UPPs fracassem.

Link da coluna:http://www1.folha.uol.com.br/colunas/ruycastro/2014/04/1447437-pessoas-dentro-da-farda.shtml



Parabéns, Olavão

Funciona assim:

Dizer que tem uma religião? Vergonha.

Dizer que gosta de dar o toba? Orgulho. 

Dizer que é uma pessoa de família? Vergonha.

Dizer que fuma muita maconha 4:20 doidão porra? Orgulho.

Dizer que quer dar a primeira vez apaixonada? Vergonha.

Botar as tetas para fora e escrever com aquelas canetas de marcar carne no açougue "sou vadia" na própria pele? Orgulho.

Defender um policial honesto que é ferido em serviço? Vergonha.

Chamar a polícia in totum de "porcos fascistas"? Orgulho.

Ler Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo ou Marco Antônio Villa? Vergonha.

Retuitar o Ghiraldelli desejando que a Sheherazade fosse estuprada? Orgulho.

Compreender quando a Sheherazade diz que compreende quem bate num marginalzinho? Vergonha.

Molhar calcinhas e cuecas quando a Chauí só faltou mandar queimar a classe média na fogueira? Orgulho.

Trabalhar, estudar, pagar impostos, comprar suas coisas? Vergonha.

Passar 200 anos numa federal como estudante profissional, sair dali para se encostar num sindicato ou cargo arranjado por partido, apoiar black bosta e chamar quem não faz isso de "coxinha"? Orgulho.

Dizer que não aguenta mais tanta corrupção, ainda que isso não sensibilize os corruptos? Vergonha.

Fazer vaquinha para ajudar corrupto na cadeia? Orgulho.

Ser um dos 120 mil que votaram no ex-capitão Jair Bolsonaro? Vergonha! Um mandato ilegítimo.

Ser um dos 13 mil que votaram no ex-BBB Jean Wyllys? Orgulho, e daí que ele entrou no coeficiente dos outros?

Mas marxismo cultural, gramscismo, bolivarianismo, venezuelização, inversão de valores e o escambau é coisa de olavete.

Por falar nisso, parabéns atrasado pelo seu aniversário, professor Olavo de Carvalho, muita gente só enxerga isso tudo aí, inclusive eu, por conta da sua insistência e ânimo incansáveis para a boa luta.

Quem quiser continue a lista nos comentários, ainda temos o direito de falar. Ainda.



terça-feira, 29 de abril de 2014

Politicamente imbecil

1) Então está combinado assim, chamar de macaco e jogar banana são crimes gravíssimos, incendiar dentistas e esfaquear burgueses de classe média tá tranquilo, a culpa é da sociedade.

2) Há quem coma merda e arrote caviar, o José de Abreu conseguiu a proeza de comer caviar e arrotar merda.

Fonte: Pyongyang Times.

Mais palácios, menos idiotas

Construído entre 1858 e 1876, a partir de projeto do arquiteto alemão Carl Friedrich Gustav Waehneldt, o Palácio do Catete (antes chamado de Palácio do Largo do Valdetaro) pertenceu ao barão de Nova Friburgo.

Mais tarde um grupo de investidores o comprou para fundar a Companhia Grande Hotel Internacional, empreendimento que não teve sucesso em transformar o palácio em um hotel de luxo devido à crise econômica do encilhamento.

À época, a sede do Poder Executivo do Brasil era o Palácio do Itamaraty no Centro da cidade, mas em 1897 o presidente Prudente de Morais adoeceu e o vice-presidente, Manuel Vitorino comprou o palácio e ali instalou a sede do governo.

De 24 de fevereiro de 1897 até 1960, quando a capital e o Distrito Federal foram transferidos para Brasília, o também chamado Palácio das Águias, por conta das esculturas de metal representando a ave instaladas no seu telhado, foi a sede do governo brasileiro.

Vários eventos históricos aconteceram nas salas do palácio, tais como a morte do presidente Afonso Pena, em 1909; a assinatura da declaração de guerra contra a Alemanha em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial; a visita e hospedagem do cardeal Pacelli, futuro papa Pio XII, em 1934; a declaração de guerra contra o Eixo, na Segunda Guerra Mundial, em 1942 e, evento mais conhecido de todos, o suicídio do presidente Getúlio Vargas, em 1954, com um tiro no coração, em seu aposento no terceiro andar do palácio.

Mas a esquerdopatia é uma doença imbecilizante grave, uma estupidez que transforma suas vítimas em idiotas inapeláveis.

Por isso uma pichação nas paredes externas do palácio talvez feita por algum desses black bostas imbecis defendidos por advogados de alguma ONG de direitos humanos, pede "menos palácios e mais praças públicas".

Ignora o idiota fundamental que os jardins do palácio já são abertos ao público, com amplos gramados, bancos, exposições, lagos e um parquinho e que além disso, é a história do país que habita aquelas salas.

Talvez o imbecil preferisse que demolissem o palácio e colocassem ali alguma ocupação de vagabundos ou uma cracolândia, vai saber, mas espanta como a idiotice da esquerda pode rivalizar em tamanho até mesmo com a majestade de um palácio presidencial.



A KGB do bem

Donald Sterling, dono do time de basquete da NBA, Los Angeles Clippers, foi banido para o resto da vida do esporte. Deverá vender sua franquia, nunca mais poderá entrar em nenhuma instalação do time, assistir treinos ou jogos e ainda foi multado em 2,5 milhões de dólares.

Seu "crime"? Disse à namorada (que é preta) que "não levasse negros em seus jogos" e que evitasse publicar fotos ao lado de jogadores negros.

Onde ele disse isso? Num jornal? Numa transmissão ao vivo na TV? Aos berros no meio da quadra? Através de uma estampa na camisa? Com um megafone no meio da rua? Não, numa ligação telefônica que foi VAZADA por um site de fofocas chamado TMZ.

