segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Impeachment sim

Impeachment sim. Golpe é um partido de ladrões lotear uma estatal, saqueá-la e praticamente quebrá-la. Golpe é usar centrais telefônicas piratas para enviar mensagens e telefonemas para eleitores com diversas ameaças e terrorismo. Golpe é mentir e usar os Correios e a máquina estatal para espalhar essas mentiras. Golpe é se eleger sob determinadas regras e já no discurso da "vitória" avisar que vai colocar a tropa na rua para mudar essas regras com reformas e plebiscitos bolivarianos. Golpe é aparelhar vergonhosamente o STF e o TSE, instalando ali não magistrados, mas advogados do partido. Golpe é tratar um oposicionista, seja ele político ou eleitor, como um inimigo. Golpe são planos de passar décadas no poder. Golpe é querer censurar a imprensa e as vozes dissonantes.Golpe é maquiar e esconder estatísticas desfavoráveis. Golpe é colocar exércitos de marginais nas ruas agredindo pessoas e vandalizando órgãos de imprensa que não fazem genuflexão ao partido. Golpe é defender aberta e descaradamente a volta da censura. Golpe é sofrer pesadas denúncias e desqualificá-las, achando que urna absolve crimes.

Caso o que o doleiro Alberto Youssef disse seja verdade, Dilma Rousseff merece não somente sofrer impeachment como ser julgada, condenada e presa. E assim como ela todos os envolvidos, até mesmo Luiz Inácio Lula da Silva, que pensa ser um cidadão diferenciado fora do alcance da lei mas que, se este país ainda tiver um resto de vergonha na cara, vai descobrir da forma mais surpreendente possível que não está acima da lei.

Governabilidade é problema do governo, à oposição cabe fazer oposição, de preferência uma oposição tal qual o PT faria caso Aécio Neves tivesse sido eleito.

Os 51% que elegeram Dilma Rousseff elegeram uma crise esperando para estourar. Elegeram uma ameaça de impeachment ambulante. Que não venham tachar ninguém de golpista ou coisa parecida, porque elegeram um governo sujo por livre e espontânea vontade. Ao país que presta, que não se vende por tostões ou milhões, cabe cobrar que a lei seja cumprida e a lei é clara: caso as denúncias do petrolão sejam comprovadas, trata-se de crime de responsabilidade e o governo deve ser removido. É a lei, está na Constituição, conformem-se em conviver durante quatro anos com isto, foi a sua escolha, não a minha.

Se agora as bombas de efeito retardado vão estourar e transformar Dilma II em algo muito parecido com Sarney I, não sei, mas parece que sim. Torço por isso? Não. Mas torço para que o fim da vida política de Dilma Rousseff seja o mais melancólico, desastroso e vexatório possível, porque será o castigo merecido para a pessoa que comandou a campanha mais suja, violenta, caluniosa, odiosa, lamacenta e nauseante de toda a história.

O país vai sobreviver ao que vier, mas que ao fim da tempestade possa acordar e perceber que não se entrega o comando do navio para os piratas, a menos que você seja um deles ou tenha um estranho prazer em ser a vítima.

Não há noite que dure para sempre, este longo pesadelo há de terminar, mas o lugar do PT é nas trevas de onde veio, para onde arrastou o Brasil e para a qual ainda irá retornar.

Pelo conjunto da obra, sim, este governo merece cair. Que caia.


0 Comentários