sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

A guerra do ócio com o dinheiro dos outros


Esses debilóides e militantes a soldo do PT são perigosos, não tenha dúvida disso, mas também chegam às raias do ridículo com bastante frequência. A seita liderada pelo filho de pai e mãe que já nasceram analfabetos é uma espécie de exército de Brancaleone de posse de uma maleta nuclear. Um traque nuclear, mas ainda assim um traque potencialmente danoso.

Mas o assunto é esse, só que não apenas esse. Fiquei ontem imaginando que coisa louca deve ser viver nesse mundo de gente que lê Paulo Henrique Amorim, o gênio que acha que para tirar o país do atoleiro é preciso criar a "Construbras", uma empreiteira ESTATAL sustentada pelo BNDES. Pensa que coisa, você quer curar uma dor de cabeça levando uma dedada no olho.

Fora ele tem quem acompanhe peças como a Socialista Morena, a Lola Aronovich (segundo ela a mulher empoderada de hoje deve ter mais medo de sair na rua do que a minha avó, que era do lar), Blog da Cidadania, Brasil 247 (6x40 mil), Paulo Moreira Leite, entre outros menos cotados (mas nem por isso menos horríveis).

Nessa última semana de fevereiro de 2015 o Lula comandou no Rio de Janeiro um ato pela defesa do direito de saquear a Petrobras. Lá convocou o "exército de Stedile", do MST, para a "guerra". Ora, o MST, essa milícia do campo que não tem nem endereço e nem CNPJ, é um perigo para a democracia, mas os animados militontos do PT superestimam o que os trabalhadores rurais que pensam que uma enxada só presta para enfrentar a polícia podem fazer.

Lembremos que onde não estão armados lutando contra oponentes de mãos limpas, os esquerdistas são especialistas mesmo é em fugir às pressas levando o dinheiro do colchão. Já dormem calçados pra acordar correndo, e basta ouvir alguém pisando mais forte que já saem em desabalada carreira. Tanto que o ídolo maior revolucionário valentão super comuna deles foi abatido pelo exército BOLIVIANO.


Mas mesmo assim os caras estão por aí falando em ir pra "trincheira" fazer "guerra" como se guerra fosse uma roda de jongo cheia de ripongas usando saia de tia velha na plenária da UNE.

É aquele mesmo tipo de gente que não lê a Veja, que odeia a Veja, mas que reclama quando a Veja não noticia algo que eles querem:

- Por que a Veja não fala sobre isso? Hein? Hein?

- Pronto, aí, a Veja falou, lê a reportagem.

- Nem vou ler, já sei que só tem mentira.

Encontram uma tal elite branca americanizada golpista raivosa ajudada pela CIA até no pipoqueiro da porta do colégio dos filhos que acha a Dilma uma mentirosa. Daí estão prontos para a "guerra" contra os "entreguistas que planejam roubar o pré-sal e levar pra Miami".

Alguém precisa avisar a eles que o "líder" nunca foi muito de combate, o negócio dele é insuflar e depois dormir no sofá do delegado, como narrou o Romeu Tuma Jr. no seu livro. Porque, sério, visualize o Lula num bunker de São Bernardo, QG do comando petralho-revolucionário, perguntando:

- E o exército do Stedile?

- Estão em Brasília ocupando um Mc Donald's.

- E os guerreiros da CUT?

- Num navio a caminho de Aruba.

- Como assim? Todo mundo já correu? Prepara aí meu disfarce de Lady Gaga.

Por isso eu digo: deve ser emocionante viver num mundo imaginário onde coxinhas midiáticos tentam sugar o pré-sal no meio da noite para entregar aos estadunidenses, onde a "mídia" conspira contra super-heróis bolivarianos 27 horas por dia, precisando conferir se não tem um agente da CIA escondido embaixo da cama ou se a frota americana não está na banheira pronta para apoiar o "golpe", que nunca acontece mas é sempre iminente.