O vazamento da conversa levou até o presidente e attention-whore-in-chief Obama a fazer declarações contrárias ao magnata do basquete. As redes sociais explodiram em reprovação, a imprensa condenou, jogadores fizeram protestos em quadra, mas pouca gente, que eu saiba, considerou estranho que tudo isso tenha sido gerado por uma conversa telefônica privada. Mesmo que a namorada do sujeito tenha gravado isso e divulgado, continua sendo uma conversa privada, algo dito dentro da confiança de uma relacionamento e não em público.

Hoje é com o famigerado racismo. Amanhã pode ser porque suas idéias são muito "reacionárias", "insensíveis" ou "homofóbicas" (não, este já acontece, vide o caso do ex-CEO da Mozilla).

Sei que tenho uma posição meio radical na defesa da liberdade de opinião nesse assunto. Acho que qualquer um deve ter total liberdade para dizer que odeia brancos, pretos, amarelos em rede nacional e nada deve acontecer com a pessoa. É direito dela não gostar de alguém e é muita pretensão (e idiotice) achar que vamos OBRIGAR as pessoas a GOSTAREM das outras.

Você deve sim, por força de lei, sob pena de ser preso, respeitar os direitos constitucionais delas. Se alguém é imbecil o bastante e não gosta de andar ao lado de brancos no metrô ou sentar ao lado de pretos no estádio de futebol, que monte um home-office e não use transportes públicos ou assista os jogos em casa pelo pay-per-view, mas a pessoa não pode ser censurada por DIZER que não gosta.

O problema é dela, idiota é ela, mas liberdade é o direito INCLUSIVE de ser idiota livremente, DESDE QUE não interfira na liberdade dos outros.

Mas se alguém pode discordar de mim quanto à permitir que alguém fale o que bem entender em público, creio que somente psicopatas completos discordariam do direito de alguém falar o que bem entender em uma conversa telefônica particular.

Só que vivemos tempos tão neuróticos, que ninguém parou meio minuto para perceber o absurdo que é alguém ser punido publicamente por algo que falou em uma conversa RESERVADA que foi divulgada em público.

O monopólio do bem e a patrulha do politicamente correto chegaram nas conversas privadas. Mais um pouco e vão tentar invadir a mente das pessoas.

P.S.: Justiça seja feita, quando terminei de escrever isso li um artigo onde Kareem Abdul-Jabar, lenda do basquete e preto, declarou que o dono dos Clippers era mesmo um racista com uma história de violações de direitos e multas recebidas, mas que estranhou que somente uma conversa telefônica ridícula é que causou tanto escândalo e mais, disse que é igualmente digno de escândalo que, num país que se indignou com as espionagens do governo recentemente, as pessoas não se irritem com o fato de uma conversa privada ter sido gravada e divulgada na imprensa.



Cada vez que Dilma cai nas pesquisas, o Brasil fica melhor, entre outras coisas

Dilma ai novamente nas pesquisas, toda vez que isso acontece, gera um efeito borboleta:

1 - Aumenta o "volta Lula".

2 - Diminui o nível de cretinice no país.

3 - Petistas começam a fazer assinatura do Catho Online.

4 - Petistas descobrem que o Catho Online não oferece vagas para aspones, puxa-sacos e inúteis que se penduram em cargos comissionados.

5 - Partidos da "base aliada" começam a pensar num plano de fuga.

6 - Aumenta o risco de rebelião na Papuda.

7 - Blogueiros progressistas instruídos pelo comando de guerra virtual do partido decidem que é hora de espalhar por aí que Aécio Neves é um agente da CIA e Eduardo Campos na verdade é paulista.

8 - "Médicos" cubanos se preparam para trocar o jaleco por um uniforme camuflado.

9 - Marqueteiros do PT elaboram propaganda dizendo que se Dilma ganhar o Bolsa Família vai para mil reais, mas se ela perder o Aécio ou o Eduardo Campos vão cobrar todo o valor dado até agora de volta com juros e correção.

10 - O Toffolli, agora presidente do TSE, pensa em sugerir uma pequena mudança nas urnas eletrônicas. Ao invés digitar o número dos candidatos e confirmar, o eleitor vai ser apresentado a duas opções: "Você é a favor da felicidade, do bem, da inclusão social, de um país melhor e de torneiras de Nutella nas praças reelegendo o PT? ( ) Claro que sim ( ) Não, sou contra um mundo melhor e detesto criancinhas e animais".



segunda-feira, 28 de abril de 2014

Direto do Twitter

1 - Depois de dizer que Dirceu e Genoíno não são "de confiança" a próxima do Lula vai ser jurar que pediu voto pro Serra e não pra Incompetenta.

2 - Pra não dizer que nunca elogio, seguem três coisas boas que admito que o PT fez até hoje: perder as eleições de 89, 94 e 98.

3 - Vou montar uma agência de notícias dedicada à imprensa livre, de esquerda, pública, gratuita e de qualidade, vai se chamar Pyongyang Times.

Seus bananas

Se o jogador de futebol brasileiro tivesse um mínimo de inteligência/senso de humor já teria parado há muito tempo com esse mimimi de "como sou coitadinho porque sou preto/brasileiro", mesmo porque são homens feitos que ganham milhões por ano, e começado a usar esse negócio de macaco/banana a seu favor.

Ao invés de ficar de chororô o Daniel Alves pegou a banana que atiraram para ele num estádio na Espanha, comeu e ainda disse que deu energia para ele fazer os cruzamentos para o gol.

O Neymar que de bobo não tem nada parece que já lançou uma campanha para faturar em cima, "somos todos macacos".

Mas vamos seguir.

O Club Atlético Boca Juniors, hexacampeão da Libertadores e tricampeão mundial, ergueu seu campo de jogo onde antes existia uma fábrica de tijolos que utilizava esterco como matéria prima. Seus adversários comecaram a chamar os torcedores do clube de "bosteros" por isso.

O que eles fizeram? Chamaram o MP e fizeram denúncia por cocôfobia? Não. Adotaram o apelido e hoje cantam nas arquibancadas "bostero soy". O que era depreciativo virou orgulho.
E assim se deu com outros clubes do país, como os leprosos (Newell's Old Boys), canallas (Rosario Central), pincharatas (Estudiantes), todos clubes que adotaram seus apelidos depreciativos e viraram o jogo da ofensa e da provocação.

