sábado, 31 de janeiro de 2015

Tzeva adom


Tzeva adom. Tzeva adom. Cor vermelha, cor vermelha. Ao ouvir estas palavras saindo de um alto-falante, israelenses de todas as cidades próximas da fronteira com a Faixa de Gaza já sabem o que fazer: procurar abrigo.
Dependendo da cidade em que estejam eles tem muito tempo: 15 segundos. Em Sderot, por exemplo, são apenas 5. Mas qual a opção? Abandonar seu país e fugir? Ceder ao medo? Não.
Israel não existe porque foi algo fácil de se fazer e nem porque é algo fácil de se manter. Israel existe para que pessoas não precisem deixar de ser quem são para viver, prosperar e criar sua família de acordo com suas tradições.
No fundo Israel é um grande abrigo, um posto avançado da civilização, um país que convive muito próximo com aqueles que desejam destruí-lo.
E suas crianças descobrem isso muito cedo. Bombas, foguetes, ameaças não deveriam fazer parte da infância de ninguém, mas infelizmente fazem em muitos lugares do mundo. A diferença é como você lida com isso, se vai ensinar o ódio às suas crianças ou se vai ensiná-las a ser quem são, defender o que são e apesar disso não perder a humanidade.
Neste vídeo crianças de um Jardim de Infância israelense cantam uma música chamada "Tzeva Adom", para aprender o que fazer, para não esquecer e para conseguir suportar com graça a parte roubada de suas infâncias.
"Cor vermelha, cor vermelha, corra para um lugar seguro, corra porque está perigoso, meu coração está batendo, meu corpo está tremendo, mas eu vou superar isso, porque eu sou diferente, inspire fundo, expire forte, pronto, podemos rir, já passou, estou feliz que tenha terminado".
Que termine de verdade em breve.
Link do vídeo com a música: https://www.youtube.com/watch?v=SoB1AjVCueU

Faroeste caboclo


Eu lembro dessa cena, muita gente lembra dessa cena. Se você não lembra, é porque ainda não tinha nascido ou então se preocupava com o Xou da Xuxa (o que não é demérito se você tinha menos de 7 anos).
A imagem mostra um presidente saindo escorraçado do Palácio do Planalto após ter sido declarado impedido pela Câmara. Por conta de uns tostões e uma Fiat Elba, Collor fez a infame caminhada para a porta dos fundos da história marchando como se estivesse num desfile militar. Cabeça erguida simulando afronta e dignidade, passos largos, rápidos e nervosos e um adeus aos planos de poder.
Leiam a Veja de hoje, 31 de janeiro de 2015, e vejam (sem trocadilhos) o que preparam as empreiteiras. É coisa para demolir tudo, não precisa nem o país ter muita vergonha na cara, meia vergonha já serve.
Disse Léo Pinheiro, da OAS: "Vocês acham que eu ia atrás desses caras para oferecer grana a eles?". "Esses caras" são Lula, Dilma e os mandachuvas do PT. "Esses caras" são a atual alta corte da República de Macacão.
Como bem disse o excelente site O Antagonista, para verem suas penas reduzidas e não acabarem apodrecendo na cadeia como o fiel e calado Marcos Valério os empreiteiros terão que apresentar um fato novo.
José Dirceu metido em traficâncias não é um fato novo. Certos personagens do PT afundados em trampas também não. Lula e Dilma - os que nunca sabem de nada - é que são fatos novos.
A coisa anda tão séria que uma dessas empreiteiras já encomendou até parecer defendendo o impeachment de Dilma Rousseff, deu o furo novamente O Antagonista. A coisa vai longe. E não foram tostões, já que petista agora só trabalha com bilhão.
Por isso olhem bem essa foto e guardem essa cena. Falta menos do que faltava para ela se repetir.
A única diferença vai ser a saída do passo militar e a entrada daquele caminhar deselegante, como se tivesse um cavalo no meio das pernas, aquele caminhar de Billy the Kid que pensa que ainda engana os outros se fingindo de Wyatt Earp.
Já vai tarde.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"



Costumo borrar os nomes dos prints que publico com asneiras aqui, mas dessa vez não, dessa vez todo mundo tem que aparecer com nome, sobrenome e fuça na internet (caso não sejam falsos, claro).

Um estudante negro está sendo AMEAÇADO na UNIFESP por ter dito em um vídeo ser contra cotas raciais.

A aberração funciona de uma forma curiosa: o rapaz é contra cotas, o rapaz, por acaso, é negro, logo ele precisa ser admoestado e reeducado (na base da violência física se bobear) para aprender a ser um "preto de verdade".

Porque um "preto de verdade" tem que se fazer de vítima, apoiar cotas raciais, falar em luta de classes, ser "revolucionário" ou então os playboys mimados (e geralmente brancos) se irritam e colocam o negrinho no seu devido lugar.

A partir de hoje terceirizem para os DCEs infestados de palermas e inúteis do PC do B, PSOL, PSTU, PCO e outras excentricidades cucarachas a emissão de "certificados de negritude".

Dessa forma quem não curtir funk, bateção de lata, marchas de maconha, de vadias e não ajam como se espera de um "preto de verdade" deverá sofrer as consequências.

Passar na concorrência ampla? Estudar? Se formar? Não ficar 10 anos numa universidade fumando maconha e vivendo de bolsa? Que isso! Isso é coisa de gente ruim, de "trouxa", "Datena Nigga" (pra quem não sabe "nigga" é CRIOULO, mas a turma progressista pode falar assim), uma "criação de branco" que precisa sofrer "ataques físicos".

Enfim, para não ser um "negro domesticado", ele precisa aceitar a domesticação de filhinhos de papai que estão querendo defendê-lo, ainda que ele não queira ser defendido, precisa aceitar ser exibido como peça de zoológico, para que a turma do bem possa aliviar o peso na consciência e posar de boazinha que luta por um mundo melhor.

Mundo melhor que pense IGUAL, claro.

Em tempo: será que o Ministério Público, a OAB ou a Secretaria da "Igualdade" Racial vão se manifestar? Vou esperar lendo todos os volumes do Tolkien.

Dica do Yuri Mello: https://www.facebook.com/yurimelloc.

E o seu nome, aparece?

Engraçado que meu nome não aparece em lista de doleiro, lobista e nem de corrupto mas o de um monte de gente aparece e eles se acham mais inocentes do que eu.

O que há de pior


O petróleo é nosso, bradam nacionalistas e esquerdopatas de todos os cantos. A Petrobras, "maior empresa brasileira", é patrimônio de todos, dizem petistas para logo depois advertirem o eleitor sobre os perigos da "privataria".

"O Estado sou eu", disse Luís XIV. "A Petrobras é o Brasil e o Estado é a Petrobras", poderiam dizer sindicalistas, blogueiros a soldo, empreiteiros camaradas, artistas patrocinados e o resto da turma da boquinha.

E é mesmo. Nada é mais parecido com o combalido, falimentar, inchado, ineficiente e corrupto Estado brasileiro do que sua "maior empresa", esta petrolífera que o PT está conseguindo a proeza de quebrar.

Essa semana o melhor jornal holandês, o NRC Handelsblad, publicou uma reportagem de duas páginas com a simpática manchete "Petrobras, símbolo de tudo o que há de pior". Se a Petrobras é "nossa", se a Petrobras é o Brasil, deduza você mesmo o que é "simbolo do que há de pior".

