segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Dia do soldado

"Venho das praias sedosas,
Das montanhas alterosas,
Dos pampas, do seringal,
Das margens crespas dos rios,
Dos verdes mares bravios
Da minha terra natal.

Por mais terras que eu percorra,
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá;
Sem que leve por divisa
Esse "V" que simboliza
A vitória que virá:
Nossa vitória final,
Que é a mira do meu fuzil,
A ração do meu bornal,
A água do meu cantil,
As asas do meu ideal,
A glória do meu Brasil."

Ao som dessa canção, entre 1943 e 1945, vinte e sete mil e quinhentos jovens brasileiros se despediram de seu país e rumaram pelo Atlântico até a Europa, onde o frio, o desconhecido e um inimigo altamente treinado os esperava.

O equipamento não era adequado, as condições não eram favoráveis, as chances não estavam a seu favor, mas ainda assim eles foram em frente, lutaram, impressionaram seus aliados e seus inimigos pela bravura, conquistaram amplas extensões de território, hastearam a bandeira brasileira em um continente distante e 443 deles deixaram sua vida por lá.

Esta história é apenas uma dentre tantas vividas por este indivíduo tão necessário, importante, corajoso, destemido, heróico quanto esquecido que é o soldado brasileiro, célula do Exército Brasileiro, que ao mesmo tempo existe por causa dele e o faz existir através de si.

Lembrado constantemente por seus detratores apenas por golpes de Estado e repressões que nada mais eram do que disputa pelo monopólio do controle do país à direita ou à esquerda, o Exército e os seus soldados são muito, muito mais do que isso.

De 1821 quando na Guerra da Independência chegando até a Segunda Guerra Mundial, estes homens e mulheres sempre deram ao país muito mais do que o país lhes deu.

Hoje faltam condições, provisões, equipamentos, verba, enfim, falta quase tudo, mas ainda assim quando um desastre natural ocorre, quando a segurança pública desanda, quando uma estrada precisa ser aberta, uma ponte emergencial ser construída, medicamentos precisam chegar aos locais mais distantes, alguma população carente precisa de cuidados, quando as instituições estão em perigo, quando a Amazônia precisa de quem monte sua guarda, enfim, quando a pátria chama, são eles que atendem, com coragem, honestidade, vibração, sem pedir nada em troca, nem mesmo reconhecimento.

Mas hoje, 25 de Agosto de 2014, dia do soldado, presto a eles a homenagem que não pedem, mas que merecem.

A cada um de vocês, obrigado.



0 Comentários