sexta-feira, 30 de maio de 2014

Formação de aliança

Maluf avisou: se quiser meu apoio, vai ter foto. Praticamente um "ou dá ou desce" para o petista que desejar passear nos minutos de TV do PP, o partido do deputado procurado pela Interpol.

E Padilha como boa moça pudica em público mas devassa entre quatro paredes - no PT o que mais tem é falsa virgem - foi lá e arriou a calcinha sem reclamar. Fez cara feia, tudo bem, mas cumpriu com a sua parte no acordo conjugal.

Devia estar pensando "o Haddad também passou por isso e foi eleito". Mas talvez até mesmo pelo eleitorado paulista agora estar passando (mal) pelo Haddad, suas chances não sejam lá muito boas. O Lula fez dois postes, ambos gols contra. E isso depõe em desfavor do terceiro.

De mais a mais, pra quem duvidar da qualidade do Padilha é simples, visite um hospital público, procure um serviço de saúde pública e veja a beleza de obra que o ex-ministro deixou. Com sorte algum médico-escravo cubano vai te atender e não receitar remédio de verruga como colírio ou vodca para dor de barriga.

Mas quem deve se divertir mesmo com isso é o Maluf. Imagino suas gargalhadas de sadismo e satisfação ao fazer petistas sofrerem desse jeito.

- Vem cá, molecada, falavam mal de mim mas agora vão ter que beijar a mão. Toma, pede a benção ao padrinho.

E eles pedem. Como bons coroinhas que depois roubam o vinho da sacristia.



0 Comentários