Talvez isso se deva ao fato do argentino não ter tanto problema de auto-estima, ao contrário do brasileiro e seu eterno vitimismo, mas se existe algo que os habitantes de Banânia podem aproveitar de seus hermanos é essa facilidade em fazer piada de si mesmo.

Esqueçam o "canarinho", que sejam os "macacos". Usem bananas na camisa, entoem cantos, façam com que a ofensa vire um motivo de piada.

Quando comemorarem um gol, imitem macacos, quando vencerem um jogo, distribuam bananas para os adversários e façam as pessoas que usam isso para se sentirem superiores e desestabilizar os outros verem como são ridículas.

Lucrem com isso, não tem problema algum em ganhar dinheiro. Quem está criticando o Neymar, faça melhor, crie a sua camisa e venda também, ao contrário do que o seu professor comunista ensinou, lucro é muito bom.

E por favor, parem de ficar ofendidos quando são chamados de macacos, primeiro porque tem macaco de tudo que é cor, depois porque os símios é que deveriam se ofender por uma raça tão cretina quanto a humana querer se comparar com eles.





domingo, 27 de abril de 2014

Gente de confiança

Então segundo o Lula, José Dirceu não é "gente de sua confiança". 

1 - E pensar que o sujeito está sentado lá na Papuda, pagando o pato por algo que beneficiava diretamente o cara que não confia nele.

2 - Depois dessa o José de Abreu, amigo do cara que não é gente de confiança do Lula, vai fazer o quê? Dar mais um piti no Twitter ou cortar relações com o partido e abrir mão de qualquer isenção fiscal que porventura receba para as suas peças de teatro?

3 - Brizola tinha razão, tem gente capaz de pisar no pescoço da própria mãe, sorte da véia que já não está mais por aqui e assim o José Dirceu é o que tem pra hoje.

4 - Sempre que pode optar entre ser um estadista e um chefe de facção, o Lula opta pelo segundo. Falar mal de um dos poderes da República no exterior, questionando a lisura das suas decisões, é apenas mais um desses episódios.

5 - Com o PT e sua gente o fundo do poço tem sempre um buraco que dá para outro poço ainda mais fundo.



Vão esquentar em outra freguesia

Moradores do Pavão-Pavãozinho voltam a protestar nas ruas de Copacabana. 

Boa oportunidade para a prefeitura aproveitar que desceram do morro, derrubar todos os barracos e replantar árvores no lugar, aquilo é uma invasão mesmo.

Mandem os insatisfeitos morarem no apartamento da Regina Casé no Leblon.

Apologia

Três dançarinos do "Esquenta" nutriam uma, digamos, estranha simpatia por traficantes de drogas. 

Universotários de esquerda fingem que funk proibidão é cultura para brincar de "ser do povão".

O PSOL mantém um escritório de advocacia para black blocs e outros tipos de baderneiros travestido de ONG.

Sociólogos-historiadores-pedagogos-psicólogos-antropólogos-advogados-professores dizem que a culpa por um marginal ser marginal não é do marginal, mas das vítimas do marginal porque elas "ostentam" e fazem parte da "sociedade insensível".

O PT é aliado dos narcoterroristas das FARC no Foro de São Paulo, das ditaduras de Cuba e da Venezuela, de aiatolás radioativos do Irã, de ditadores e genocidas na África, de ladrões no Congresso, fora o que suas milícias pagas com dinheiro público fazem nas ruas e na rede.

Mas nossa, que horror, vamos calar a opinião da Rachel Sheherazade porque ela estimula a violência e o crime.

Não existe almoço grátis

1 - É incrível que a pessoa ache um absurdo pagar pela própria passagem de ônibus, pela própria educação, pelo próprio tratamento de saúde, pela própria casa, pela própria comida, pela própria diversão, mas ache justo que os OUTROS paguem isso por ela.

2 - Público, gratuito e de qualidade quer dizer "eu, que não gosto de pagar nem pelas minhas próprias coisas, quero que os OUTROS paguem por mim".

Eleições 2014

1 - Nada contra ser amigo de petistas, torcer pelo mesmo time que eles e até beber umas com eles, só não quero nenhum deles vencendo eleições ou ocupando alguma função pública.

2 - O súbito interesse dos petralhas nas eleições estaduais já mostra bem como eles estão levando fé na vitória da gerenta.


O pensamento parece ser o seguinte: já que a boquinha federal vai dançar, vou garantir uma estadual.

3 - O negócio para a maioria dos petralhas é boquinha. Se o Aécio ou o Campos prometerem que vão manter as sinecuras até eles votam para tirar a incompetenta do Planalto.

4 - Só o fato de se livrar do som horrível desse "presidenta" que apenas os puxa-sacos usam já é motivo suficiente para qualquer eleitor votar contra a Dilma.

5 - Nem fábrica de queijo suíço, furadeira e tábua de pirulito abrem buraco tão bem quanto o PT.

Os fundos de pensão dominados pelo PT e que entre outras coisas foram usados para fazer uma intervenção branca na Vale para tirar um desafeto da presidência agora estão com um rombo?

Nossa, que surpresa. Volte para o primeiro parágrafo deste item. 


sábado, 26 de abril de 2014

Tripé da cretinice

A esquerda possui três respostas pra tudo: se for contra nós, proíba; se der errado, bote a culpa nos outros; se tiver algum valor, roube.

Acabou a dúvida

PC Siqueira fez um vídeo elogiando o marco civil, talvez isso seja o que faltava para convencer os indecisos de que a lei é uma grandessissima bosta mesmo.

Paletó na cadeira

No Brasil o segredo do sucesso na função pública é puxar o saco de gente que é mais idiota do que você e agir como se fosse mais idiota do que eles. O problema é que no fim geralmente você acaba acreditando nisso, subindo na hierarquia da carreira e arrumando os seus próprios puxa-sacos.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Este é a minha verdade, diga-me a sua (a menos que ela seja uma merda, nesse caso terei que te contestar).

1) Aderir ao politicamente correto é como tentar curar uma diarreia com uma rolha.

