segunda-feira, 7 de julho de 2014

Kinder ovo não pode, maconha pode

A Câmara dos Vereadores de São Paulo resolveu dar mais um passo rumo à estatização dos filhos dos outros. Depois do Congresso proibir a palmada porque a Xuxa não gosta, agora o novo vilão é o Kinder Ovo, que terá que vir sem surpresa, porque brinquedos de brinde podem ser uma má influência sobre as crianças.

Pilantras, canalhas e cafajestes sendo chamados de "excelências", o partido que está no poder permitindo que seus militantes ameacem juízes da suprema corte de morte, um ex-presidente que se comporta como um chefe de gangue, fora o resto, nada disso pode ser "má influência" para a formação das crianças.

O problema está no Lego que ela ganha no Mc Lanche Feliz ou no aviãozinho de montar que vem num ovo de chocolate. Sabe como é, políticos que não conseguem controlar seus ímpetos de roubar, prevaricar, falsificar, mentir, distorcer, saquear e vagabundear fingindo que trabalham devem saber criar a prole alheia melhor que seus legítimos progenitores.

Daí que não é mais sua ou minha a decisão sobre o que nossos filhos assistem na TV, o que comem na merenda do recreio ou o que vão ganhar quando compramos um chocolate, mas de vereadores, deputados, senadores, ministros e outras nulidades e palermas que desfilam por aí acompanhados de vagabundos e puxa-sacos em carros oficiais pagos com nosso dinheiro.

Nem vou me demorar comentando a ironia dessa proibição se dar na São Paulo de Fernando Haddad, a mesma cidade que criou os CERCADINHOS DO CRACK onde viciados consomem livremente a droga que é comercializada nas redondezas. Essa é apenas mais uma ironia dentre tantas situações irônicas nesta nau dos idiotas que são o politicamente correto, o coletivismo e o esquerdismo em geral.

No país onde querem ensinar a crianças nas escolas que "ser bissexual é legal porque você tem mais chances de se divertir" e onde marchas da maconha pedem a liberação de um entorpecente, resolvem proibir brinquedos no Kinder Ovo.

Bom saber que as crianças agora estão a salvo e só poderão ser contaminadas com lixo ideológico marxista por professores frustrados, comprar crack e maconha na porta da escola ou então entrar numa passeata onde verão feministas com as tetas de fora e "sou vadia" pintado de tinta preta sobre o corpo.

Isso sim, ajuda uma infância sadia.



0 Comentários