Não foi notícia aqui, claro. Mas se fosse certamente iria causar gritaria.

Ia aparecer gente dizendo que o Brasil foi ofendido, que os "gringos" a serviço da CIA querem quebrar a empresa para depois comprá-la a preço de banana e "roubar o pré-sal", ia ter de tudo, até o Darth Vader apareceria em algum site da "mídia progressista".

Mas o fato é: uma empresa dominada pela corrupção, de onde bilhões do bolso do pagador de impostos vão parar nos bolsos de bandidos de gravata, que vende uma das gasolinas mais caras do mundo ao mesmo tempo em que o preço do combustível cai no resto do planeta, que é um verdadeiro cabide de empregos para inúteis a serviço do partido, fora o resto, isso é ou não é "símbolo do que há de pior"?

Símbolo de um Estado caro e ineficiente, de serviços péssimos, de uma qualidade de vida sofrível, de cidades favelizadas, transportes horrorosos, lixo por toda parte, poluição, educação abaixo da crítica, saúde que mata mais do que pelotão de fuzilamento indonésio, enfim, símbolo do que há de pior no Brasil que, infelizmente, é o brasileiro que atura tudo isso, quando ele mesmo não participa.

O brasileiro finge que vive num paraíso de música de Ary Barroso quando mora numa Calcutá cucaracha. E enquanto a maioria limpa não parar de se ofender como se falar a verdade sobre o país fosse um ataque pessoal, continuaremos assim, essa vergonha de dimensões continentais.

Essa crise é uma oportunidade. Não somente de derrubar Dilma Rousseff e defenestrar o PT, mas de não se dar por satisfeito apenas com isso. O "que há de pior" não vai simplesmente acabar no dia seguinte e nem o Brasil vai virar a Noruega só por ter se livrado do PT.

O país estará menos acanalhado, é claro, mas isso só não basta. Precisamos entender, admitir, engolir e vomitar todo o nosso atraso e subdesenvolvimento para longe.

Só assim deixaremos de ser "símbolo do que há de pior".

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Contra o PT de fraque


Eduardo Cunha é hoje a ÚNICA chance da Câmara ser independente. Não digo que vá ser do jeito que eu queria, talvez até seja dadas as canalhices que o PT tem feito contra ele, mas com Chinaglia podem esperar um Toffoli na presidência da Câmara.

Uma articulação procura levar os votos do PSDB para Cunha logo no primeiro turno, para derrotar o PT de uma vez e evitar pressões que possam transformar o segundo turno da eleição para a mesa diretora em algo imprevisível. O PT tem o Planalto e o Planalto tem dinheiro. Depois de poder, conhece outra coisa que deputado mais ame?

Pois os líderes do PSDB - não um, mas logo TODOS - correram para tentar melar esta adesão. "Absurdo" disse José Serra. FHC mostrou-se "inquietado". Aécio correu para reafirmar o compromisso com a natimorta candidatura de Júlio Delgado. Até Alckmin foi acionado.

"Não se pode priorizar a derrota do PT", é a idéia de gênio.

Claro, para quê derrotar o PT? Controle da mídia, Congresso de joelhos, CPIs engavetadas e abafadas, nada disso é do interesse do Brasil. O interesse do Brasil é o PSDB não se mostrar tão "anti-PT" quanto o PT se mostrou "anti-tucano" durante os oito anos do governo FHC.

Afinal, qual o interesse em tratar o PT como inimigo, não é mesmo? O partido só chamou o candidato tucano de "playboy canalha viciado em drogas e espancador de mulheres" durante a campanha eleitoral, o que isso tem de mais?

O fato é que o PSDB se ressente do desprezo que o PT nutre e demonstra por ele. O PSDB se diz de esquerda, quer ser de esquerda, mas a esquerda já está infestada de gente, não há espaço para crescer por ali.

Daí que o PSDB ACEITA votos da direita conservadora, mas só porque não tem outro lugar pra caçar votos. O sonho dos tucanos é mesmo ser um PT de fraque. As vezes a impressão que dá é que o PSDB é uma noiva esperando o PT no altar para se tornar "moça honesta de esquerda".

O problema é que, dada a índole do noivo, esse é um casamento que só pode ocorrer se for na delegacia.

Link da notícia: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/01/1581184-aecio-fhc-e-alckmin-reagem-a-articulacao-pro-eduardo-cunha.shtml

Controle de crise

O país pegando fogo e a única preocupação de petistas e seus office-boys é "regular a mídia" correndo. Como não têm competência para acabar com a crise, querem censurar a crise.

Sorria!


Hoje você já pode decidir se prefere comprar ações da Petrobras ou tomar um copo de açaí. O valor é o mesmo e parece que o açaí - que detesto - tem gosto melhor do que petróleo batido com escândalo.

Via Rony Braga (@BragaRony).

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Esquerda, teu outro nome é "coerência".

Porão


Josef Fritzl chocou o mundo em 2008, mas antes disso ele já aterrorizava sua própria família ao trancar a filha Elizabeth num porão durante 24 anos, estuprando-a, tendo filhos com ela e mantendo-os ali, junto com a mãe-irmã sob condições de vida duríssimas.

Um dia em 1994 Josef atraiu sua filha até o porão, drogou-a e a manteve prisioneira. O que antes era apenas um buraco passou por "melhorias", ganhando um quarto, uma cozinha e um banheiro, todos interligados por estreitos corredores.

Josef vivia assim com uma família na casa de cima e com outra na casa de baixo. A de cima tinha uma vida normal, ia para a escola, viajava nas férias, tinha amigos, consumia, tomava banhos de piscina, se divertia. A família do porão ficava ali trancada, recebendo comida das mãos do pai-avô-carcereiro, torrando de calor no verão, sem ver o mundo fora daquele porão.

Sua filha jamais se rebelava, com medo dele deixá-los ali para morrer de inanição. Só foi descoberta porque um de seus filhos passou muito mal, ela convenceu Josef a levá-lo ao hospital e assim depois de 24 anos, Elizabeth tomou coragem e denunciou o monstro para as autoridades. Sem nem tentar negar - negar como? - Josef se entregou para a polícia, que entrou no porão, libertou a família e deixou toda uma sociedade perplexa.

Como algo assim acontece embaixo de uma casa onde pessoas moravam e ninguém nem desconfiava? Como uma sociedade se torna tão indiferente a ponto de não perceber tal horror?

O Brasil é hoje, de certa forma, o porão do monstro de Amstetten, como Josef ficou conhecido. Presos num porão invisível, milhões de pessoas vivem apertadas em favelas quentes, andando por vielas insalubres, morrendo de medo de seus carcereiros fecharem as torneiras de benesses e os deixarem morrer de fome. Nem sonham que existe um mundo lá fora, onde pessoas não só trabalham para comer, mas para se divertir, estudar, crescer, viver e não somente sobreviver.

Seus carcereiros, vivendo na casa de cima invisível (ou nem tanto), andam por aí fantasiados de pais dos pobres. Estupram estatais, estupram agências reguladoras, estupram o bolso do cidadão com impostos e taxas e juros, mas se acham muito bons, afinal, dão de comer para as pessoas.

Lula e o PT são os Josefs do Brasil. Quem mama, quem se dá bem, quem vive longe do porão fingindo não ver o que se passa bem debaixo dos seus narizes é a família que coabita com o monstro, indiferente.

