sexta-feira, 25 de abril de 2014

Não queremos, mas temos que levá-los a sério

O pior do militante de esquerda não é nem a falta de estudo, mas de constrangimento. 

Gente constrangida não faz vaquinha para corrupto, não chama corrupto de preso político, não diz que uma regulação estatal vai surgir para garantir mais liberdade, não defende que a importação de "médicos" de uma ilhota atrasada no Caribe vai resolver o problema da saúde pública, não conta na cara dura para estudantes que um porco assassino como Che Guevara era um herói que lutava por um mundo melhor, não se envolve com as bigodadas do Sarney ou do Maduro.

Ser militante de esquerda tem uma pitada de tio que faz a piada do pavê ou pacomê misturado com psicopata de seita de filme americano que diz no depoimento que "a faca falava com ele e pedia para ser usada para libertar a vítima".

Enfim, ainda que não dê para se levar a sério TEMOS que levar MUITO a sério.
0 Comentários