2) A esquerda acha que dando medalhas de ouro vai fazer com que todos sejam campeões, mas na realidade faz com que todos sejam perdedores.

3) Só dois tipos de pessoas se interessam em confiscar suas armas: as que querem te atacar e as que não querem que você se defenda.

4) Você só acredita realmente que o outro deve ser livre se reconhecer nele o direito de ser um imbecil, um fracassado, um extremista que diz coisas repugnantes e até mesmo o direito de ser melhor do que você em alguma coisa.

5) O esquerdopata médio é aquele cara cujas opiniões e crenças transitam entre o direito da maioria em esmagar a liberdade alheia e o dever da minoria de sequestrá-la.

6) O governo vive dizendo que quer dar para as pessoas mais liberdade, mais segurança, mais saúde, mais educação, mais transportes, mais direitos, quando a única coisa que deveria fazer, e não faz, é sair da frente e dar mais espaço.

7) Criar e manter empresas estatais é confiar um negócio que necessita ganhar dinheiro de acordo com as regras do mercado para pessoas que não conseguem nem ao menos gastar decentemente o dinheiro que confiscam dos outros.

8) O esquerdista médio vai sempre respeitar suas opiniões desde que elas não contrariem as dele ou que você fique de boca fechada e guarde todas para si.

9) Quando você se sentir tentado a apoiar aquela lei em que o governo te diz como cuidar da sua casa e da sua família, pense duas vezes e diga se realmente você quer um político cuidando da sua família e do futuro dos seus filhos tão bem quanto ele cuida do orçamento do país.

10) Menos Marx, mais Mises.



A verdade é dura, o Mino Carta apoiou a ditadura

Mino Carta é uma defesa perdida que vaga a procura de uma ditadura para chamar de sua.

E se é estranho que alguém que escreveu algo como “enquanto cuidavam de pôr a casa em ordem, tiveram de começar a preparar o país, a pátria amada, para sair de sua humilhante condição de subdesenvolvimento” sobre os militares, hoje se refira àquele período como "golpe" ou "ditadura", pior ainda é pensar que o dono da Carta Capital, aquela revista que não é recheada de dinheiro por anúncios de estatais, ameaçou processar quem lembrar o que ele escreveu.

Se o atual defensor do "governo popular", que veio para "tirar o andar de baixo do subdesenvolvimento" e fazer "justiça social" contra os ataques da "imprensa nativa" não detestasse tanto os tucanos e sua "privataria", eu ia até pensar que ele quer se apropriar da frase nunca dita por FHC, mas a ele atribuída pelos petistas e seus assalariados, e pedir encarecidamente: esqueçam o que eu escrevi.

A única certeza que podemos ter é que, não importa qual seja o governo amanhã, o compatriota de Cesare Battisti estará lá para defendê-lo contra os "inimigos da pátria".

Link para um excelente artigo onde o Reinaldo Azevedo mostra onde os atuais defensores das "comissões da verdade" estavam na época do regime militar e o que estavam fazendo:http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/nunca-ninguem-elogiou-a-ditadura-com-tanto-entusiasmo-denodo-e-servilismo-como-mino-carta-e-posso-provar-o-que-digo-e-claro/



Ação e reação

O físico inglês Isaac Newton estabeleceu na sua terceira lei que "a toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade". O grande mestre Imi Lichtenfeld aproveitou esta lei quando desenvolveu o seu sistema de defesa pessoal - "quando você bate na cara do sujeito, a cara dele bate de volta na sua mão, portanto bata direito" - e usou a força do oponente para neutralizar ataques e potencializar golpes.

Ação e reação, portanto, são complementares, uma não acontece sem a outra. A esquerda, que vive reclamando e satanizando "reacionários", deveria saber disso, mas como estudar não é muito a praia deles, deveriam pelo menos aceitar: não se pode ficar por aí pregando e praticando abjeções o tempo todo e achar que ninguém do outro lado vai tomar uma atitude.

Aliás, esse "outro lado" é estabelecido por eles mesmos, que separam o mundo em pretos e brancos, homens e mulheres, gays e héteros, burguesia e proletariado, nós e eles. Uma hora fatalmente o grupo do "eles", ou seja, nós, iria cansar de somente bater com a cara na mão dos esquerdopatas.

Doutrinaram, distorceram, perverteram, roubaram, agrediram, monopolizaram a virtude, censuraram, patrulharam. Timidamente aqui e ali surgem vozes que resolveram dizer "chega", que começaram a contestar valores que claramente fazem o contrário do que pregam na teoria, que é criar um "mundo melhor".

Basta olhar para Cuba, para a Venezuela, para as experiências falidas do leste europeu e ver que não funcionou. O psicopata alemão era muito bom em escrever peças de ficção, sua prosa é realmente sensacional, mas suas previsões e suas fórmulas são tão boas quando um livro da série Crepúsculo, com a diferença de que seus fãs não são apenas adolescentes histéricas que idolatram vampiros que viram purpurina, mas genocidas e tarados que vampirizam populações inteiras.

Agora que o Brasil segue aprovando uma lei esquerdizante atrás da outra, em que nossa sociedade é dividida ao meio e ensinada à odiar a outra metade por um partido que jamais conseguiu fugir da lógica eleitoral (há 12 anos não temos um governo, mas uma campanha eterna), que até tropas estrangeiras podem ser autorizadas a "estacionar" no país, algumas pessoas resolveram acordar e se perguntar "pera aí, será que amanhã eu vou acordar e encontrar uma estátua do Stalin com uma barba do Lula no meio da avenida Paulista?".

E a isso eles chamam de "reacionarismo", o que na verdade é uma rejeição de um grupo importante de pessoas ao MST, à CUT, às FARC, ao Foro de São Paulo, ao controle da internet, ao controle da mídia, à roubalheira "pelo bem do país", à supressão de liberdades, à patrulha do pensamento, ao monopólio da virtude.

Entre Newton e Imi, fico com a resposta de outro grande mestre, Nelson Rodrigues, que declarou certa vez: "sou reacionário. Minha reação é contra tudo que não presta".

