sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Greve de estudantes? Mas quem sente falta deles?

Acompanhando notícias sobre mais uma greve e observando o vácuo intelectual e confusão mental dos alunos da USP - a "melhor" universidade do Brasil - dá pra perceber como o país está na pior.

Se esse é o "nível superior", imagine o que não tem no porão.

A esquerdização da mente dos estudantes do país - algo que só pode ser comparado aos efeitos de um vazamento atômico - formou verdadeiros exércitos de idiotas. Só isso explica a existência de gente que não entenda que uma "greve de estudantes" é ridícula sob vários aspectos, mas principalmente porque NINGUÉM SENTE FALTA DELES, já que não prestam serviço algum, pelo contrário.

O esquerdista-padrão é tão estúpido que não compreende que a única forma de uma "greve de estudantes" exercer alguma pressão real, seria em uma universidade privatizada, que estaria economicamente susceptível à uma interrupção no pagamento das mensalidades.

Tirando isso é o país que agradece se não precisar mais dar bolsa de monitoria, bolsa de iniciação científica ou alojamento para gente que vai se formar e continuar pendurada nas tetas da viúva como professor-grevista, funcionário-grevista ou simplesmente algum barnabé faltoso.

Por isso fica aqui a sugestão: façam uma greve eterna, nem apareçam mais na faculdade, punam essa sociedade capitalista burguesa e malvada com o seu desprezo e a sua ausência.

Se é por falta de adeus, tchau.



0 Comentários