quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Para o PT, privilégio são os outros pensarem

Conheci a dona Vera quando ainda era criança, já cozinhava que é uma maravilha. Hoje dona Vera continua cozinhando, curiosamente no mesmo local onde trabalho, que oferece refeitório com almoço para os funcionários.

É uma paraibana de gênio forte, que veio para o Rio trabalhar e construir sua vida. Já trabalhou em supermercado, em casa de família e hoje complementa sua renda cozinhando num fogão industrial para uma dúzia de bocas famintas.

Mora num bairro com todos os problemas dos bairros populares do Rio de Janeiro, pega ônibus lotado, viaja todo ano para visitar a família na Paraíba (esse ano me trouxe um caminho de mesa lindo de presente) e gosta de conversar comigo sobre as boas coisas da sua terra - que já visitei duas vezes e, se pudesse, iria toda hora - como a comida, o ritmo desacelerado, a simpatia da gente de João Pessoa, as praias e todas as belezas daquela que é, para mim, a cidade mais linda do Nordeste e com certeza uma das mais lindas do Brasil (Top 3 fácil).

Não é rica, não nasceu no Sudeste, não faz parte de nenhuma elite, trocou o ônibus pelo avião para ir para a sua terra natal nas férias, passou a consumir mais (comprou um laptop e aprendeu a usar a internet, tem conta no Facebook e ali compartilha seus bons momentos e o que pensa sobre tudo), enfim, tinha tudo para ceder às ameaças e à guerra suja do PT. Mas nada disso.

Um dia virou pra mim e disse:

- Menino, essa Dilma pensa que me engana, mas só me confunde porque não entendo nada que ela diz.

Outra vez disse:

- Eu que não cuide de mim pra ver se o governo me dá alguma coisa.

Dessa vez ela resolveu postar uma opinião política no Facebook, uma conclusão a que todo brasileiro que, como ela, usa a cabeça para pensar já chegou faz tempo: se até a Dilma fala em mudança, então é melhor mudar de governo logo.

Dona Vera não foi pra faculdade. talvez por isso não tenha sido contaminada pela esquerdopatia aviária, essa moléstia que transforma qualquer um em esquerdista de galinheiro. E, diferente do Lula, Dona Vera nunca teve um partido para pagar suas contas, então precisou trabalhar, atividade que não só imuniza a pessoa contra a esquerdopatia aviária como também contra o petismo acanalhante.

Daí que é uma pessoa inteligente, mas com aquela inteligência boa, não uma inteligência parecida com a do Lula, muito boa mas só para o que não presta, por isso sabe que comprar coisas e viajar de avião não faz um país ser melhor, isso é bom, claro, mas é preciso mais. E isso, futuro, o petismo não tem para oferecer. O petismo só tem o passado e os tais "fantasmas" do passado que sua propaganda doentia inventa onde jamais existiram.

Em tempo: Dona Vera, nordestina, pobre, migrante e trabalhadora é, para o PT e seus militantes, uma coxinha elitista que só quer manter seus privilégios.

Mas a verdade é que o único privilégio dela é pensar. E isso o PT não perdoa.



0 Comentários