segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A pátria das garrafas pet e das cadeiras de plástico


O país inteiro é infestado por quiosques servindo comida de origem duvidosa, lixo e cheiro de urina pela rua, construções irregulares, asfalto esburacado, terrenos baldios, comércio irregular, flanelinhas, esgoto a céu aberto, bandidinhos e bandidões, improviso, garrafas pet, transportes públicos ruins, caros e entupidos de gente, serviços públicos horríveis, serviços particulares terríveis, música ruim resultado de uma cultura pior ainda, internet lenta, 3G e 4G mais lentos ainda, trânsito caótico, calçadas que pertencem a camelôs ou a mesas de bar ou a carros mal estacionados ou a cocô de cachorro ou a gente dormindo ou a bicicletas de entregadores diversos, poluição, cidades feias cheias de concreto e prédios modernosos de péssimo gosto, corrupção em todas as esferas, falta de planejamento e essas inconfundíveis e horrorosas e onipresentes cadeiras de plástico.

Mas o pior é esse conformismo com isso tudo, como se fosse "a vida como ela é" e pronto. Seu destino é viver num puxadinho de dimensões continentais para sempre, a menos que se mude para o exterior.

E antes que algum idiota venha me dizer "ah, é tudo culpa do PT", afirmo: não, não é tudo culpa do PT, longe disso, mas esse país do improviso, do ruim e caro, é, sim, a cara do partido.
0 Comentários