Pronto, então está aí bem explicado para quem adora a eterna disputa entre "nós" e "eles": na maior parte do tempo e nas questões mais importantes nós prestamos, vocês não.



Não queremos, mas temos que levá-los a sério

O pior do militante de esquerda não é nem a falta de estudo, mas de constrangimento. 

Gente constrangida não faz vaquinha para corrupto, não chama corrupto de preso político, não diz que uma regulação estatal vai surgir para garantir mais liberdade, não defende que a importação de "médicos" de uma ilhota atrasada no Caribe vai resolver o problema da saúde pública, não conta na cara dura para estudantes que um porco assassino como Che Guevara era um herói que lutava por um mundo melhor, não se envolve com as bigodadas do Sarney ou do Maduro.

Ser militante de esquerda tem uma pitada de tio que faz a piada do pavê ou pacomê misturado com psicopata de seita de filme americano que diz no depoimento que "a faca falava com ele e pedia para ser usada para libertar a vítima".

Enfim, ainda que não dê para se levar a sério TEMOS que levar MUITO a sério.

Ah, essa esquerda

1 - O Lula fica feliz cada vez que ganha um honoris causa, só não entende porque tem que ser sempre esse tal de Honoris e nunca algum Ricardis, Ronaldis ou Luizis.

2 - Agora é o Padilha que foi pego na cama com o doleiro Youssef.

É como se diz lá no interior, de Youssef em Youssef ainda se chega na Rousseff.


3 - O problema do país não é a "direita raivosa" saindo do armário, é a esquerda cleptocrata que não sai do cofre.


quinta-feira, 24 de abril de 2014

Vem aí o "Mais Soldados"

A câmara dos deputados aprovou uma lei que permite que tropas estrangeiras fiquem estacionadas no Brasil sem a necessidade de aprovação do Congresso, bastando apenas que a presidência da República diga que tal coisa se enquadra em algumas "necessidades" listadas?

Vejamos:

Milícias armadas no campo, check.

Sindicatos comprados, check.

Forças armadas sucateadas, check.

"Médicos" cubanos, check.

Internet "controlada" pelo Estado através de lei, check.

Verbas oficiais usadas para chantagear veículos de comunicação e calar jornalistas, check.

Tropas estrangeiras no país, em andamento.

Não interessa o motivo, amanhã o PT acha que precisamos do programa "Mais Soldados" para "combater a criminalidade", "importa" soldados cubanos e só depois vamos descobrir que "criminalidade" inclui ser contra o projeto de eternização no poder do partido. Vai saber, você aí coloca a sua mão no fogo?

E quem fala em golpe, venezuelização, chavismo, etc. é olavete com mania de conspiração? Façam-me o favor. Suspeitar demais é tão idiota quanto suspeitar de menos.

Ao que parece apenas UM deputado votou contra tal aberração e se chama Jair Bolsonaro. Todos os demais que estavam presentes neste verdadeiro estupro da democracia e da soberania mereciam ser cassados e presos por crime de lesa pátria.

Vamos ver até quando o gado vai aceitando de mansinho a canga que vão lhe colocando e torcer para que não sinta o peso e o estalo do chicote tarde demais.

Navio branqueiro

Um ladrão foi preso num poste em Ipatinga e chicoteado por um morador até a chegada da polícia. Um dos personagens desta história era branco e o outro preto, sorte que o branco era o ladrão, senão a turma do PSOL ia pedir pena de morte para o açoitador, a Maria do Rosário iria chorar em rede nacional, a Carta Capital colocaria uma foto de Zumbi dos Palmares sendo chicoteado pelo Bolsonaro na próxima capa e a Jandira Feghali ia exigir que a Rachel Sheherazade fosse enviada para um campo de prisioneiros na Coréia do Norte.

Na real foi um ladrãozinho levando uma merecida coça, o fato dele ser branco apenas nos livrou daquele conhecido espetáculo de hipocrisia com descrições de navios negreiros, plantações de cana, senzalas e casas grandes.

Sorte que dessa vez a vítima da "justiça com as próprias mãos" foi apenas um branquelo. Nenhum defensor dos direitos humanos ou acionista do monopólio do bem vai fazer escândalo por isso.

Link da notícia:http://www.plox.com.br/caderno/policia/moradores-ipatinga-amarram-ladrao-poste



O Rio de Janeiro é um programa da Regina Casé piorado

Essa semana as ruas de Copacabana foram transformadas num cruzamento do Esquenta da Regina Casé com Mad Max. 

Por conta da morte de um bailarino do programa zooantropológico da TV Globo moradores de uma invasão também conhecida como "comunidade" do Pavão-Pavãozinho desceram para o asfalto e protestaram contra a violência queimando ônibus, depredando lojas e aterrorizando o bairro.

Que fique bem claro, ninguém merece ser morto só porque mantém amizade e demonstra admiração por traficantes de drogas, mas convém abusar da canja de galinha e da precaução quando formos analisar quando isso acontece.

O Rio de Janeiro, caótico, sujo, favelizado é a prova maior de como a permissividade do poder público com a desordem e como a relativização de valores promovida pela esquerda podem fazer mal a uma cidade.

Em troca de votos permitiu-se que a capital fluminense virasse um imenso favelão. A esquerdopatia dominante martelou através de décadas a noção de que o bom e o belo se encontra no barraco, na viela, na vala negra, no bandido romântico, na "bagunça organizada".

Favela é lindo, remoções são um horror, funk proibidão é cultura, churrasco na lage é pitoresco, o Rio é da "malandragem".

Daí que artistas e jogadores de futebol volta e meia são pegos em relações não ortodoxas com bandidos de favelas, como o jogador Adriano e o pagodeiro Belo.

Daí que um dancarino de um programa da TV aberta demonstrar numa rede social tristeza pela morte de um bandido, avisando que "o bico vai fazer barulho", ou seja, que vão dar tiros de fuzil, não causa espanto em mais ninguém.

Confesso que se o colunista Felipe Moura Brasil, o campeoníssimo e já incontornável Pim, não tivesse noticiado isso, nem eu mesmo saberia, já que o resto da imprensa não deu a mínima.

