sexta-feira, 25 de abril de 2014

A verdade é dura, o Mino Carta apoiou a ditadura

Mino Carta é uma defesa perdida que vaga a procura de uma ditadura para chamar de sua.

E se é estranho que alguém que escreveu algo como “enquanto cuidavam de pôr a casa em ordem, tiveram de começar a preparar o país, a pátria amada, para sair de sua humilhante condição de subdesenvolvimento” sobre os militares, hoje se refira àquele período como "golpe" ou "ditadura", pior ainda é pensar que o dono da Carta Capital, aquela revista que não é recheada de dinheiro por anúncios de estatais, ameaçou processar quem lembrar o que ele escreveu.

Se o atual defensor do "governo popular", que veio para "tirar o andar de baixo do subdesenvolvimento" e fazer "justiça social" contra os ataques da "imprensa nativa" não detestasse tanto os tucanos e sua "privataria", eu ia até pensar que ele quer se apropriar da frase nunca dita por FHC, mas a ele atribuída pelos petistas e seus assalariados, e pedir encarecidamente: esqueçam o que eu escrevi.

A única certeza que podemos ter é que, não importa qual seja o governo amanhã, o compatriota de Cesare Battisti estará lá para defendê-lo contra os "inimigos da pátria".

Link para um excelente artigo onde o Reinaldo Azevedo mostra onde os atuais defensores das "comissões da verdade" estavam na época do regime militar e o que estavam fazendo:http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/nunca-ninguem-elogiou-a-ditadura-com-tanto-entusiasmo-denodo-e-servilismo-como-mino-carta-e-posso-provar-o-que-digo-e-claro/



0 Comentários