quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Cadê as feministas, sindicalistas, defensores dos oprimidos?

O site Implicante e a revista Exame finalmente deram nome e rosto à infâmia. 

Praticamente todo mundo que acompanha as notícias sobre política diariamente conhece o caso da funcionária do banco Santander que irritou a luloburguesia. Pra quem estava de férias numa caverna em Brunei, um rápido resumo: o banco enviou aos seus clientes de alta renda um texto que alertava sobre a piora da situação econômica do país em caso de reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Não é nenhum segredo maçônico que toda vez que Dilma sobe, os indicadores econômicos descem e toda vez que a governanta cai nas pesquisas, o dia começa a clarear na longa noite que já dura 12 anos.

Mas se tem algo que o PT abomina são os fatos. O partido que cisma em mostrar nas trucagens do marqueteiro João Santana um país que só existe nos cérebros baldios do líder da seita e seus seguidores, só pode mesmo ser alérgico a verdades inconvenientes.

Daí que Lula, o chefe da manada, resolveu pedir aos berros a cabeça da insolente que ousou dizer aos seus clientes o que eles pagavam para saber: qual é a realidade da economia brasileira.

O ex-presidente naquela sua finura e erudição já famosas disse que "essa moça não entende porra nenhuma de Brasil e de governo Dilma". Pulou de cabeça no poço de lama e mergulhou mais fundo ao completar que "manter uma mulher dessa num cargo de chefia, sinceramente…", e as reticências iniciaram a pausa dramática que só terminou com um "pode mandar ela embora e dar o bônus dela para mim”.

Convenhamos: pegar bônus dos outros é algo que Lula entende como ninguém.

No evento (ilegal) na sede da CUT (aquele ajuntamento de pessoas dependentes de verbas oficiais e impostos sindicais) Lula disse que "o Santander ganha mais dinheiro no Brasil do que em qualquer outro lugar do mundo", como se prometesse "mas pode perder, se não se enquadrar".

O banco, de forma pusilânime, cedeu aos berros autoritários do lulopetismo e matou o mensageiro. A economia vai mal? Calem a boca dos que dizem isso em voz alta.

A partir de agora a desconfiança nas análises econômicas apresentadas por bancos entra na conta das instituições que o PT afundou no seu charco de mentiras, desmandos e absurdos. Quem vai acreditar no que diz alguém que teme dizer a verdade?

Como a funcionária do Santander disse a verdade, foi punida. Se mentisse deslavadamente, talvez tivesse chance até de ser "presidenta" da República um dia.

Mas hoje a vergonha, o autoritarismo, o chavismo do PT finalmente ganharam um nome e um rosto: Sinara Polycarpo Figueiredo era, até há poucos dias, superintendente de investimentos do banco Santander. Hoje está sem emprego, porque o PT a demitiu por dizer a verdade.

Não sei onde estão agora as feministas, os sindicalistas e demais defensores dos "oprimidos" que não saem em defesa dessa que Lula chamou de "moça que não entende porra nenhuma de Brasil" e está no olho da rua por cometer o pecado de fazer o seu trabalho.

Provavelmente estão todos na campanha da Dilma, aquela mulher que eles juram que entende muito de Brasil, mas que não consegue fazer porra nenhuma que preste.

Link da notícia 1: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/esse-assunto-ja-se-esgotou-diz-demitida-pelo-santander

Link da notícia 2: http://www.implicante.org/noticias/a-executiva-que-lula-mandou-demitir-e-o-silencio-das-feministas-governistas/



0 Comentários