O discurso, como sempre, foi o de difamação da polícia (que já faz um bom trabalho se auto-difamando) e de, para usar um termo que a esquerda adora, naturalização da baderna como forma de protesto.

"É a revolta do preto e pobre contra a opressão do Estado", repete o papagaio esquerdopata em mais um round da luta de "cRasses" com dendê, o mesmo papagaio esquerdopata que passa o resto do dia pedindo mais Estado em tudo, como se a negligência da polícia, muitas vezes motivada pela pronta disposição de acusar todas as suas ações como "abusos", não fosse também uma opressão contra a totalidade da sociedade, que não pode nem pegar um marginalzinho e amarrar no poste, já que nenhuma autoridade faz nada, que já é acusado de ser um fascista que faz justiça com as próprias mãos.

Por conta disso tudo ficamos presos num dilema praticamente sem solução. Não tem como ficar indiferente à morte desse rapaz, ninguém merece isso. Mas não tem como ficar indiferente à indiferença com que tantos tratam a morte de PMs das UPPs por traficantes, quase como se a maioria da sociedade transformada em zumbi pelo "progressismo" achasse que é "merecido" ou pelo menos "esperado", afinal, são os PMs que estão ali "ocupando" ao invés de "ações sociais". Morreu um PM? Ótimo, mais um argumento em favor da "desmilitarização".

E o dilema é porque nós, que não ficamos indiferentes com ninguém sendo feito de vítima, seja um PM ou um dançarino do Esquenta, sabemos que ambos são vítimas da permissividade do Estado com a desordem, com o crime, vítimas da relativização de valores, da perversão de conceitos e que a solução para isso é tornada quase impossível pelas mesmas pessoas que chamam a nós de fascistas, violentos, insensíveis.

Eles perpetuam os problemas com as suas falsas soluções, com seus conceitos furados que vêm dando errado na prática há décadas, mas nós é que somos culpados.

Como muito bem já disseram por aí, a culpa é toda da esquerda, ela coloca em quem bem entender.

P.S.: o "zooantropológico" lá em cima que pode chocar alguém é porque considero que tal programa, de péssimo gosto, trata o "pobre" e o "popular" como se fossem peças de exposição para a esquerda caviar se deleitar e aliviar sua culpa eterna, nada mais preconceituoso do que isso, diga-se de passagem.




Brinquedo de menina e de menino

Para evitar esses estereótipos de gênero, deram carrinhos e bonecas para uma menina brincar, isso foi o que aconteceu. 

Brincadeiras a parte, aprendam, imbecis: existe brinquedo de menina e de menino sim.



CPI da Petrobras

1 - Rosa Weber decide que CPI da Petrobras servirá apenas para investigar a Petrobras mesmo.

Parece que, para desgosto do PT, as amantes de Dom Pedro, os sapatos de Dona Carlota, o metrô de São Paulo, o número de gols do Túlio Maravilha, a estatura exata do ACM Neto e a banca de frutas do pai do Serra ficam de fora.

As roubalheiras do PT na estatal vão ser o que tem pra hoje.

2 - E assim o STF sucumbe à pressão da mídia, das elites, da burguesia, dos golpistas saudosistas da ditadura, dos fatos, dos números, dos indícios, das suspeitas, da lógica, da democracia, da liberdade de oposição, da vergonha na cara e de quem não compraria um carro usado de Renan Calheiros e decide que a CPI da Petrobras vai investigar as roubalheiras na Petrobras.

Onde é que esse país vai parar desse jeito? Daqui a pouco vão achar que lugar de corrupto e incompetente é na cadeia e não sendo chamado de "excelência" ou recebendo título de doutor honoris causa.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Questão de índole

Quando gente que pensa como eu prevalece, o esquerdopata pode continuar me chamando de coxinha, burguês, viúva da ditadura, baba-ovo de americano, pode fazer oposição, greve, piquete, xingar muito na internet, passar abaixo-assinado, interromper aulas para "dar um recadinho", andar por aí com camisa do Che e desodorante vencido.

Quando eles prevalecem as únicas coisas que eu posso fazer são calar a boca ou fugir do país, não necessariamente nessa ordem.

Só pra quem lê

Hoje é, também, dia do livro. Para você que não é o Lula ou militante do PT e já leu algum inteiro na vida, parabéns!

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

EUA, operário, 3 mil dólares. 

Brasil, salário mínimo, 300 dólares. 

Realmente a desigualdade lá é terrível, melhor no Brasil onde todos são fudidos por igual, isso porque eu nem falei de Cuba.



terça-feira, 22 de abril de 2014

Nós e eles

Curiosamente tanto em junho de 2013 quando o povo os botou para correr quanto agora, quando atacou uma invasão a pauladas, é que a esquerda resolve abandonar o "nós contra eles" e passar para o "temos direitos iguais".

Hay que endurecerse, pero sin perder la hora del Toddynho jamás

Basta ser maconheiro, estudante profissional, aspirante a encostado de sindicato ou movimento social, trepadeira que acha que dar é um ato revolucionário, bichinha histérica, anti-religião, feminista de shopping, Che Guevara de apartamento, rebelde do Toddynho, vomitador de clichés da Carta Capital-Caros Amigos-blogueiros-progressistas, decorar frases feitas como "isso é muito complexo", "não generalize", "você está sendo preconceituoso", "isso é culpa da sociedade burguesa capitalista", etc., não tomar banho, cultivar uma barba tão ensebada quanto suas roupas e pronto, você já é aceito no clube da esquerda.

Para ser de direita tem que ler, estudar, admitir que praticamente tudo o que te ensinaram na escola era lixo idiotizante com o objetivo de te transformar em um zumbi, questionar, aprender a se defender de acusações estapafúrdias como você ser necessariamente racista-nazista-machista-homofóbico-etc só porque não segue a religião marxista, fora o resto.

Logo é fácil notar porque ser de esquerda num país que cultua o medíocre, o idiota, o dissimulado, o falso humilde, o invejoso, o fofoqueiro, o abaixo da crítica, o macunaímico, é muito mais popular do que ser de direita.

