quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Os EUA, Cuba e o petismo botocudo

(Clique na imagem para ampliá-la)

Esquerdista falando em "senso comum" é mais ou menos como um burro reclamando do zurro. Talvez por isso nossa musa das catacumbas dos cérebros baldios, a Socialista Morena, tenha dito que hoje é um "dia mais especial pra tirar sarro de reaça".

O motivo? Os Estados Unidos anunciaram que pretendem retomar relações diplomáticas com a ilha-prisão dos irmãos Castro.

Não vou me alongar explicando que todo anti-americano ama o Obama, o primeiro presidente de terceiro mundo que aquele país teve, vou apenas me deter num fato curioso: tem esquerdopata por aí comemorando o reatamento das relações entre o paraíso cubano e os imperialistas decadentes carniceiros como se fosse um gol de placa marcado por Stalin depois de passe do Pol Pot na copa do mundo dos genocidas.

Para essas cabeças de fertilizante orgânico, o decadente e combalido império estadunidense finalmente cedeu à realidade e pediu penico, se postando de joelhos implorando para ser salvo do ocaso pelo colosso socialista com seu potente mercado consumidor de trabalhadores ganhando um dólar por dia.

Como se sabe, nenhum cubano é analfabeto e quase todos possuem diploma superior, o que faz do país um dos melhores do mundo quando o assunto são prostitutas universitárias e cafetões com doutorado per capita. Além disso a medicina cubana se destaca na luta contra várias doenças pelo mundo afora. Basta ameaçar levar o vírus para morar na masmorra dos Castro que ele comete suicídio e o doente se cura.

Chistes à parte, a reação do petismo quando soube da notícia é algo digno de risos. Como estão perdendo a batalha da opinião pública no Brasil e o partido virou uma espécie de Geni - nada mal para o partido do Chico - eles buscam desesperadamente uma vitória moral - sem urna eletrônica marota - para chamar de sua.

Nessa vale dizer que o Papa é socialista ou que os EUA capitularam para Cuba, entre outras coisas. Pela lógica baldia petralha o fato de Obama - leniente com talibãs, terroristas do ISIS e tiranetes das bananas - dar um refresco para a ditadura castrista não tem nada a ver com o próprio Obama ou Cuba, mas com uma goleada política da suposta presidenta e seu partido:

- Os EUA e Cuba vão reatar relações, chupa, coxinhas!

É como você comemorar um título do Roger Federer gritando "ganhei!". Sem contar o papelão desse Raul Castro, hein? Estadunidenseafetivo, americanizado, vira-lata entreguista coxinha safado.

Eu prefiro achar que ainda que o reatamento devesse acontecer somente quando a ilha-prisão virasse uma democracia de fato, pelo menos agora os americanos terão pacotes turísticos para conhecer o "Wonderful Castro Prison Island and Resort", com direito a 15 dias de fome, desespero e censura all inclusive.

Já os cubanos finalmente vão poder entrar num consórcio revolucionário e depois de 36 prestações mensais retirar um saco de batatas fritas do Mc Donald's. Imagine as possibilidades de negócios? Amazon-Cuba: tudo com frete grátis para o Brasil a partir do porto de Mariel, afinal você já pagou pelo porto mesmo.

Depois só vai faltar abrir uma Apple Store em Havana para os revolucionários do Toddynho e comunistas de fancaria poderem dizer que compraram seus MacBooks, iPhones e iPads por lá. Na inauguração da loja cubana periga rolar até alguma promoção no estilo: na compra de dois aparelhos leve um médico escravo de brinde.

Sem contar que os "blogueiros progressistas" vão ter uma bela desculpa na volta das férias:

-.Passei um mês em Cuba, mas precisei fazer 29 dias de escala em Miami.

Mas para concluir, afinal, quem se deu bem nessa? Quem capitulou? Todo mundo tem direito de achar o que quiser, mas existe uma maneira fácil de verificar, que é o tráfego de balsas no Golfo do México.

Para onde mesmo corre o fluxo de famintos e exilados em busca de trabalho e democracia? Resposta: para o lado certo.
0 Comentários