sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


Pior do que uma feminista são esses "homens feministas" que, de tão ridículos, conseguem ser desprezados pelos dois lados. Feminazis acham que eles estão ali para manginar em troca de atenção, homens acham que eles estão ali só para manginar mesmo. Em comum, repito, o desprezo.

O mesmo acontece com esses brancos que se doem mais pela "dívida histórica" do que muitos negros. São os cavaleiros brancos em defesa "duzomrimidu". São mais brancos que mingau de maizena, mas quando você ouve um deles falar parece que chegaram anteontem ao Brasil trazidos num navio negreiro e que fugiram da senzala ontem. 

A culpa e a "luta de classes" enfiada nessas mentes pelos comunas no ensino médio fez este mal à cabecinha deles, é praticamente inútil tentar remediar.

Sorte que vários negros não possuem cérebro baldio e entendem que a despeito do passivo social do país - não nego que este exista - coitadismo só leva à mais coitadismo e à mais dependência. Estes praticamente imploram aos brancos "bonzinhos":

- Pode parar de me defender, vá cuidar da sua vida, cara.

O problema é que "progressista" prefere dar expediente na vida alheia do que cuidar da sua, afinal, "defender minorias" é um negócio bem mais lucrativo do que trabalho, por exemplo.
0 Comentários