Dizem que cabeça vazia é oficina do diabo. Como se nota, essa gente não tem só a cabeça vazia, mas o horário do expediente também. Se tivessem algum trabalho de verdade, lutariam a guerra diária de todo brasileiro e não as batalhas imaginárias do doutor honoris causa que nunca saiu do Ensino Médio.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O problema não é o grau de investimento, é o alto grau de malandragem


Sei que é uma mistura de ignorância de uns com malandragem de outros, mas veja como funciona a cabeça de um petista: em 2008 o Brasil ganhou o "grau de investimento" das agências de risco internacionais (começou com a S&P, mas logo a Fitch e a Moody's acompanharam).
Isso significava que o país de Eike Batista, da Sete Brasil, das empresas do Petrolão, do Paulinho do Lula na Petrobras, do amigão da Val Marchiori no Banco do Brasil, fora o resto, era considerado por estas agências, naquele momento, um "local seguro" para investir.
A partir de então Lula, que já se achava maior do que Napoleão, teve a certeza de que era a reencarnação misturada de César, Chirchil, Deng Xiaoping e do Genival Lacerda. As, como tão bem definiu o ex-ministro Joaquim Barbosa, "plumes-à-gage" correram logo para alimentar a segunda maior obsessão de Lula depois do poder, que é FHC, e comparar o "inferno" de um contra o "paraíso" de outro.
Não demorar muito explicando que as dúvidas sobre o Brasil no final do governo FHC eram fruto do medo que o mercado tinha do PT (depois descobriu que com 1% ou 2% ou 20% tudo se ajeita).
Naquele momento as agências eram uma espécie de conclave da economia que elegeram o novo "pontífice", o "cara" que transformaria o tsunami econômico mundial em "marolinha" e por isso sabiam tudo e mais um pouco das coisas.
O tempo passa, o tempo voa, e finalmente o modo PT de (des)governar - gastança, corrupção, falta de responsabilidade fiscal, elevados custos com cabides de emprego, etc. - levou o país para o atoleiro. A primeira vítima foi a Petrobras, que a operação lava-jato indica funcionar como o caixa eletrônico ilimitado de políticos e despesas de campanha.
A Moody's rebaixou a estatal, retirando seu "grau de investimento" e colocando-a em "grau especulativo" e tudo indica que a próxima vítima pode ser o paisão atrasado e caro assombrado por Dilma Rousseff.
Bastou isso para que aquelas agências batutas e espertas, que sabiam de tudo na época da bonança, virarem burras desinformadas que não entendem de nada, provavelmente lacaios dos piratas estadunidenses que desejam quebrar a Petrobras, o Brasil, roubar o pré-sal e mandar para os Estados Unidos via Fedex (se mandar por Sedex não chega, já que o aparelhamento do PT também quase acabou com os Correios).
Logo se vê porque a "mídia" é golpista e os "coxinhas" merecem apanhar na rua: o problema é que essa gente fascista, racista, homofóbica, machista e saudosa da escravatura não elogia o PT o suficiente.
Para eles quem entende de economia e investimentos é o Eike Batista, de administrar estatais é a Graça Foster e quem sabe de política é o Zé de Abreu e o Chico Buarque.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Um safári na vagabundolândia


