sexta-feira, 16 de maio de 2014

Metrô é babaquice

Lula disse que é "babaquice" querer chegar de metrô aos estádios da copa. Segundo ele - que há décadas não sabe o que é se locomover sem um carro com motorista, helicóptero ou jatinho - "brasileiro não tem problema de andar a pé".

Segundo o luminar do feno e da alfafa, quem quer "vai a pé, vai descalço, vai de bicicleta, vai de jumento, vai de qualquer coisa", porque somente alguns pessimistas e babacas estão preocupados com metrô.

O mesmo metrô que ele e o contubérnio de pilantras de diversos partidos que ajudaram a parir a governante mais medíocre da história do Brasil prometeram que ficaria pronto em diversas cidades-sede antes de 2014, e agora é mera exigência de babaquaras que torcem contra e não querem ir para os estádios superfaturados de bicicleta ou montados no lombo de algum militante do PT.

O mais curioso é que quando os projetos (o PT tem muitos projetos, maquetes, animações eletrônicas) serviam para o eterno desfile de inaugurações de pedras fundamentais e placas de bronze, não eram coisa de babaca. Mas na hora de ficarem prontos para levar pessoas de uma maneira diferente dos transportes de gado que estão disponíveis no país, metrô virou coisa de fresco.

O resumo da ópera é o seguinte: praticamente todo o dinheiro suado do pagador de impostos torrado na copa do mundo só prestou para construir arenas superfaturadas e inacabadas, além de erguer canteiros de obra que são sérios candidatos ao abandono assim que soar o apito final do evento, virando alguma favela ocupada pelos sem terra ou sem teto.

Quem disse que a copa de Lula, a copa do PT, não deixaria um legado? Vai deixar sim. O legado da copa é a dívida que vai sobrar para o cidadão arcar depois que o último comensal abandonar a festa.

Suecos, franceses, portugueses, espanhóis, americanos, suíços, alemães, argentinos, chilenos, tchecos, enfim, gente do mundo inteiro que anda pelas suas cidades em extensas linhas de metrô, podendo deixar o carro na garagem, economizando tempo e dinheiro e vivendo como gente não passam de um bando de babacas.

Para o líder da seita, espertos são os brasileiros presos horas a fio em intermináveis e infernais engarrafamentos, no calor, no aperto dos ônibus, indo até "de jumento" e elegendo ano a ano os proxenetas que os condenam a viver para sempre dessa forma. Aliás, viver não, sobreviver, porque como muito bem disse o Augusto Nunes uma vez, a alegria para o brasileiro é não morrer de fome. Uma triste existência em que é mantido na marra por esse tipo de gente.

Ainda no mesmo pronunciamento - e daqui até as eleições, entre berros roucos e perdigotos, serão muitos - Lula disse ter "certeza que, quando a bola rolar (...), o Brasil vai se encher daquela febre de futebol."

Ou seja, vai esquecer da merda em que vive. Lula não tem certeza disso, a afirmação foi mais uma torcida do que uma previsão, mas as probabilidades infelizmente estão ao seu lado.

Do contrário ele nem existiria.

P.S.: Na foto Lula e Cid Gomes, um dos seus aliados mais fiéis na construção desse colosso de atraso e abandono que é o Brasil da Era da Mediocridade, sorrindo ao inaugurar uma linha do transporte dos babacas que sai do nada para lugar nenhum e só funciona em horário comercial, mas que serviu como uma luva para mais alguma festa de inauguração eleitoreira.

Link da notícia:http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/05/1455483-lula-diz-que-e-babaquice-chegar-de-metro-dentro-do-estadio.shtml



0 Comentários