O resto você sabe bem quem é. Só falta tomar coragem, se rebelar e dizer chega.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Em uma padaria qualquer


- Quatro pãezinhos e 200 gramas de mortadela. 
- 8 reais.
- Toma 10.
- Tô sem troco,aceita umas ações da Petrobras ou prefere bala Juquinha?

Mas enquanto isso os office-boys do PT estão assim:

- Petrolão?
- Falta água em SP!
- BNDESão?
- Falta água em SP!
- Eletrobrasão?
- Falta água em SP!
- Indiciaram amigo do Lula?
- Falta água em SP!
- Arrocho? Tarifaço? Impostaço?
- Falta água em SP!
- Olha ali o Obama fantasiado de jihadista do ISIS!
- Falta água em SP!

Se chove 10 dias sem parar e a Cantareira enche, metade da militância do PT se mata afogada ali mesmo, junto com seus "argumentos" brilhantes para defender a companheirada.

Aliás, por falar em companheirada, acho que se pegassem todo esse dinheiro que foi afanado pela turma nas estatais daria pra fazer a transposição do Amazonas até o Tietê - E, atente para o e - para a Baía de Guanabara.

Mas sabemos que o dinheiro está em boas mãos, dizem que ajudou, inclusive, a pagar aquela campanha linda e limpa que reelegeu Dilma Rousseff e que sustenta a "base aliada" desse governo maravilhoso.

Agora deixem de pessimismo, seus pessimildos, vão trabalhar que tem muito imposto para pagar esse ano ainda.

A esquerda "de luta"


Maduro resolveu fazer um plano para vencer a "guerra econômica" na Venezuela. Dilma mandou que seus ministros não deixem críticas sem resposta, eles não podem ceder espaço na "guerra da opinião pública". João Santana diz que "vence quem sabe atacar" e usa até expressões que remetem a campanhas militares como "ondas de ataque" para explicar como gerenciou a campanha presidencial mais suja da história do Brasil. Na Bolívia Evo Morales não cede espaço em sua "guerra contra a burguesia". No Equador a "guerra" de Rafael Correa é contra a imprensa. Cristina Kirchner vive em guerra com meio país.

Aí vemos Cuba, um país em estado de guerra há 60 anos ou a Coréia do Norte, que vive ameaçando o mundo com uma guerra nuclear ou o passado da União Soviética, a mão de ferro com que era governado o leste europeu na sua "guerra contra o capitalismo" e, claro, esses partidecos de esquerda no Brasil, sempre em pé de guerra e concluímos: a única coisa que a esquerda tem para oferecer é isso, guerra.

Não é a toa que são todos filhotes do psicopata alemão que entendia a sociedade como uma "luta de classes" e que não vençam uma eleição sequer em qualquer lugar do mundo sem que dividam as pessoas em pobres e ricos, negros e brancos, gays e héteros, nós e eles. Existe sempre um opressor a ser derrotado em nome dos oprimidos, ainda que pouca gente oprima tanto quanto estes defensores dos coitadinhos e do "mundo melhor".

A economia vai mal? É culpa da "herança maldita" DELES. A educação é ruim? É porque ELES não querem que o pobre estude. A Grécia quebrou por causa do perdularismo da esquerda? Culpa dos banqueiros. Crise energética? Boato que ELES espalham para desestabilizar o melhor governo da história do mundo. Desabastecimento na Venezuela? São ELES, os empresários, que estão contra o "povo".

E esse é um dos grandes porquês da esquerda atrair grande número de jovens desavisados e/ou idiotizados, psicopatas incuráveis e malandros irrecuperáveis: vivência traz sabedoria, desejo de estabilidade, de paz. E a esquerda só quer saber de briga, luta, destruição, desconstrução.

Está aí sua disfunção maior e a razão da falência de todo regime esquerdopata: o povo quer COMIDA, mas eles só oferecem GUERRA.

Uma hora cansa.

A volta anunciada de quem nunca vai ou "ei, você aí, me dá um confete aí, me dá um confete aí"


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Se alguém que pensa diferente de mim vencer a eleição, isso será muito ruim para a diversidade.

Afinal só existe DIVERSIDADE se todos pensarem IGUAL.

A jaca


Esse governo da Dilma é uma jaca tão podre que os seus "aliados" não sabem se tentam colar a jaca na árvore com fita durex ou se saem correndo o mais rapidamente possível para a jaca não cair na cabeça deles.

Aliás, a suposta presidenta e a fruta têm muito em comum, ambas são pesadas de digerir, além de serem bastante fotogênicas.

Em todo caso, digo que deixem a jaca cair.

Vácuo de poder


Dilma finalmente vai sair do mocó onde estava escondida do país para reaparecer numa reunião ministerial hoje, 27 de janeiro de 2015, às 16:00.

Já avisou que os ministros deverão deixar os celulares na antessala - não deseja que nenhum dos seus semi-desconhecidos subordinados vaze nenhuma pérola do dilmês - e mandou espalhar na imprensa que vai aparecer doze quilos mais magra do que estava no dia da eleição.

A pergunta que fica é: vai aparecer pra quê? Com menos de um mês de iniciado, seu segundo governo já é, como dizem os americanos, um pato manco. O clima é de fim de festa, o PT já finge que não tem nada com ela e Lula, o responsável por instalar a pior presidente de todos os tempos no Planalto, ensaia uma dissidência para se apresentar em 2018 como o salvador da pátria que ele mesmo jogou no atoleiro.

A verdade é que Dilma não tem o que dizer e nem o que fazer. Durante a campanha eleitoral ela não apresentou uma única proposta que estivesse disposta a cumprir, apenas mentiu para o eleitor, fez terrorismo com os miseráveis e difamou a reputação dos seus adversários. Dilma não tem o que dizer porque não sabe o que fazer, já que sua única preocupação era ganhar - a qualquer custo, fazendo o diabo - um segundo mandato para brincar de Maria Antonieta por mais quatro anos.

Viverá de crise em crise, de improviso em improviso e os poucos ministros que tentarem fazer algo que preste - entenda-se: reduzir o custo da máquina pública, acabar com boquinhas ou dar algum verniz de responsabilidade ao seu governo perdulário e incompetente - levarão pito em praça pública, como já aconteceu com Nelson Barbosa.

Caso não caia antes de 2017, o Brasil seguirá governado por um vácuo - de competência, de retórica, de planejamento, de ética e até mental - até que Dilma desça a rampa em 2018 direto para as catacumbas da história.

Mas o pior nem é isso. O pior é que Dilma andava sumida e um monte de gente (até eu) fazia piada disso, mas vai reaparecer hoje.

Vamos sentir saudade do seu sumiço.

Em memória dos 11 milhões, para que nunca seja esquecido, para que jamais se repita.


Am Yisrael Chai! ✡

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


"Mantega teria mais sucesso de houvesse uma lei de meios", entenderam?

Funciona assim: a economia do país não estaria no charco se houvesse uma censura te impedindo de saber as más notícias e um monte de veículos de imprensa tratados na rédea curta te dizendo que tudo vai muito bem.

Por que ninguém pensou nisso antes? Agora sim, o Brasil vira uma potência global.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Conta aí, fera

Me diz: PRA QUÊ votar num partido que depois você fica quatro anos se escondendo, negando que votou e repetindo "não sou petista, mas..."?

