terça-feira, 25 de novembro de 2014

Você e os piratas


Ontem resolvi assistir a reunião da comissão mista de orçamento na TV Senado. Sei que é um trabalho sujo, mas alguém tem de fazê-lo, então peguei meu estoque de Plasil e Imosec e fui para a frente do computador ver aquele show de horrores de fazer inveja ao Jason Voorhees (pesquise se precisar). 

Na pauta uma mudança proposta pelo governo que, resumidamente, permite à Dilma Rousseff violar a lei de responsabilidade fiscal sem ser responsabilizada por isso. Como é público e notório, o PT incendiou o tesouro nacional e torrou todos os recursos na sua gastança pré-eleitoral. Agora, como sempre, chegou a hora de pagar a festa e a Incompetenta corre o risco de ter suas contas rejeitadas, porque o governo não cumpriu a meta.

Qual a solução do governo para isso? Ajustar as contas, cortar gastos, mandar alguns milhares de vagabundos de cargos comissionados de volta para a iniciativa privada, roubar menos? Não. Fazer terrorismo ameaçando "paralisar o país", "cortar emendas" e usar o rolo compressor da base alugada para transformar o ilegal em legal, mudando a lei.

É mais ou menos o mesmo que colocar o Fernandinho Beira-Mar para determinar o que é ou não tráfico de drogas.

Só que legalizar ad hoc - se é que tal absurdo possa ser definido - a violação da lei de responsabilidade fiscal em nome do poderoso de ocasião, fora a completa desmoralização das leis do país, abre perigosos precedentes. Por exemplo, o que fazer com todos os prefeitos que foram cassados e punidos por violar tal lei? Dilma pode, eles não?

Outra, amanhã algum governante com uma base alugada fiel resolve colocar a oposição na ilegalidade, censurar a imprensa ou revogar a lei da gravidade, e aí? O que o impede de fazer isso, já que Dona Dilma inaugurou a prática do infrator mudar a lei a seu favor?

Claro que são exemplos absurdos, hiperbólicos, destinados a explicitar o absurdo disso tudo, mas assistir ao show de cinismo que é uma Gleisi Hoffmann defendendo a quebra do país pelo bem do país ou o Romero Jucá criar o "superávit negativo" é a prova de que o petismo é deletério em tantos níveis diferentes, que somente a sua derrota completa impedirá a destruição moral e econômica do país.

Ver pela TV esses governistas atuando no Congresso é praticamente a mesma coisa que testemunhar a tripulação de um navio pirata saqueando um galeão.

Durante um acalorado debate com a oposição, um dos governistas disse a seguinte frase:

- Podem atrasar a votação o quanto quiserem, nós podemos sair daqui as 4:00 da manhã, mas vocês sabem que isso vai ser aprovado e pronto.

É isso. Eles fazem e pronto, dane-se o país. Quem vai sofrer as consequências não são eles mesmo, com seus jatinhos, lanchas e casas de praia.

Quebram o país, te mandam a conta e ainda riem da sua cara. As "excelências".
0 Comentários