sábado, 15 de novembro de 2014

Mão na massa ou mão na "massa"?


Paulo Henrique Amorim, aquele sujeito que anda protagonizando episódios diários da série "O Esperneio do Estafeta", anda enfezado com o juiz Sérgio Moro e a operação lava jato.

Mas não só ele, claro, a turma dos "blogs progressistas" e revistas oficiais está sendo obrigada a dar duplos twists carpados na hermenêutica para dizer basicamente o seguinte: SE houve mesmo petrolão, não é exclusividade do PT, então é preciso urgentemente arrumar alguns tucanos para jogar no mar de lama sem bote e nem bóia.

Notem bem o "se" houve, porque nem com investigações em andamento no Brasil, nos Estados Unidos e na Holanda eles admitem que haja fogo de onde sai essa fumaça.

Claro que a turma já evoluiu uns 1000%, chegando a admitir que PODE HAVER petrolão. Culpa dos tucanos, lógico, mas não vamos exigir demais deles. É mesmo difícil defender o PT sem apelar para gambiarras argumentativas.

O PT jurava que assim que chegasse ao poder, a tradição de corrupção do país ia mudar. E mudou mesmo, passou de roubar milhões para a casa dos BILHÕES.

E essa dinheirama toda compra tudo, até consciências. 

Mas estranha mesmo foi uma afirmação do autor do blog "Conversa Fiada", o funcionário do "bispo" Macedo que de tão chapa branca, se fosse um carro seria algum sedan preto com vidros fumê.

Disse ele no meio de um daqueles seus textos com parágrafos de uma frase que mais parecem um cabrito cagando: "Fique bem claro: não serão “delatados” portadores de “privilégio de foro”, porque, aí, se antecipa a intervenção do ministro Zavascki.".

"Intervenção do ministro Zavascki"? Que "intervenção" seria essa? Segredo de justiça? Esfriamento das investigações? Mais alívio para o "núcleo político" tal qual aconteceu no mensalão? Convenhamos que a atual composição do STF não inspira muita confiança quando se trata de dar a petistas o rigor da lei. Afinal ali chegou-se a criar a figura jurídica do grupo de pessoas que se unem para cometer ilícitos mas não são uma quadrilha.

Depois disso, nada mais me espantaria.

Fica então a dúvida: quando autoridades com foro privilegiado forem citadas (e serão) o STF vai receber inquérito da operação lava jato e fazer o quê?

Colocar a mão na massa ou  colocar a mão na "massa"?

Eis a dúvida que vale alguns bilhões.

Link do texto com o trecho curioso sobre o Zavascki já usando um encurtador de churume: http://naofo.de/21t5
0 Comentários