domingo, 4 de janeiro de 2015

Os donos do país


Um deputado petista cedeu seu apartamento funcional para bate-paus do partido, prática proibida pelo regimento da Câmara dos Deputados.

Mas eu pergunto: e daí? Desde quando petista liga para o que é ilegal, imoral ou, como prova a silhueta da companheirada cultivada em intermináveis rodízios, engorda?

Assassinar reputações também é ilegal. Dossiês de campanha são imorais. Mentir, ameaçar e enganar para conquistar votos não é coisa de gente de bem. Pilhar e quebrar estatais está longe de ser algo dentro da lei. Aparelhar o serviço público com hordas de parasitas não é prática prevista em nenhum código que não seja o de bucaneiros da política.

Distribuição de cargos para moleques como se fosse bala Juquinha, sustentar blogs sujos com o dinheiro do pagador de impostos, transformar a política brasileira em secos e molhados, em puro e simples cartório onde negócios são feitos, nada disso é legal, mas e daí, quem liga?

O país não tem um partido no governo, mas uma força de ocupação. E como tal eles tratam de subverter práticas, reprogramar mentes, dominar a informação, fazer de tudo para não perder a posse conquistada.

Tomaram o país de assalto, tanto que hoje perderam até o pouco pudor que ainda conservavam. Gilberto Carvalho diz ter orgulho de "ser da quadrilha", um figurão do PT diz que está "mapeando cargos" de segundo e terceiro escalões - com bastante verba, claro - para "compensar" o butim perdido no novo ministério, o aloprado Berzoini fala em censura, Lula trata todos como imbecis (com a anuência da imprensa) fingindo uma briguinha com sua criatura, Dilma, para se apresentar como oposição em 2018.

Eles fazem o que bem entendem e pronto. São os donos do país, os coxinhas que se calem e paguem a eterna micareta dos canalhas.

Diante disso o que é um apartamento funcional franqueado ilegalmente para comedores de sanduíche de mortadela?

A vergonha na cara do brasileiro e as instituições do país com raras exceções andam valendo menos do que isso.
0 Comentários