A pátria das garrafas pet e das cadeiras de plástico


O país inteiro é infestado por quiosques servindo comida de origem duvidosa, lixo e cheiro de urina pela rua, construções irregulares, asfalto esburacado, terrenos baldios, comércio irregular, flanelinhas, esgoto a céu aberto, bandidinhos e bandidões, improviso, garrafas pet, transportes públicos ruins, caros e entupidos de gente, serviços públicos horríveis, serviços particulares terríveis, música ruim resultado de uma cultura pior ainda, internet lenta, 3G e 4G mais lentos ainda, trânsito caótico, calçadas que pertencem a camelôs ou a mesas de bar ou a carros mal estacionados ou a cocô de cachorro ou a gente dormindo ou a bicicletas de entregadores diversos, poluição, cidades feias cheias de concreto e prédios modernosos de péssimo gosto, corrupção em todas as esferas, falta de planejamento e essas inconfundíveis e horrorosas e onipresentes cadeiras de plástico.

Mas o pior é esse conformismo com isso tudo, como se fosse "a vida como ela é" e pronto. Seu destino é viver num puxadinho de dimensões continentais para sempre, a menos que se mude para o exterior.

E antes que algum idiota venha me dizer "ah, é tudo culpa do PT", afirmo: não, não é tudo culpa do PT, longe disso, mas esse país do improviso, do ruim e caro, é, sim, a cara do partido.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Água, luz e transparência

Em 2001 houve uma crise de fornecimento de energia no Brasil. O governo admitiu o problema, passou a conceder bônus na conta para quem economizasse, multou quem excedia metas, iniciou a construção de usinas termoelétricas e torceu para que chovesse.

Durante 2014 o governo de São Paulo divulgou seguidos relatórios mostrando que o sistema Cantareira estava com seu potencial caindo. Quase como uma novela mexicana acompanhamos todo dia os boletins, "20%, 15%, 9%, 5%, volume morto, etc.".

Descontos foram concedidos, obras que já deveriam ter sido feitas há muito tempo foram iniciadas e a população foi chamada a economizar.

Nos dois casos houve falta de planejamento e de investimentos no tempo certo, o que causou stress e desconforto para a população. Mas também houve transparência.

Há dois anos o governo do PT sabe que uma nova crise energética se aproxima. Não investem nada, roubam o que podem e seguem dizendo para a população que não há o que temer. Não existe apagão, não existe risco de racionamento e falar em crise é coisa de "pessimistas de plantão".

Timidamente começam a sugerir que possa haver um problema, mas tirando a negação patológica e o uso no limite das termoelétricas feitas pelos tucanos, até agora nada.

Essa é uma das razões do PT querer tanto a censura. Controlando a informação, dizem o que bem entenderem, até que os apagões constantes são "culpa das más vibrações dos coxinhas".

Como ainda não conseguiram transformar o Brasil na Venezuela, somem com o poste instalado na presidência - o mesmo que foi para a TV anunciar uma diminuição nas contas de luz - e seguem fazendo o que mais sabem: procrastinar e negar.

E já que não adianta chamar o João Santana para difamar a reputação da crise energética, o jeito é só torcer para que chova.

Até que, vai saber, o país inteiro apague durante algum discurso da suposta presidenta anunciando mais um aumento no bolsa curral.

Era uma vez

Era uma vez um pais grande e atrasado, não tinha quase nada e o pouco que tinha era ruim ou era caro.

Mas todo mundo dizia:

- Pelo menos água não falta.

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

Paulo Nogueira, do DCM, é um desses caras que jamais deixam um caçador de cretinices voltar para casa de mãos vazias. 

Deu para comparar José Dirceu a Mario Balotelli, afirmando que o corrupto petista é tão perseguido - injustamente, na visão do militante - quanto o craque italiano.

Vamos ser claros: Dirceu só poderia competir com Balotelli no quesito roubadas de bola (nesse caso boladas).

Mas a comparação tosca é esperada, afinal nesses dias de tarifaço, impostaço e arrochaço - fora o petrolão - os lacaios do PT andam com um desarranjo mental ainda pior.

Por isso não espanta que um defensor de mensaleiro também esteja por aí propagando a tese do "controle financeiro da mídia". O que petralhas como esse querem, mas não ousam confessar, é que o partido do mensalão use o SEU dinheiro tomado em impostos para promover um garrote econômico, implantar a censura e decidir o que você pode ou não pode ler.

Alguém precisa avisar a essa gente que ainda que o PT esteja infestando todas as esferas do governo, atrasando e quebrando o país para enriquecer seus bandidos, estafetas e puxa-sacos, esse dinheiro não é deles e a única regulação que deveria haver é a da tendência patológica que a companheirada sofre de subtrair o dinheiro dos outros.

"Farra" não são empresas de comunicação decidindo livremente quem contratam e qual a sua linha editorial, farra é me roubarem e ainda usarem o meu dinheiro para me fazer de idiota.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Com bolivariano é melhor se acomodar


Estudantes venezuelanos resolveram protestar contra a ditadura bolivariana dando um refresco para seus compatriotas. Foram até uma das imensas filas que se formam para comprar alimentos e distribuíram copos d'água para as pessoas que estavam ali há horas esperando no calor por sua cota de produtos de primeira necessidade.

Nos copos, uma frase: não se acomode, podemos viver melhor.

Simpático, né? Não.

Eles logo foram presos pela Guarda Nacional Bolivariana, aquela que zela pela manutenção do regime no país onde Lula e os petistas acham que existe "democracia até demais".

Link da notícia: http://www.maduradas.com/el-colmo-gnb-detiene-a-estudiantes-por-repartir-agua-y-mensajes-en-colas-de-bicentenario/

Estranho

A turma do banner de estatal logo defendeu Cristina Kirchner e disse que o promotor não sofreu assassinato político. Celso Daniel também não.

Mais uma vítima do ISIS


Um dos dois reféns japoneses foi decapitado hoje pelo ISIS. Não era soldado, não era espião, era apenas funcionário de uma empreiteira e, até que se prove o contrário, nunca fez nem um rascunho da figura de Maomé num papel. Foi morto mesmo assim.

Mas não vamos falar do islã, os terroristas que fizeram isso deviam ser macumbeiros de cabeça feita e tudo.

O Pelé dos escândalos


Preso no mensalão, enrolado no petrolão e ainda vem aí BNDESão e Eletrobrasão para ele jogar no time titular. 

O Zé Dirceu não é o Pelé mas desse jeito vai chegar fácil nos mil "gols".

Aliás, descobrir que ele recebeu em torno de 4 milhões - só isso? - de empreiteiras é uma notícia boa pra você que deu dinheiro pra vaquinha de mensaleiro nem precisar olhar no espelho para se sentir um babaca. 

♪♫♩♫♪ "Mil gols, mil gols, mil gols, mil gols, mil gols, só Dirceu, só Dirceu, Fernando Collor amador!" ♪♫♩♫♪

Canta comigo torcida canarinho!

Sua majestade, o mecânico


O rei Céphas Bansah, de Gbi, na África, governa seu povo direto da Alemanha, onde vive, pela internet. Diz que mora na Europa - e não no seu reino, um dos mais pobres do continente africano - para "ficar mais perto da tecnologia".

Gbi tem internet, mas não tem remédio e nem comida. Parece até um certo lugar onde os governantes adoram passar os dias em Paris ou pelo menos hospedados em algum resort all inclusive.

Só que ao invés de viver do assalto (a.k.a. recolhimento de impostos) aos seus cidadãos, Céphas trabalha durante o dia como mecânico e passa as noites em claro governando seu reino pelas redes sociais e por email. Possui ainda uma obra social onde usa suas amizades na Alemanha para enviar bombas d'água e encanamentos para levar água potável às casas de Gbi.