Você faz mais amigos, tem chance de pegar mais gente na faculdade, fica bem na fita como defensor de um "mundo melhor".

Mas nada pode apagar o fato inescapável de que você também é uma grandessissima besta quadrada.



MAV party

O PT fez um camping digital para treinar seu exército na internet (Militância em Ambientes Virtuais - MAV) para espalhar mentiras boas sobre o partido e mentiras ruins sobre a oposição. 

O fato é: sem a mentira o batalhão de gremlins depois que jogam água não teria muito o que dizer, já que a verdade é dura, duríssima, para o partido. 

O problema é que o discurso todo é o mesmo de 2010, parece que o André Vargas ainda está lá no Twitter bancando o animador de auditório e não prestes a animar os banhos de sol da Papuda.

Repetir as mesmas idiotices que o Lula e a Dilma diziam na última eleição pode mostrar alguma coerência na estupidez e na picaretagem intelectual, mas é como tentar passar uma cantada chamando a moça de "broto", já passou, todo mundo já ouviu isso antes, não impressiona mais ninguém.

Politicamente essa estratégia periga transformar o PT no tio Sukita dessa eleição.

Vamos torcer.

Salvem as elites

Sem uma elite intelectual, científica, esportiva, artística, etc., não teríamos a filosofia, o avião, os quadros de Hopper, a música de Mozart, o ser humano mais rápido de todos não correria 100 metros em menos de 10 segundos, não haveria luz elétrica, rádio, TV ou a internet, penicilina e nem aspirina.

O que esperar então de partidos e pessoas que defendem uma ideologia que tem por objetivo acabar com as elites?

Viva o Estado!

Financiamento público de campanha não tem como dar errado, afinal, a saúde, a educação, a segurança, a infra-estrutura e os demais serviços públicos estão aí dando tão certo e mostrando como o Estado sabe aplicar bem o nosso dinheiro e fiscalizar pra onde ele vai.

De médico e louco

Pela quantidade de "médicos" que Cuba tem para exportar, desconfio que a profissão lá seja mais ou menos como a de jornalista no Brasil. Qualquer um que já tenha colado um Band-Aid deve ser considerado "médico" na ilha prisão dos irmãos Castro.

É hora de dizer chega

Invasores de terra em Santa Catarina ocuparam um terreno da união e ergueram ali um tal "acampamento Amarildo". Sempre que o nome do pedreiro morto na favela da Rocinha é evocado, já suspeito de alguma pilantragem intelectual patrocinada por algum Che Guevara de apartamento, tipo um desses militantes do PSOL, freixetes e gente que defende direitos humanos de forma bastante seletiva.

Mas divaguei.

Moradores do bairro Rio Vermelho atacaram os invasores com rojões. Parece que haviam até estudantes universitários no meio, num gesto que prova que as universidades brasileiras não passam de repositórios de cérebros baldios à procura de uma causa, qualquer uma, que possa dar vazão ao conteúdo imprestável de suas cabeças, geralmente através de berros, urros e chutes em portas de vidro.

Adiante.

O local invadido é próximo a um campo de golfe do resort Costão do Santinho. Funcionários uniformizados do resort participaram do despejo, porque, segundo eles, os sem-terra ameaçavam invadir o campo de golfe. Fartos da baderna, os moradores incendiaram uma barricada com bandeiras da ocupação e partiram para cima dos "sem-terra", botando todo mundo pra correr.

A polícia precisou conter os moradores do bairro, que comemoraram a saída dos invasores depois que a reintegração de posse com as próprias mãos terminou.

Um dos cérebros baldios que estava no local para apoiar a ocupação declarou ao UOL que tiveram que recuar pois não queriam "lutar contra a classe trabalhadora". Pelo visto não entendeu (ou fingiu não entender) que era a classe trabalhadora que estava ali para lutar contra ele.

Denilson Machado, do sindicato dos bancários, declarou que "foi a primeira vez que as autoridades usaram civis na linha de frente para combater o movimento popular (...) acredito que os moradores foram insuflados a combater o movimento social".

Alguém devia avisar ao bancário sem terra que o brasileiro médio não precisa ser "insuflado contra os movimentos sociais", porque o brasileiro médio está de saco cheio deles há muito tempo e agora resolveu começar a dizer chega.

O que o cidadão não suporta mais são aproveitadores que colocam pessoas para impedir uma procissão da Semana Santa, acampadas na frente de prédios públicos, que apoiam black blocs, que fecham ruas, que estimulam invasões, incendeiam ônibus, fazem piquetes, invadem salas de aula, aparecem para pedir a censura à jornalistas que dizem "compreender" quando o cidadão resolve pegar um marginal e dar-lhe uns tapas, que sob a máscara da defesa dos "direitos humanos" tenta impor uma ditadura do pensamento único, que sufoca a liberdade de expressão debaixo do politicamente correto, da supressão do contraditório, do monopólio do bem.

Somente picaretas intelectuais podem achar que ameaçar invadir um campo de golfe - em mais um ato dessa ópera bufa que é a luta de classes das bananas - vai causar algum tipo de reação no cidadão médio, que não padece da psicopatia invejosa da qual todo esquerdista sofre, que não seja o nojo, a indignação, o saco cheio.

Isso que aconteceu em Santa Catarina é o mesmo que aconteceu no Rio de Janeiro quando amarraram um marginalzinho num poste, é o que aconteceu na UFSC quando alunos colocaram esquerdopatas para correr e hastearam novamente a bandeira do Brasil no local onde os filhotes de Nicolás Maduro puseram uma bandeira vermelha e é o que vai acontecer cada vez mais.

Você pode abusar da paciência de alguém até um certo limite. São décadas de hegemonia "progressista" enfiada pela goela das pessoas abaixo. O brasileiro é contra o desarmamento, a liberação indiscriminada de drogas, a relativização do conceito de família, a sexualização da infância, a doutrinação vermelha nas salas de aula.

