domingo, 27 de julho de 2014

Imprensa jihadista

Pera aí, se o Hamas disparou antes, foram eles que romperam a trégua. 

Parece um detalhe bobo, mas por aí você percebe como se direciona uma narrativa.

Uma trégua humanitária foi estabelecida, o Hamas resolveu atirar foguetes desrespeitando esta trégua, em resposta Israel voltou a efetuar suas ações de defesa e prevenção. 

Qual a chamada da matéria? "Israel suspende trégua".

Não, o Hamas suspendeu a trégua, queira o UOL, o PT, o chanceler paralelo Marco Aurélio Garcia ou qualquer outro defensor de terroristas.

Essa é a imprensa que a luloburguesia chama de "direitista" e "golpista". Mais alinhada só se fosse escrita pelo João Santana.



0 Comentários