sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Um mimimi do cacete com direito a todos os chavões e frases feitas do glossário do esquerdista de galinheiro, tipo "sinto a dor do preto, do favelado, do presidiário", uma parouvela cansativa - "despertar esse devir minoritário nos indivíduos" o que, convenhamos, é coisa de sujeito que se acha um filhote do cruzamento de Deleuze com Fidel Castro - para, no final, confessar o que até os dólares escondidos na cueca de algum companheiro já sabiam: trata-se de um petista envergonhado, enrustido, escondido no armário que, dane-se o país, vai votar no Neurônio Solitário no segundo turno.

Inventam desculpas talvez para enganar a si mesmos e ignorar o fato de que são o que são: piolhos da barba do Lula.




0 Comentários