Mas ele vem sendo submetido a tudo isso calado, talvez na esperança de que os sequestradores da consciência do país tenham um limite, mas eles não tem. Eles continuaram esticando a corda e continuarão esticando até que imponham cada item de sua agenda pervertida ou até que a paciência das pessoas se esgote.

Bom, parece que se esgotou.


Link da notícia: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/04/21/atacados-com-rojoes-e-pedras-por-moradores-invasores-desocupam-area-em-sc.htm 


Debates

Se a Dilma quer fugir dos debates, tudo bem, sugiro que a oposição peça que os substituam por um concurso de redação. 

O Campos pede ajuda para a Marina, o Aécio para o Fernando Henrique e a Dilma pede uma mãozinha para o Lula.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O PT só é a favor do PT

Há 29 anos morria o presidente Tancredo Neves, um dos artífices da resistência pacífica que pôs fim ao governo militar, às eleições indiretas e que trouxe esperança para um país que se unia em defesa da sua liberdade. 

Nunca é demais lembrar onde o PT estava naquela hora, como sempre contra o país e a favor apenas do seu degenerado projeto de poder.



Tiradentes nos tempos da Lei de Gérson

Hoje é feriado de Tiradentes, aquele que Tancredo Neves descreveu como um "herói enlouquecido de esperança". 

Na versão patriótica foi um dentista, tropeiro, minerador, comerciante, militar e ativista político, mártir da Inconfidência Mineira, movimento separatista que lutou contra a cobrança de impostos abusivos e a dominação portuguesa. Morreu enforcado após assumir a responsabilidade pela Inconfidência e inocentar seus companheiros.

Na versão menos glamourosa foi apenas um bode expiatório de uma revolução que se dizia iluminista mas estava mais preocupada com o quinto (20% de imposto) que era enviado à Portugal.

Era alferes, o que na hierarquia militar antiga estava abaixo de tenente, e como haviam desembargadores e até coronéis no movimento, foi usado como boi de piranha para salvar os mais ricos e importantes que fizeram parte da revolta.

Mas como todo país precisa de heróis, a República fabricou o seu na forma de um barbudo enforcado por defender a independência.

Polêmicas históricas à parte, se fosse hoje nenhuma dessas duas versões provavelmente aconteceria. No Brasil atual Joaquim José da Silva Xavier sairia do serviço público envolvido em alguma polêmica e fundaria o Sindicato dos Alferes e o Movimento dos Sem Ouro, de onde lideraria invasões, quebra-quebra em agências bancárias e ocupações de prédios públicos.

De um lado se apresentaria como defensor dos pobres e despossuídos e de outro negociaria por baixo dos panos algumas pequenas concessões junto aos portugueses em troca ceder nos pontos que realmente importassem, embolsando um bom numerário por isso.

Faria discursos inflamados enchendo a boca para falar em nome do "povo" e dos "oprimidos", se dizendo um deles, mas esconderia uma casa em Angra e um apartamento em Miami colocando ambos no nome de um laranja. Jamais permitiria que a independência acontecesse, afinal, iria viver de que depois que o problema estivesse resolvido?

Não seria enforcado, no máximo seria réu de algum processo cabeludo que depois de décadas de recursos e chicanas chegaria ao Supremo e seria engavetado por algum juiz com uma estrela vermelha na toga.

Não se aposentaria nem depois de descobrir que tantos anos de picanha com gordura e uísque o deixaram com hipertensão e um princípio de cirrose, mas já estaria preparando algum dos seus filhos para assumir o sindicato um dia.

Não ganharia um feriado em sua homenagem, mas compensaria isso em dias não trabalhados com greves e piquetes. Ao contrário do Tiradentes histórico, que não poderia usar barba comprida como o retratam já que era militar, teria uma barba de sindicalista cuidadosamente cultivada, para jamais perder aquele ar de revolucionário cubano que acabou de sair de uma floresta, mas passaria creme rinse nela. Importado.

Sorte que antes não era hoje e se não temos certeza de quem, afinal, foi esse homem misterioso, pelo menos ganhamos um feriado. Sem piquetes e nem barbudos.

Já é muito mais do que conseguiríamos hoje.



domingo, 20 de abril de 2014

Quanta ingenuidade

Brasileiro debocha dos outros dizendo que a pessoa acredita em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa mas acredita de verdade em "jornalismo imparcial".

O fato e a versão

A Sheherazade disse que compreende quem bate num ladrãozinho, não mandou ninguém bater e nem disse que concorda com quem bate (eu, diferentemente dela, concordo 100%).

José Serra foi IMPEDIDO de fazer uma caminhada no Rio de Janeiro na campanha de 2010. Na porrada impediram que seus correligionários e militantes exercessem um direito constitucional. Algo foi atirado na sua cabeça, se um rolo de fita adesiva, uma pedra ou uma flor, não interessa, o fato primordial foi um candidato à presidência sendo impedido por marginais a serviço do PT de circular com sua campanha pelas ruas do país.

Dois FATOS: Rachel Sheherazade disse que compreende quem bate num ladrão e José Serra foi impedido de andar numa rua por um bando de marginais a serviço de um partido.

O que se espalhou? Que ela INCITOU o linchamento e que ele foi atingido por uma bolinha de papel e fingiu que foi machucado.

Hordas na internet e na imprensa espalharam as versões canalhas, parlamentares de partidecos a serviço do petismo em troca de migalhas subiram na tribuna dando eco às versões canalhas, a repetição fez com que as versões canalhas lançassem dúvidas sobre os fatos reais e em pouco tempo ninguém mais discutia esses fatos, apenas as versões canalhas.

Hoje o debate é se a "liberdade de expressão serve para incitar o crime" assim como em 2010 foi porque Serra fingiu que a "bolinha de papel" era outra coisa.

Notam como a esquerda, mentirosa, canalha, manipuladora, não tem vergonha de repetir uma canalhice até que isso vire o centro dos debates e soterre os fatos?

Rachel não incitou crime algum, Serra foi impedido de fazer campanha e a vítima, como sempre, é a verdade.

Parem de cair nessa. Discutam o fato, não a versão.

A única forma de debater com um esquerdopata é amarrá-lo num poste e dar uma surra com a verdade nele.