Neste dia 24 de fevereiro de 2015, Lula, o chefe do PT, resolveu convocar um ato em "defesa" da Petrobras, como se não fosse o seu próprio partido que estivesse saqueando e quebrando a empresa e como se no governo não estivesse um poste que ele mesmo ali instalou.
Mas exigir de Lula senso do ridículo, compromisso com a verdade ou coerência seria o mesmo que exigir que Cristina Kirchner parasse de usar botox.
Vamos adiante.
O ato foi realizado na sede da ABI (Associação Brasileira de Imprensa, mas que hoje se tornou a Assessoria e Buffet de Imprensa a serviço do PT), no auditório da entidade. Aqui um parêntese: você também não acha incrível como Lula, o grande líder das massas, só consegue encher auditórios fechados e com frequência controlada?
Passei na frente do local e lá me deparei com a fauna habitual destes eventos, bonobos da CUT, orangotangos do MST e chimpanzés ladrões de banana do PT. Minto, não quero ofender os primadas.
Em frente ao local estava toda aquela gente bronzeada que defende os trabalhadores desde que não precise trabalhar, com suas camisetas vermelhas, caras de ódio e berros de mostrar a úvula. Do outro lado da rua um grupo de opositores. A proporção era de uns 15 a 20 opositores para 200 a 300 petistas, separados por um cordão de isolamento da PM.
Vendo o nervosismo da companheirada logo pensei: é fome. Sabe como é, o preço da mortadela está nas alturas por causa da inflação e todos estavam ali desde cedo por obrigação profissional, então resolvi contribuir com o lanchinho deles e tirei algumas moedas da mochila, oferecendo-as.
- Toma, pra ajudar no lanche.
- Viado! Coxinha! Maconheiro!
Fiquei intrigado e ainda disse: ué, mas não é disso que vocês gostam? E mais xingamentos:
- Vai se f*, burguesinho de merda!
Uma senhora ainda me puxou pelo braço:
- Não joga moeda neles não!
- Não vou jogar não, senão eles se pisoteiam atrás do dinheiro. - Respondi.
Pensei ter entendido a razão da revolta, afinal eu oferecia apenas algumas moedas e a companheirada não trabalha com miudezas, além disso, anda difícil até comprar pãozinho com um ou dois reais e a grana das empreiteiras secou.
Ainda imbuído da missão de aliviar toda aquela raiva, tirei 20 reais da carteira e ofereci:
- Toma, acho que 20 melhora, né? - E mais xingamentos.
- Vou te cobrir de porrada, fascista! Gritou um, barba grisalha, barriga de quem não sai do rodízio, camiseta do PT meio curta mostrando o umbigo de bebum de boteco.
Um outro ainda urrou:
- Vou te matar, seu filho da puta!
Alguns tentaram romper o cordão de isolamento da PM para vir em minha direção e uma moça que estava comigo foi chamada de "puta, vadia, maconheira" e mandada "tomar no cu" (pelo visto a única donzela no país que não pode ouvir isso é a senhorita Dilma Rousseff).
Vendo aquele desespero ainda tentei solucionar a quizumba:
- Tudo bem, se 20 é pouco, vocês então aceitam cartão de débito ou crédito?
Nesse momento um deles tirou uma nota de 100 da carteira, brandiu-a no ar como um estandarte e me disse:
- Eu tenho dinheiro, coxinha, vem aqui você pegar um trocado.
- Claro, pode passar, é meu mesmo, você só está me devolvendo um pouco do que roubaram.
Ele rapidamente guardou a nota no bolso de volta e disse pra outros dois ao seu lado:
- Vamos cercar ele na saída lá na outra rua. - Note que ele disse "vamos", porque eles nunca dizem "vou", de ir sozinho. Risos.
Nessa hora um PM saiu do cordão, me pegou quase numa gravata e disse:
- Se você não for embora vou ter que te prender por perturbação da ordem.
- Mas eu estou na minha, eles é que estão nervosinhos.
Aí ele meio que me conduziu na boa até uma rua ao lado e disse:
- Cara, são uns 500 ali (eu não vi isso tudo, mas deixa), é mais fácil tirar você dali do que conter essa gente toda, vai por mim, esse pessoal é bandido, é tudo doente, se forem pra cima não vai ter como conter, vou te escoltar até a outra rua e você vai embora, senão vou ter que te recolher na viatura até acabar isso.
- Mas o bandido não sou eu.
- Eu sei, nesse caso só tenho 20 policiais aqui e sei, por experiência, que não dá pra conter essa gente, eles vão quebrar tudo e vão te pegar em bando porque são uns covardes.
Entendi o drama do cara (e o meu) e aceitei o conselho (não sou burro). Disse que iria embora, pedi desculpas pelo transtorno (dei xar a petezada enlouquecida) e desejei a ele um bom trabalho.
Na despedida, ele ainda me disse:
- Fica tranquilo, o que é deles tá guardado e falta menos do que faltava pra acabar essa farra.
Que as palavras desse PM sejam uma premonição.

Coletivo valente


Teoria que comprovei hoje nesse ato em "defesa" da Petrobras (na verdade em defesa dos saqueadores da Petrobras): como bons coletivistas, a coragem dos valentes revolucionários de esquerda também é coletiva.
Já explico.
Funciona assim mais ou menos da seguinte forma, 1 esquerdista, 1 opositor:
- É só uma divergência de idéias, amigo, sem discurso de ódio, por favor.
2 esquerdistas, 1 opositor:
- É só um divergência de idéias, cara, fica calminho aí.
3 esquerdistas, 1 opositor:
- É só uma divergência de idéias, mas a sua idéia está errada.
4 esquerdistas, 1 opositor:
-Não fode, coxinha, ninguém está interessado nas suas idéias.
5 esquerdistas, 1 opositor:
- Fascista, burguês de merda, não tô te ouvindo, lá, lá, lá, lá, lá.
20 esquerdistas, 1 opositor:
- Tu não é homem de vir pra porrada, seu fascista! Bora todo mundo pegar ele!
A valentia é diretamente proporcional à quantidade de companheiros ao redor. Mas também tem outro nome: bunda mole que assim que a coisa fica preta foge do país vestido de mulher.
Casos assim não faltam.
P.S.: Este ainda não é o relato da minha experiência de safari entre bonobos da CUT, o relato vai ser publicado daqui a pouco.