Além disso buscou doações para melhorar o sucateado hospital do reino e supervisionou a construção de uma ponte. Chegou até a doar um sino para uma igreja.

Resumo: trabalha mais do que qualquer petista e custa muito menos.

Céphas para presidente do Brasil!

Link da reportagem:http://www.istoe.com.br/assuntos/semana/detalhe/401557_

Link da página do rei na Wikipedia:http://en.wikipedia.org/wiki/Céphas_Bansah

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


Aumentar os juros e reduzir o consumo ajuda a evitar o desabastecimento, um golpe da CIA.

Não é por outra razão que acontece a crise hídrica em São Paulo: o governador Geraldo Alckmin mandou racionar a oferta de água, para reduzir o consumo, diminuindo a quantidade de banhos e assim conseguir identificar melhor aquele cheiro de corrupto e palerma que exala da companheirada, facilitando o trabalho da polícia e dos enfermeiros do manicômio.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Apertem os cintos

A situação é grave e o país precisa equilibrar as contas públicas para não ficar no vermelho e até quebrar. Por isso temos que aumentar tarifas, impostos, cortar benefícios e apertar os cintos.

É hora do cidadão fazer um esforço e dar sua cota de sacrifício, afinal de contas, ninguém aí deseja que o governo corte seus gastos mastodônticos, roube menos e nem que a companheirada vagabunda em cargos comissionados tenha seus salários atrasados ou sejam mandados embora para procurar um trabalho de verdade, né?

Isso sim, seria um absurdo.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

A zona do rebaixamento mundial


Se fossem times de futebol aí estaria a zona do rebaixamento da relevância mundial. Sempre com este gesto do punho erguido, que prefiro chamar de "banana para a democracia nas terras das bananas".

Evo Morales, o cocaleiro de araque, com suas fantasias de índio de bang-bang pelo menos demonstra não ter medo do ridículo.

Jurou atacar o capitalismo e até agora só atacou mesmo duas refinarias que roubou da Petrobras com a ajuda dos companheiros que se especializaram em roubar a mesma Petrobras. Mas o pior nem é o Evo, é quem vai ali fazer platéia para este cruzamento de uma lhama com o Zacarias dos Trapalhões.

É a cúpula do vigésimo mundo, isso porque ainda não inventaram um trigésimo. Mas a renca de patetas bolivarianos está trabalhando duramente por isso.

Obrigado, Israel


Imagine um país onde toda criança a partir dos 5 anos está na escola não somente para fazer parte de estatísticas para serem usadas em propagandas, mas para realmente aprender.

Imagine um país que você percorre de norte a sul, cidades grandes e cidades pequenas, e não encontra uma só pessoa revirando lixo atrás de comida, uma só favela cheia de valas negras, ruas e estradas esburacadas, transportes públicos indignos de levar seres humanos e sequer animais.

Imagine um país onde cada jovem desde muito cedo é apresentado à responsabilidade do dever, da segurança de sua família e amigos, da manutenção do seu modo de vida, do seu direito de existir e ainda assim o faz com graça, orgulho, sentimento de amizade e gratidão pelos que vieram antes e deixaram para eles algo a defender.

Imagine universidades, escolas, praias, clubes, shoppings, mercados, monumentos, uma vida digna, segura, produtiva. Obras e inventos, avanços tecnológicos e superação de dificuldades, plantações, criações, democracia, direito à divergência, liberdade religiosa, liberdade individual.

Pense um lugar onde uma torre usada para alvejar seus cidadãos durante uma guerra continua de pé, pois é parte de um templo religioso. Um lugar onde mesmo os que os odeiam trabalham, vivem e ostentam sua fé.

Agora pense que todo esse desenvolvimento, essa dignidade humana, existem cercados por inimigos, sob chuvas de foguetes, sob condições duras, sob a desconfiança de grande parte do mundo.

Não imagine, porque eu conheci este lugar. Percorri Israel de ponta a ponta, conversei com sua gente, ouvi suas experiências, procurei escutar o "outro lado" e fiquei espantado como você pode estar mais seguro em Tel Aviv ou Netanya ou Haifa do que no Rio ou em São Paulo ou no Recife.

Conheci, enfim, o que a superação inerente ao ser humano é capaz e descobri que o Brasil só não é grande de fato - e não apenas de tamanho - porque não quer.

Obrigado, Israel. heart emoticon

O Brasil, o carnaval e o BBB

José Dirceu anda criticando o governo por aí. Um fabricante de máscaras de carnaval disse que os sucessos de venda este ano serão as da Graça Foster e do Nestor Cerveró. Lula começa a se afastar da Dilma, com a campanha de 2018 começando antes mesmo do desastre que foi eleito em 2014 estar completo. Em alguns dias começam os paredões do BBB.

O que tem a ver uma coisa com outra? Tudo. Essas notícias são a síntese do Brasil, um país tão autêntico quanto um carro alegórico de escola de samba.

Quem pode foge da realidade com viagens ao exterior ou se trancafiando em shoppings e condomínios. Viramos para o lado e fingimos não viver cercados de lixo, poluição, favelas, atraso e miséria. Brasileiro não adora Facebook e Instagram à toa. Ali se pode fingir ser o que não é.

Assim como o país brincou de potência nos últimos 12 anos e agora acordou para a ressaca carnavalesca da farra do PT. A maioria dos países civilizados processa e prende seus corruptos, no Brasil eles viram máscara de carnaval ou "consultores", como o Dirceu.

Por isso é besteira culpar o carnaval e o BBB por toda a indigência moral e intelectual do país. O problema do Brasil não é o BBB; a Holanda tem Big Brother, a Suécia também. O problema do BBB é fazer um país já insuportável ficar pior.

O problema é que o brasileiro aceita ser enganado e segue sendo enganado como se gostasse disso.

Elegemos uma mentira. Hoje no Palácio do Planalto existe uma mistura de fraude e estelionato sentada na cadeira de presidente. Tudo o que disse que não ia fazer, Dilma fez pior.

E o PT vai fingir que não tem nada com isso. Dilma já serviu ao seu propósito: assegurar cargos para vagabundos ganharem dinheiro fácil. Agora será jogada às feras, a começar pelo seu criador, que vai tentar - e muito provavelmente conseguir - enganar meio país ao dizer que "foi traído".

A mentira é o único ativo do PT. Sem a mentira, a distorção, a difamação e o assassinato de reputações o partido não elege mais nem um prefeito de interior. Mas o brasileiro gosta de ser enganado. Não fosse assim, hoje não haveria uma mentirosa eleita por uma campanha suja governando o país.

Muitos se dizem arrependidos, outros sustentam o insustentável e ainda defendem os destruidores do país. Que todos se danem. Minha única pena é que não sofrerão sozinhos, porque merecem.

Mas isso é indiferente, o problema não foi votar na Dilma e se arrepender, o problema é que vão enganar todos eles de novo daqui a 4 anos, porque ser enganado faz parte da natureza estúpida de quem ainda acredita no PT.

Os demais não acreditam em nada, mas ganham muito bem pra fingir que sim.

