sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O Estado na sua casa

Você mora numa casa com sua esposa, um casal de filhos, um cachorro, um gato, um hamster e algumas plantas.

Sua esposa vive reclamando que você não abaixa a tampa do vaso, você reclama que ela não te deixa assistir seus jogos de futebol em paz, seu filho não gosta de fazer os deveres de casa, sua filha falta o inglês para ficar brincando de queimado, o cachorro faz xixi no tapete e o gato fica implicando com o hamster, que dorme o dia inteiro.

Um belo dia você acorda e tem um transformer na sua sala. Ora ele está de terno e gravata, ora com uma roupa de comandos em ação. Você estranha, mas antes que possa perguntar qualquer coisa o sujeito-robô diz que está ali para resolver seus problemas.

Vai estabelecer um quadro de horários para você e sua esposa usarem o banheiro, e em troca de um limite de reclamações diário por parte dela e do seu direito de assistir futebol às quartas e domingos (os outros dias estão vedados) você se compromete a não deixar a tampa do vaso levantada, sob pena de multa e até um período morando na casinha do cachorro.

Seu filho vai ser convocado a fazer os deveres de casa nem que para isso precise o uso da força e sua filha será proibida de comer sobremesa se faltar o inglês. Caso ela se recuse a cumprir essa determinação suas bonecas serão confiscadas.

Para não fazer mais xixi no tapete, seu cachorro será proibido de entrar na sala, ainda que você goste de ficar brincando com ele enquanto assiste TV e nem ligue tanto para o carpete. Essa medida, explica o monstro-robô, é para o seu bem e do cachorro.

O gato deverá manter distância da gaiola do hamster, caso contrário será expulso da casa. Por sua vez o hamster só poderá dormir em horários que atendam à necessidade da coletividade interagir com o animalzinho.

Por estes serviços que você não pediu, o misto de engravatado e fardado vai cobrar uma taxa de 40% dos seus rendimentos e caso você não pague ou alguém da sua família se rebele contra as regras, ele vai descer o cassetete em todo mundo e fazer com que cumpram na marra.

Haverá taxas para usar o banheiro, a cozinha e você precisará de documentos para entrar e sair de casa.

Para fazer uma obra ou reparo precisará solicitar autorização ao robô, que se reserva ao direito de cuidar de coisas como o encanamento, a marca da sua pasta de dentes e o tipo e modelo da sua geladeira.

Caso algum reparo não fique do seu gosto ou algum equipamento seja muito ruim, você pode adquirir outro por conta própria, mas isso não te eximirá de continuar pagando a taxa ao robô, que a essa altura já se instalou no melhor quarto da casa, resolveu que não precisa seguir as regras que ele mesmo criou - usando o banheiro na hora que bem entende e deixando a tábua suja de óleo (xixi de robô, sabe como é) - e terminou criando mais problemas do que os que você tinha sem ele, que ficou tão folgado que acha até que pode passar a mão na sua bunda e na da sua mulher.

O gato resolveu juntar seus trapos e sumir, o cachorro passa o dia latindo e quebrando tudo no quintal e o hamster continua dormindo o dia inteiro porque conseguiu fugir da gaiola e agora mora escondido no meio das plantas.

Ah sim, o nome do intruso é "Levi Atron", mas pode chamar de Estado Forte Filho da Puta que ele deixa. É o mínimo que poderia fazer, já que ferra a sua vida.
0 Comentários