terça-feira, 15 de julho de 2014

As jóias da Dilma

Quase todo mundo sabe que quase toda declaração de renda de candidatos a cargos públicos é peça de ficção. Usam esposas, maridos, filhos, demais parentes, laranjas, jabuticabas e até jabutis para esconder suas posses verdadeiras.

Alguém acredita mesmo, por exemplo, que José Maria Eymael, o simpático e carismático democrata cristão, seja o candidato mais rico de todos? No entanto é assim que ele aparece para quem consulta o site do TSE, talvez porque Ey-Ey-Eymael não seja chegado a men-men-men-mentir.

E a curiosidade me levou - assim como deve ter levado muita gente boa (e se não levou, deveria) - a consultar as declarações de alguns candidatos e, claro, de nossa Soberana, a Maria Antonieta das Bananas, Dilma Vana Rousseff.

Apartamentos, terrenos, lotes, um automóvel do tempo em que ela ainda era brizolista, poupanças, contas-correntes, fundos de investimento e...JÓIAS! Setenta e dois mil reais em anéis, brincos, colares, berloques, adornos, camafeus, penduricalhos e etc.

Sei que todo petista é chegado nesse papo de "ser do povão" ainda que tenha pavor de viver como o povão. Jatinhos, carrões, bilhões afanados e aquele relógio Cartier no pulso do Lula não me deixam mentir. O sonho de todo petista é ser a Marta Suplicy, enquanto o sonho da Marta Suplicy é fingir que é petista proletária e todo mundo acreditar. Falta a ela o "berço" sabe como é?

As churrascadas na laje, as cachaçadas no botequim na porta de fábrica, as panfletagens seguidas de pagode com linguiça, os angus a baiana para arrecadas fundos.

Mas a dona Dilma não. Ex-guerrilheira, militante, comunista de quatro costados, inimiga da coxinhada, colecionando jóias? Risos.

Nada demais, claro, afinal, é garantido pela Constituição o direito do cidadão comprar, usar e guardar ouro e pedras preciosas em casa - ou todas ao mesmo tempo nos dedos, pulsos e pescoço, no caso de pagodeiros e jogadores de futebol - mas espanta que a presidentA popular, aquela que odeia a elite, que é pobre (com "cara de povo" segundo Lula, o curandeiro das popularidades enfermas), que só é vaiada pelos brancos de olhos azuis, coxinhas, fascistas e gente dada a acumulação de riqueza, tenha SETENTA E DOIS MIL REAIS em jóias guardadas em casa.

É muito dinheiro, gente. Quantas casinhas do Minha Casa, Minha Vida dá pra construir só com o que a Dilma guarda em gavetas de caixas de música com bailarinas na tampa ou em cofres dentro do armário, atrás dos sapatos Ferragamo ou Chanel ou Dior ou Louboutin e entre os terninhos feitos sob encomenda?

No final das contas a impressão que passa é que para ser petista duas coisas são necessárias: ser rico com alguma culpa e muita cara de pau ou então ser pobre sem nenhuma vergonha e muita disposição pra subir para o andar de cima o mais rapidamente possível.

De preferência arrombando o cofre.

P.S.: Notem a "raça" auto-declarada. "Branca opressora". Risos.



(Clique na imagem para ampliá-la)

0 Comentários