Quem dera todos os problemas do país fossem BBB e carnaval.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Eduardo Cunha e os planos do PT


Quando blogs do esgoto da internet começam a atacar o deputado peemedebista Eduardo Cunha com tamanha voracidade, é sinal de que os seus patrões do PT levam a sério a intenção de dominar tudo, desde os ascensoristas dos elevadores dos ministérios até o STF, passando pela Câmara e o Senado.

Um Chinaglia da vida na presidência da Câmara poderia significar que coveiros de CPIs e abafadores de escândalos teriam uma mesa diretora subserviente ao Planalto agindo em seu socorro sempre que a cúpula da companheirada desse o "salve".

Isso como se já não bastassem aquelas togas no STF, esses cargos comissionados por toda a parte e um governo loteado, entregue ao bacanal administrativo e trabalhando pelos partidos e não pelo país.

E se essa turma mais viciada em banner de estatal do que frequentador de boca de fumo em pó está partindo para a baixaria habitual desse jeito (petistas não enxergam processos democráticos como meras apresentações de propostas, mas como guerras onde a mentira e a sujeira valem para vencer a qualquer preço), é uma boa dica de que chegou a hora do Brasil que presta escrever para o seu deputado, pressionar o seu governador, abrir a boca nas redes sociais e onde mais puder e impedir mais essa tomada de um naco de poder pelos bucaneiros que estão assaltando e quebrando o país há 12 anos.

Aliás, essa pancadaria em cima do deputado Eduardo Cunha é um bom exemplo para todos os "forasteiros" da tal "base aliada": é assim que petistas fazem com quem "sai da linha" e resolve ser independente demais. Agora imaginem quando dominarem tudo e não precisarem mais comprar a simpatia de ninguém.

Uma Câmara independente é a garantia de que, por ora, a democracia não corre o risco de ser celsodanielizada. O deputado Eduardo Cunha está provando o que a máquina de assassinar reputações do PT é capaz, certamente na presidência da Câmara lembrará disso.

Não poderia pedir nada mais.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Eu não sou Charlie Hebdo, mas não quero que a (o?) matem por isso


Muita gente veio me falar sobre charges de extremo mau gosto feitas pela revista francesa Charlie Hebdo utilizando imagens cristãs. Vieram me perguntar sobre limites da liberdade de expressão, sobre o respeito às crenças dos outros, enfim, sobre a quantidade de gente ofendida e de certa forma agredida pelas charges e o risco de uma reação violenta.

Pois bem, eu particularmente acho a Charlie Hebdo um grande lixo. Não acho seu humor engraçado, não acho suas charges de bom gosto e penso que a intenção deles é essa mesmo: chocar e chamar a atenção. Pelo que percebi numa rápida pesquisa na internet, a Charlie Hebdo é uma espécie de Porta dos Fundos ou ATEA, só não sei qual é a versão piorada. Uma das especialidades da revista é esculhambar a religião alheia, de preferência com grosseria, imagens escatológicas e vulgaridades.

Fazer o quê? Hoje em dia isso dá audiência.

Só que a minha religião é minha. Pode não ser a sua ou a do cara ali na esquina e não podemos exigir dos outros que tenham o mesmo carinho com ela que nós temos. Falo para amigos há muito que acho uma pena o cristianismo ter ficado tão mole, tão vítima. Somos um bilhão de pessoas, e um bilhão de pessoas é um lobby e tanto.

Mas a reação correta não é invadir a revista matando seus jornalistas, isso é coisa de delinquente, terrorista, facínora e atualmente esse tipo de gente pode ser encontrado em grande quantidade apenas e somente no islã. A religião de Maomé é, sim, em sua essência, violenta. Foi imposta na base da espada, do derramamento de sangue e da opressão e supressão dos diferentes.

Tente erguer uma Igreja na Arábia Saudita e me diga se estou mentindo.

O cristianismo já oprimiu e suprimiu bastante também, mas este erro não está na sua origem (Jesus era alguém que usava muito mais palavras do que espadas) e nem em sua atualidade (a Igreja Católica é a maior instituição de caridade do mundo). Estes erros estão em um momento da história da Igreja e já foram devidamente esclarecidos com pedidos de desculpa até excessivos.

Hoje quem mata em nome da religião no mundo é o islã. Ponto.

Mas isso não quer dizer que os cristãos devam aceitar inertes ofensas grotescas à sua religião. Um órgão de imprensa depende basicamente de duas coisas para sobreviver: leitores e anunciantes. Isso, claro, quando não estão no Brasil e mamam em estatais, mas aí é outra história.

Um boicote, uma campanha forte junto aos anunciantes, enquadra pelo bolso o cara que pensa que esculhambar o outro é fonte de humor, contestação ou inovação.

Esta seria uma ferramenta adequada para os ofendidos responderem às ofensas. Ir chorar para o governo como um bebezão pedindo censura ou entrar atirando numa redação são dois lados - um covarde e outro lunático - da mesma moeda da idiotice.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Desastres e popularidade

A popularidade do presidente François Hollande subiu após ataques terroristas na França. Os gênios do PT já devem estar pensando em importar algo do tipo para cá, o problema é que ficaria muito na pinta, já que a Veja teria que fazer o papel de Charlie Hebdo e a religião antro de malucos só poderia ser mesmo o lulopetismo.

Aliás, tenho uma teoria sobre esse aumento de popularidade dos governantes que geralmente segue tsunamis, terremotos e atentados terroristas: um desastre recente faz a população esquecer o desastre mais antigo.

Justificativa

Advogados costumam apelar para "problemas mentais" quando não acham nada para inocentar seus clientes. Taí uma boa dica pra você que votou na Dilma explicar sua escolha brilhante.

Joko Widodo para xerife

Dilma agora deu para se preocupar com o destino de traficantes brasileiros presos no exterior como se o seu governo não estivesse cheio de traficantes de influência, de cargos para inúteis ou de dinheiro sujo para abastecer caixas 2 de campanha. Fora os piratas de estatais.

Enquanto isso parlamentares da "base aliada" passam o tempo tentando livrar a cara de corruptos pegos com a boca na botija (um projeto que tramita no conselho de "ética" busca abrandar as penas de quem retornar o numerário afanado para os cofres do país) ou então blindar CPIs (Henrique Eduardo Alves deseja que não se divulguem "informações comprometedoras" nas comissões).

Como se nota, fuzilar o nosso bolso não deixa a suposta presidenta "indignada" e nem "consternada", ela quer é mais.

Bom mesmo para o Brasil seria uma "Lei Joko Widodo", dando a cada real ou dólar sujo encontrado nas contas de bandidos de gravata ou de macacão o mesmo peso de um quilo de cocaína e tratando seus portadores como a mesma cortesia com que a Indonésia trata quem entra em seu território carregando drogas.

Não precisa nem mandar a conta da bala para a família como fazem na China, essa fatura nós pagamos com prazer.

Não vamos "generalizar"

Favor não confundir o islã radical que mata, sequestra, tortura, persegue, oprime e censura com o islã moderado, que assiste a tudo com um leve sorrisinho no canto da boca, como se dissesse "quem manda desrespeitar nossa fé?", enquanto não faz nada de efetivo contra isso a não ser repetir que não pode ser confundido com o islã radical.

Tem diferença, tá?

domingo, 18 de janeiro de 2015

A diplomacia de chanchada

Barracos diplomáticos do governo PT:

- Contra a Itália, para defender um assassino.
- Contra Israel, para defender terroristas. 
- Contra a Indonésia, para defender traficante.

Como não se orgulhar?

Traficantes brasileiros condenados à morte na Indonésia (ênfase no "traficantes", OK?)

