sábado, 12 de abril de 2014

FHC e a esquerda

Mas falando sério, o FHC nunca deixou de ser de esquerda, tanto que poderia (e deveria) ter privatizado muito mais e não o fez não somente pela oposição raivosa do PT, mas por timidez mesmo.

O que aconteceu é que ele foi empurrado para a direita por uma série de fatores, como a aliança com o antigo PFL (já que a esquerda se negava a apoiá-lo) e o fato do PT considerar qualquer um que não seja do partido ou aliado do partido como direita.

Nessa hermenêutica psicopata, Renan Calheiros e Collor são "progressistas" enquanto o PSOL é "de direita", porque segundo eles, é a "esquerda que a direita gosta".

A grande diferença entre FHC e o PT e seus sequazes é que ele é de uma esquerda civilizada, com a qual é possível diálogo, negociação e acordos, ao contrário do PT que só enxerga cupinchas ou inimigos e que encara tudo pela lógica do embate e da eliminação do adversário.

Por isso nenhum esquerdopata acredita que FHC seja mesmo de esquerda, pois falta ao ex-presidente aquele grau de perversão ideológica e de caráter que caracteriza essa gente.
0 Comentários