terça-feira, 13 de maio de 2014

A ponte sobre o nada

Dilma construiu uma ponte sobre a transposição. Só falta a água para passar debaixo da ponte no "sertão que virou mar".

Ponte já tem, água, ainda não tem. É que concreto, aço e asfalto custa mais do que água, dá pra superfaturar mais do que água e você pode inaugurar duas, três e até quatro vezes. Depois que o rio passa nunca mais volta para a nascente, não tem como inaugurar um rio duas vezes, mesmo porque não tem água mesmo, como é que vai ter rio?

Mas a transposição do São Francisco já é realidade pelo menos na propaganda petista. Propaganda, aliás, nunca falta. São rios de dinheiro em marketing fajuto. Já a água...

Deve estar vindo de Cuba, em algum caminhão pipa pilotado pelo Fidel Castro, que depois que deixou o trono de ditador para o irmão lulalizou e ficou sem ocupação formal. Talvez aproveite a viagem e traga mais uns escravos, quer dizer, médicos, amarrados no pára-choque.

O PT anda se especializando mesmo em ser coiote. É haitiano, cubano. Só venezuelanos e senadores bolivianos perseguidos por companheiros bolivarianos é que não merecem solidariedade.

Só não sei se o Fidel vai passar com o caminhão por cima da ponte construída por cima do nada, se bobear a estrada já deve estar esburacada, abandonada no meio daquele sertão que ia virar mar, mas que o João Santana ainda precisa fazer na computação gráfica, assim que terminar de filmar mais algum comercial metendo medo no povo, que pode perder esse transporte, essa saúde, essa educação e essas moradias maravilhosas que estão por aí caso o PT perca a eleição.

A ponte em cima do nada é o governo do PT. Uma perfeita metáfora sobre os 12 anos da Era da Mediocridade que assola o Brasil. A ponte sobre o nada liga Lula, o líder da seita, o monumento ambulante à mentira e ao raciocínio brucutu, à Dilma, sua criatura, esse amontoado de incompetência, empáfia e anacolutos (Augusto Nunes, obrigado) que assombra o Palácio do Planalto.

No meio, entre o operário que não trabalha há mais de 30 anos e virou "símbolo dos trabalhadores" e a faxineira que curiosamente não consegue viver longe do lixo que ela mesma produz, um nada embaixo da ponte.

Um nada que representa o que alguém que ainda acredita no PT tem na cabeça e o que alguém que finge que acredita tem no caráter.

Link da notícia: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/05/1453573-com-transposicao-atrasada-viaduto-em-pe-passa-por-cima-do-nada.shtml


0 Comentários