terça-feira, 28 de outubro de 2014

Seja bem vindo

Nesta segunda-feira, vinte e sete de outubro de 2014, o Brasil amanheceu uma pátria acanalhada. E como muito bem observou um dos meus leitores no Twitter, não somente acanalhada, mas acanalhante.

Hoje é o primeiro dia de um período muito estranho e muito triste da história do país. Seja lá o que vier, nada mais será igual.

Jamais saberemos se o resultado proclamado pelo TSE foi mesmo o resultado que o eleitor depositou nessas urnas que não permitem auditoria pós-eleitoral ou recontagem, mas é inegável que milhões de brasileiros saíram de casa para deixar um recado claro à posteridade: o crime não só compensa como dá voto. Os crimes da mentira, da calúnia, do terrorismo, das ameaças, tudo isso foi premiado com uma vitória na eleição.

Existem os que mandam e existem os que executam, o resto é ovelha. E não há espaço para tanta ovelha na máquina petralha. Se o problema era mesmo "pobre andando de avião", com essa política econômica do PT a elite pode ficar tranquila, já, já o pobre estará de volta ao pau-de-arara. Digo isso porque 0,30 ou 0,50 centavos de alta do dólar não acaba com a viagem da classe média nas férias, mas encarece a cesta básica. E aí, quem vai sofrer?

Mas adiante.

Já no meio da tarde do dia seguinte da ida das ovelhas às urnas a ministra da "igualdade racial" dizia que agora Marina Silva pode voltar para casa e fazer a bainha da saia, Dilma repetia a cada minuto que fará a "reforma política que o Brasil exige" (cabe a pergunta: QUE Brasil?) e militantes do partido mandavam "beijinhos no ombro" e "chupas" para os eleitores da oposição, prometendo "agora é tudo nosso, quem não gostar que fuja pra Miami", como se Miami não estivesse infestado de novos ricos petistas gastando o dinheiro dos outros.

Petista é aquele tipo de gente que consegue sentir raiva porque ganhou.

Só que o festival de cretinices não ficou por aí. Mais ou menos 24 horas depois de vencer perdendo a dignidade e a compostura, Dilma Rousseff já estava na TV dando coices numa repórter da Record. Como não precisava mais pedir voto, resolveu voltar ao seu simpático estilo "mula que pisou no prego". Aliás, Dilma sendo uma cavalgadura é simplesmente Dilma sendo Dilma. Quem votou contra queria se livrar, quem votou a favor que não se espante.

Fora isso, Guido Mantega disse que a vitória significa a "aprovação da política econômica", e Gilberto Carvalho junto com Rui Falcão afirmavam que o "controle da mídia" é prioridade, ou seja, que no que depender do PT vai ter censura sim.

Meus caros, se está assim um dia depois da eleição esperem pra ver daqui a um ano.

Com a economia em frangalhos, o dólar descontrolado e a bolsa despencando, as prioridades anunciadas até agora são: reforma política com plebiscito bolivariano e um ministério para o Jean Wyllys. O PT sabe que tem no máximo seis meses para dar a largada na guinada à esquerda, se passar mais será engolfado de crise em crise até o final do governo Dilma II. Eles têm noção de que a situação econômica que vem aí é idêntica ao que um gato faz na caixa de areia, então nem vão perder tempo tentando consertar muito, vão partir para a radicalização de vez. A reforma política para o PT só precisaria de um artigo: é assegurada a alternância de poder entre companheiros. O resto é perfumaria.

Cabe à oposição agir e ficar sempre alerta, porque não existe país mais triste do que aquele onde Lula, Dilma, Gilberto Carvalho, Rui Falcão e outros crápulas estejam felizes.

Governabilidade é problema deles. Oposição propositiva só se for para propor o impeachment de Dilma Rousseff após a apuração do petrolão. Quem pariu Mateus que o embale.

Assim fica a dica pra Dilma e o resto do PT: quando der algum problema (e vai dar), não peçam união nacional, pacto social e nem paciência, chamem o João Santana pra "desconstruir" o problema.

O dólar subiu? Espalhem boato dizendo que ele bate em mulher. A inflação disparou? Insinuem que ela cheira pó. A bolsa caiu? Chamem os operadores de playboys. As obras de infra-estrutura pararam? Perguntem se já fizeram teste de bafômetro. As contas públicas estouraram? Digam que é por causa do preconceito da elite nazista descendente de Herodes contra nordestinos. Se vira, malandro.

Os eleitores do PT, não os pobres coitados que sofreram ameaças de passar fome, mas esses "esclarecidos" que embarcaram na nau dos insensatos também podem ajudar o governo que ELES escolheram, é simples: transportes públicos ruins e caros? IOF escorchante? Inflação? Prestação do seu carrinho salgada? A passagem subiu? O pedágio aumentou? A conta de luz vai crescer 25% no Rio de Janeiro? Ah, pede pra Dilma Bolada fazer uma piada "dilmais" que tudo fica 100%.

Tá faltando água no banheiro da federal? O professor vagabundo do sindicato falta mais do que vai, dá aula merda e ainda faz greve? Mande um "chupa" pra um tucano que passa. E um 13eijinho no ombro pros recalcados.

CPMF vai voltar? A polícia desceu a borracha naquela manifestação pelo "passe livre"? Dá um papo no tio Emir, no Paulo Henrique Amorim, na Socialista Morena, no José de Abreu ou no 247 que com certeza eles dão um abraço e um Alpino para te consolar. De novo: se vira, malandro.

Se e quando eles conseguirem tudo o que planejam e a imprensa virar um diário oficial, a opinião for criminalizada, o Estado totalmente aparelhado e a alternância de poder for uma miragem, não se pergunte "como chegou nisso?", como se você fosse inocente, porque você não é. Lembre do olavete que você debochava dizendo que acredita em "golpe comunista" te avisando com bastante antecedência.

E seja bem-vindo àquilo que você dizia que era coisa de quem via bolivariano debaixo da cama.
0 Comentários