quarta-feira, 9 de abril de 2014

Amor com amor se paga

Experimente pedir a cassação de algum deputado de esquerda por "incitação ao crime" ou "quebra de decoro" após um discurso enaltecendo terroristas da década de 1960.

Peça o fechamento de alguma revista sustentada com verba de estatais porque ela "espalha mentiras". Defenda a prisão de algum jornalista que disse que a culpa por um crime é da sociedade e não do criminoso.

Chame de racista imundo quem disser que um branco deve ser impedido de concorrer a uma vaga em condições de igualdade por causa da cor da sua pele.

Junte uma turma e invada alguma reunião de DCE cheia de maconheiros ou alguma aula daquele professor marxistaleninistamaoistastalinistapqpista tocando tambores, grite muito alto para não deixar os outros falarem (gritos de guerra que não querem dizer nada entoados em coro funcionam bem para isso) e, se preciso, distribua porrada em quem OUSAR impedir seu direito de cercear o direito dos outros.

Interrompa alguma aula de "Teoria Marxista 101" para falar sobre os benefícios do livre mercado e passar um abaixo assinado contra o sistema de saúde estatal e ineficiente.

Distribua panfletos comparando a esquerda ao nazismo, ao fascismo ou a qualquer outro ismo que pregue neles a pecha de assassinos, genocidas e tarados que se divertem assistindo o sofrimento do resto da humanidade e lutando contra um "mundo melhor".

Toda vez que algum amigo seu esquerdista começar a falar esquerdices perto de você, interrompa-o com frases como "para de generalizar", "isso é preconceito", "cala a boca, comuninha de apartamento". "vai estudar" ou "cara, melhor mudar de assunto para preservarmos nossa amizade".

Fazendo isso você estará agindo exatamente como eles agem há 20, 30, 40 anos, mas ainda assim eles te chamarão de "autoritário", "intolerante" e "antidemocrático", afinal, o monopólio do paunocuzismo é deles e ninguém tasca.
0 Comentários