A mente é algo insondável, não temos como saber se o brasileiro executado na Indonésia por tráfico de drogas estava realmente arrependido pelo que fez ou se estava arrependido por ter sido pego, mas não há como não sentir compaixão pelo drama pessoal e pela família do indivíduo.

Só que - alto lá, antes que você ache que vai aqui uma defesa do sujeito - não houve um caso de julgamento injusto ou fraudulento. O brasileiro não se dizia um inocente incriminado por uma justiça corrupta, mas era réu confesso, tentou mesmo entrar com vários quilos de cocaína em um país que prevê pena de morte para tal ato e o fez em pleno gozo de suas faculdades mentais, logo tratava-se pura e simplesmente de um criminoso. Ponto.

Suas razões, explicações ou a natureza brutal de um fuzilamento não podem embarçar esta perspectiva inapelável. Outros condenados pelo mesmo crime foram executados da mesma forma, provando que não houve "discriminação" contra o brasileiro.

Por isso mesmo os faniquitos e ataques de pelanca de Dilma Rousseff e Ideli Salvatti com o fato são mais uma prova de como o Brasil se tornou, sob o comando do PT, um nanico diplomático ou, se preferir, naquele sujeito que só tem tamanho, um bobão que leva cuecão e depois briga sozinho com o espelho.

Para criar uma comoção nacional e desviar a atenção do naufrágio que é o seu segundo mandato que com apenas 15 dias parece já ter 15 anos, Dilma Rousseff faz basicamente o seguinte: usou a diplomacia para meter o país num típico barraco petista na defesa de um traficante confesso.

Se bem de que defender foras da lei é uma especialidade deste governo, este que foi executado na Indonésia pelo menos demonstrou (ou fingiu) arrependimento.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Presidência da Câmara

Daqui de longe eu vejo o que ocorre em Brasília: luta por hegemonia total. Se o PT controlar a Câmara o Brasil, pobre gigante atrasado, vai disputar a taça da mediocridade com a Venezuela, e digo mais: será o franco favorito.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Bandidos escolhem vítimas (brancas) pela cor da pele


Como podem notar a política de "igualdade racial", a prática da "discriminação positiva", a repetição ad nauseam do conceito de "dívida histórica", o "orgulho negro" e as demais políticas de "tolerância" e "diversidade" começam a mostrar seus resultados e a contribuir para colocar o Brasil no caminho de um mundo melhor.

Link da notícia: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/01/10/interna_gerais,606602/bandidos-assaltam-onibus-e-escolhem-vitimas-pela-cor-da-pele-em-bh.shtml

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Israel, exemplo para o mundo


Impressiona como em Israel todos têm uma história de luta e superação para contar e como todos estão prontos a se abrir contigo demonstrando uma quase gratidão pelo interesse em ouvir.

Como uma moça de uma loja que me disse mais ou menos o seguinte:

- No Brasil tem violência, claro, mas lá eu teria que me preocupar em não ser assaltada, aqui preciso me precaver para não ser morta simplesmente por ser quem eu sou e viver no país que nasci.

E este senso de necessidade da permanência, da luta pelo direito de existir está por toda parte, como em cada beira de estrada onde se vê áreas cultivadas sem desperdiçar nada ou num monumento em homenagem aos habitantes de um kibutz no pé das Colinas de Golã, que suportaram durante 20 anos os bombardeios da Síria e não abandonaram suas casas.

Quando Israel disse "chega" e ocupou a região para proteger seus cidadãos, o general que comandou a operação disse, ao ver a posição vulnerável que foi sustentada por tanto tempo, que lá do alto aquelas pessoas pareciam sete vezes maiores do que o seu real tamanho, tanta foi sua coragem.

E cada rua, prédio, casa, monumento, cada jovem em serviço militar andando com o seu fuzil num shopping center, cada criança, cada veterano de guerra, enfim, todo este pequeno país parece sete vezes maior do que é, tamanha é a sua bravura.

Em dois locais que estive, ouvi a mesma coisa ao saberem que sou estrangeiro: "obrigado pela sua visita, você faz a diferença", como se quisessem agradecer pela disposição de conhecê-los, escutar suas histórias, legitimar de alguma forma seu direito de existir.

No fundo eu é que tenho que agradecer pelo exemplo de que é possível fazer tanto com tão pouco. Israel é um farol de democracia, um oásis de tolerância, uma potência cultural, econômica e militar e uma inspiração para todos os homens e mulheres de bem de todo o mundo.

Am Yisrael Chai!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Não existe "islamobofia", pelo menos não por enquanto

Paro as minhas férias num bravo país que é a linha de frente da luta contra o terrorismo para dizer que tolerar o intolerante acaba em inocentes assassinados por covardes seguidores de uma religião que hoje é a maior fonte de matança do mundo.

Falar em hostilidades ao islã como se uma chacina não fosse uma hostilidade ė mais do que hipocrisia, é defender o crime. Os que fazem isso tentam culpar as vítimas como se fazer uma caricatura fosse equiparável a atirar em pessoas.

São tão covardes e dementes esses terroristas muçulmanos que acham que podem colocar a civilização de joelhos.

Que fique bem claro: não existe "islamofobia", existe bom senso e este não está do lado da religião da matança. Qual a religião dos terroristas? Qual a razão dos atentados? Islamofobia é só um apelido cretino que deram para "reagir e se defender".

Quantos mais perecerão no Ocidente nas mãos de bandidos muçulmanos até que o politicamente correto se dê por satisfeito?

A solução é simples: tratem esses delinquentes seguidores de Maomé com a mesma ira "do bem" com que tratam todo o resto, inclusive suas vítimas.

E jamais tenham medo, porque esses seres das trevas se alimentam disso. Joguem luz sobre eles, e se não adiantar, façam com que desapareçam sob o calor.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Férias


Saio de férias hoje e só retorno dia 20 de janeiro. Até lá vou atualizar um pouco o Twitter, talvez alguma coisa bem curta aqui, mas dificilmente farei textos maiores.

Quero agradecer de novo a companhia de vocês, a atenção, os picos de ac
esso que me espantam até hoje e reafirmar minha vontade de continuarmos por aqui nos divertindo enquanto buscamos desacanalhar um pouco o país.

Falar de política - mesmo essa política baixa que é praticada no Brasil na maioria das vezes - também pode e deve ser divertido. É quando vira chacota que o poderoso de ocasião começa a perder e o país que presta a ganhar.

Mais divertido do que isso só mesmo férias, por isso deixo um grande abraço a todos, um até a volta e vou tratar de me divertir.


;)

Os manda-chuvas


Fica combinado assim: Lula mandou a Petrobras bancar o batuque das escolas de samba, não podia, mas ele mandou e fizeram do mesmo jeito, Lula colocou a Dilma nas Minas e Energia, no Conselho de Administração da Petrobras, depois na Casa Civil, depois mandou e toda a seita obrou - com a prestimosa ajuda das campanhas sujas do João Santana - até que elegeu e reelegeu o poste, que mandou colocarem a Graça Foster na presidência da Petrobras.


