sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

O império dos cretinos


Afinal, alguém merece ser estuprado ou depende, se for um coxinha dane-se o "mais amor, por favor" e sim, merece ser estuprado, apedrejado e fuzilado no paredón?

A pergunta torna-se pertinente por conta de mais uma performance da Socialista Morena no Twitter. Disse ela:

- Quem defende o Bolsonaro merece ser estuprado. (Ou algo parecido, já que ela deletou o post logo em seguida).

Pessoas em geral:

- Como é? Isso sim é apologia ao estupro, que absurdo.

Saída sagaz da Morena:

- Falei que quem defende o Bolsonaro merece ser estuprado por ELE.

Todos:

- Tia, continua a mesmíssima coisa.

Grand finale:

- Era uma ironia, fui mal compreendida.

A esquerda nunca erra, são sempre "mal compreendidos", o que é uma forma de dizer que somente os outros erram, nem que seja por serem pouco inteligentes para captar a sagacidade deles.

Mas a blogueira da Carta Capital muito provavelmente não errou ou foi mal compreendida, apenas deixou o conteúdo de sua mente vazar sem querer num desses faniquitos que esquerdistas dão quando descobrem que nem todo mundo pensa igual a eles.

É como se dissessem "Nossa, como pode uma pessoa ser molestada por comunistas no Ensino Médio e não sair dali com essa Síndrome de Estocolmo versão DCE?".

Eu particularmente acho mais compreensível alguém defender o Bolsonaro do que defender o Lula. Mas adiante.

Por dizer que não estupra alguém porque a pessoa não merece, o Bolsonaro foi logo transformado num estuprador que na verdade quis dizer que ser estuprado por ele é um prêmio. Mas uma militante do PT em ambientes virtuais dizer que defensores do Bolsonaro MERECEM ser estuprados não é nada demais, foram os coxinhas que "não entenderam" a finíssima ironia.

É claro que todo mundo entendeu o que o Bolsonaro e a Cynara Morena falaram, mas esquerdistas são assim mesmo, fingem que entendem do jeito que quiserem, às favas com a verdade e os fatos. O lado bom desse surto de sincericídio da blogueira é que mostra que é grande a chance deles estarem obrando solenemente para estupro, o negócio é guerra ideológica e só. Mas deixando a moça de lado, vem a pergunta: e o resto?

Não fosse assim por que partidos e entidades de esquerda seriam contra penas mais duras para estupradores? Ou contra diminuir a maioridade penal para este crime? Simples: porque a impressão que passa é que só ligam para o tema quando este serve de poleiro para atacarem seus adversários com suas bazucas de pombo.

E o mesmo se dá com "racismo", "machismo", "homofobia", "discurso de ódio", etc. Quando uma torcedora gremista - branca, cabe destacar - chamou um goleiro de "macaco" no calor de uma partida decisiva, foi atacada impiedosamente até que sua casa fosse apedrejada e incendiada. Quando o "Blog da Dilma" comparou Joaquim Barbosa a um macaco, nenhum puxa-saco, ONG Afro, entidade de direituzumanu, parasita, pena alugada por estatais ou militonto apareceu sequer para dizer que aquilo estava errado.

Quando na eleição de 2008 a petista Marta Suplicy fez insinuações sobre a sexualidade de Gilberto Kassab, nenhum "progressista" apareceu para berrar que isso é preconceito ou "homofobia". Quando um "filósofo" de catacumba disse que desejava que Rachel Sheherazade fosse estuprada, nenhuma feminazi com fobia de depilação - seria gillettofóbica? - apareceu para falar em machismo ou apologia ao estupro.

Quando Lula, visivelmente alterado sabe-se lá pelo que, subiu num palanque para chamar Aécio Neves de bêbado, espancador de mulheres, nazista e cafajeste, não apareceu uma Jandira falando em "discurso de ódio".

Eles não são capazes nem de fingir. Falam em "viúvas da ditadura militar" como se não fossem as rascoeiras das ditaduras cubana e venezuelana. Tudo bem que fica difícil contestar quem, em muitos casos, te sustenta com o dinheiro dos outros, mas um pouco de pejo não faria mal a ninguém.

O problema é que não há limites para a hipocrisia da esquerda, a vida, como um todo, para eles é guerra, é disputa de território onde nenhum espaço pode ser concedido ao "inimigo", nem mesmo o espaço onde ele merece e deve ser respeitado como humano.

Eles precisam sair por aí urinando em poste, marcando território na peleja ideológica para deixar bem claro quem é que manda. Não interessa se a verdade ou mesmo a honra dos outros serão devastadas no processo, para eles não passa de dano colateral.

Porque sem a mentira, a hipocrisia, a falsa indignação, a distorção, o liberticídio, o emburrecimento coletivo e a histeria direcionada, a esquerda é inviável.

Trata-se, inapelavelmente, do império dos cretinos.
0 Comentários