Fora isso Lula mandava em Dirceu, Genoíno, João Paulo Cunha e Delúbio Soares, os que ele não mandava o mensalão e depois o petrolão deram um jeito de comprar a obediência.
E tem mais: não se tira ou bota (eles preferem tirar, mas deixa isso pra lá) nem um clip de papel no PT sem ordem expressa do Lula, o mesmo Lula que agora finge um desentendimentozinho com sua criatura, Dilma, para criar a brasileiríssima figura do partido do governo que faz oposição ao governo do partido, tudo com a ajuda da imprensa, que se não ajudar não ganha verba oficial, como já avisou Dilma logo após a campanha mandando cortar a grana da Veja só porque ela não se comportou como a Caros Amigos.


Encurtando essa barafunda: Lula manda em todo mundo, Dilma também manda em todo mundo, menos no Lula, que manda nela, mas curiosamente eles não mandam no que subordinados fazem - e por subordinado entenda-se todos no governo, desde os ministros que levam pito em público até os companheiros que servem cafezinho - justamente quando isso envolve:

1) Casos de polícia.

2) Empresas de fachada superfaturando contratos em estatais.

3) Empresas que não são de fachada fazendo o mesmo.

4) Risco de parar na cadeia.

5) Subtração de numerário que depois aparece na conta do partido.

6) Acareações.

7) Inquéritos.

8) CPIs

9) Imóveis e empresas em nome de parentes.

10) Possibilidade de impeachment ou cassação.

Nesse caso eles não sabem de nada e até o companheiro do cafezinho manda mais do que eles.

Se você é pago para fingir que acredita nisso eu não te respeito, mas te entendo. Agora se você não leva um para carregar o estandarte do bloco dos cafajestes, então não te entendo e muito menos te respeito, porque a burrice voluntária não é perdoável.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Ex-ministros em atividade



Dilma não gosta só de desautorizar ministros, mas sente prazer especial em submetê-los à humilhação em praça pública. O que fez com Nelson Barbosa, do planejamento, um dia após a sua posse é apenas mais um exemplo disto.

A Soberana gosta de deixar bem claro quem é a dona do galinheiro, quem manda ali, em tudo. Consigo tranquilamente imaginá-la dizendo que "o ministério sou eu", como um Luís XIV das bananas ou atirando coisas em cima de homens que, pelo menos teoricamente, são a elite política e administrativa da nação.

Com Dilma não. Com a suposta presidenta - as urnas eletrônicas dizem que ela venceu, eu tenho minhas dúvidas - o sujeito precisa se conformar em ser um office-boy, um escravo de ganho, emprestado para ela pelo dono do partido para fazer o loteamento que garante a tal "sustentação" e dar a ilusão de um governo de coalizão.

Mas a verdade é que o ministro mesmo não manda nada. Talvez possa escolher a marca do pó que faz o cafezinho e a cor da tinta da caneta com a qual assina seus atos que na verdade são cumprimentos de ordens. Todo poder emana de Dilma, que só não sabe de nada quando convém. Ministros são quebra-molas entre uma obra superfaturada aqui e um elefante branco inacabado ali. Fazem parte do jogo, mas não devem se assanhar demais, sendo de bom tom ficarem nos seus devidos lugares.

Quem eles pensam que são? O Lula?

Nelson Rodrigues dizia que não há ninguém mais vago, mais irrelevante, mais contínuo do que o ex-ministro.

Dilma conseguiu superar a imagem rodrigueana, no seu - bastante ênfase nesse "seu" - ministério, todo mundo é contínuo, não precisa nem ser ex.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Tudo o que for contrário ao PT será a favor do país

O PT cismou em censurar a imprensa livre e viciar o processo eleitoral ao mesmo tempo. Querem "controle" de tudo que é lado, desde que a companheirada não precise se controlar e nem ser controlada por ninguém. 

De um lado procuram "democratizar" a democracia obrigando o financiamento público de campanha, sistema pelo qual além de obrigar o pagador de impostos a arcar mais ainda com a suruba da democracia (festa acontecia antes), possibilitará ao PT concentrar as verbas e perpetuar-se no poder através de acesso privilegiado aos recursos de campanha (fora o caixa 2).

De outro lado o partido quer "desconcentrar" a influência do que chama de "mídia", censurando-a através de um conselho aparelhado (imagine uma Anvisa da imprensa), imitando a Argentina e fatiando grandes grupos para entregar a empresários companheiros e aplicando um garrote econômico, onde puxa-sacos ficarão ricos elogiando o que só merece uma escarro dos homens de bem.

Mas já que eles querem tanto "discutir com a sociedade" - e supondo que "sociedade" não seja apenas os vagabundos da CUT, do MST ou da UNE - tenho, como parte da tal sociedade, uma boa proposta: fazer tudo ao contrário do que pretende o PT.

Por um lado nada de financiamento público ainda mais distribuído usando como critéroo a concessão de privilégios a "grupos de pressão", onde quem tem o marqueteiro que mente mais ganha mais votos e mais dinheiro na próxima eleição. Deixem que os partidos captem na iniciativa privada, de forma devidamente registrada e transparente, o que sua competência permitir.

E por outro lado tornar o gasto publicitário do governo, ou seja, o gasto do dinheiro dos outros, condicionado a uma regra simples: tiragem, vendagem e audiência determinam o montante máximo que cada veículo pode receber. Nada de blogs sujos e obscuros ou revistas de fachada recebendo grana que não condiz com sua relevância.

O cara PRIMEIRO conquista o cliente (leitor, ouvinte, espectador) e depois recebe dinheiro gordo do poderoso de ocasião.

Quanto tempo o PT sobreviveria a tais regras? Talvez o mesmo que levaria a dizer não a cada uma dessas propostas e dizer que a pessoa que as fez não é "sociedade".

Os donos do país


Um deputado petista cedeu seu apartamento funcional para bate-paus do partido, prática proibida pelo regimento da Câmara dos Deputados.

Mas eu pergunto: e daí? Desde quando petista liga para o que é ilegal, imoral ou, como prova a silhueta da companheirada cultivada em intermináveis rodízios, engorda?

Assassinar reputações também é ilegal. Dossiês de campanha são imorais. Mentir, ameaçar e enganar para conquistar votos não é coisa de gente de bem. Pilhar e quebrar estatais está longe de ser algo dentro da lei. Aparelhar o serviço público com hordas de parasitas não é prática prevista em nenhum código que não seja o de bucaneiros da política.

Distribuição de cargos para moleques como se fosse bala Juquinha, sustentar blogs sujos com o dinheiro do pagador de impostos, transformar a política brasileira em secos e molhados, em puro e simples cartório onde negócios são feitos, nada disso é legal, mas e daí, quem liga?

O país não tem um partido no governo, mas uma força de ocupação. E como tal eles tratam de subverter práticas, reprogramar mentes, dominar a informação, fazer de tudo para não perder a posse conquistada.

Tomaram o país de assalto, tanto que hoje perderam até o pouco pudor que ainda conservavam. Gilberto Carvalho diz ter orgulho de "ser da quadrilha", um figurão do PT diz que está "mapeando cargos" de segundo e terceiro escalões - com bastante verba, claro - para "compensar" o butim perdido no novo ministério, o aloprado Berzoini fala em censura, Lula trata todos como imbecis (com a anuência da imprensa) fingindo uma briguinha com sua criatura, Dilma, para se apresentar como oposição em 2018.

Eles fazem o que bem entendem e pronto. São os donos do país, os coxinhas que se calem e paguem a eterna micareta dos canalhas.

Diante disso o que é um apartamento funcional franqueado ilegalmente para comedores de sanduíche de mortadela?

A vergonha na cara do brasileiro e as instituições do país com raras exceções andam valendo menos do que isso.