É o Brasil contra o crime


Hoje o chefe dessa turma que aparece na foto agredindo um cidadão resolveu fazer no centro do Rio um ato em defesa da empresa que eles mesmos saquearam e quase quebraram (ainda chegam lá).
Como teoricamente a rua é de todos, desde que respeitadas as leis, alguns cidadãos foram lá demonstrar que nem todos apoiam o partido dos trabalhadores que não trabalham e esses sindicatos que representam bravamente os interesses dos próprios sindicatos.
As camisas do PT no lombo dos marginais agredindo um homem que estava presente para repudiar o lulopetismo não deixam margem para dúvida: hoje o Brasil que presta enfrenta a bandidagem.
Nada mais, nada menos do que bandidos organizados.
A foto provocou em mim vários sentimentos, pensamentos e instintos, certamente também provocará em você. Por isso espalhe-a por aí, depois dessa os que ainda estão desavisados perderam a desculpa.
Os demais merecem tudo aquilo que eu, você e todo cidadão que se encheu desta récua pensaram e sentiram ao ver esta imagem.
Vamos dar a eles o que eles merecem.
P.S.: Passei pelo local e a minha experiência de 5 minutos renderá um post tão esclarecedor quanto esta imagem. Aguardem.

Dúvida pertinente

Esse ato do povo com Lula em defesa da Petrobras aí, vai ser com o POVO na PRAÇA PÚBLICA ou em local fechado com seguranças e claque?

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Cunha Underwood


Confesso que, de certa forma, fui um entusiasta da candidatura de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara. Mais do que ver os faniquitos de gente como Jean Wyllys ou Erika Kokay, queria ver a Câmara deixar de ser linha auxiliar do Palácio do Planalto e consequentemente do PT.
Com pouco tempo em campo, Cunha marcou alguns gols e ameaçou uma ou outra canelada, mas o saldo é muito, muito positivo até aqui. Vejamos:
Derrotou o governo no primeiro turno (1x0), expurgou o PT da mesa diretora (2x0), desidratou o partido nas comissões mais importantes (3x0), deu um passa-moleque no PT e instalou uma comissão para a reforma política que passa longe do bolivarianismo que a companheirada deseja (4x0), aprovou o orçamento impositivo acabando com as chantagens envolvendo ementas (5x0), está trabalhando para dificultar a fusão de partidos e assim atrapalhar o partidator-Tabajara Gilberto Kassab a atacar o PMDB para ajudar o PT (7x0), resolveu convocar todos os ministros para debates na casa (8x0), instalou a CPI da Petrobras e barrou manobras petistas para inviabilizar a comissão (9x0), soterrou qualquer tentativa de controle da mídia (10x0).
A canelada fica por conta da possível instalação de um petista na relatoria da CPI da Petrobras, afinal, todo mundo sabe o que qualquer petista vai fazer ali e não será ajudar nas investigações.
Mas o melhor deixei para o final, que é, até aqui, o 11x0 de Eduardo Cunha, com um verdadeiro gol de placa. Veja o que ele disse em sua conta no Twitter sobre o sequestro e prisão de um opositor pela ditadura de Nicolas Maduro na Venezuela:
- Não dá para os países democráticos assistirem isso de braços cruzados, como se fosse normal prender oposicionista, ainda mais detentor de mandato. Até quando o Brasil ficará calado sem reagir a isso?
Trata-se simplesmente da declaração mais dura dada por uma autoridade brasileira em toda a história da proto-ditadura bolivariana. Até aqui os patetas que acreditam estar criando uma "pátria grande" na América Latina cometeram todo tipo de abjeções sem que o Brasil não agisse como estafeta do bando de lunáticos, mas isso acabou agora, pela ação de Eduardo Cunha.
O que ele deve ter percebido - e se não percebeu certamente o fará em breve, já que é um homem inteligente - é que não há por onde crescer no campo do petismo. Nem ele (e nem ninguém que não seja do partido) jamais terá apoio de movimentos sociais, sindicatos, entidades estudantis, ONGs pobristas, movimentos de minorias e demais sanguessugas. Este terreno está ocupado e sedimentado nas mãos do PT.
Onde Eduardo Cunha pode crescer é entre aqueles que não aguentam mais o cinismo, o autoritarismo, a esculhambação de valores, o duplo grau de julgamento do lulopetismo e seus asseclas cucarachas. É entre os que desejam que o Brasil faça seu tamanho valer onde houverem abusos de poder no continente. Os que desejam parar de sentir vergonha de ver seu país se aliando a Castros, Maduros, Morales e Kirchners, essa malta de cretinos que destrói seus países, solapa as liberdades e se agarra ao poder mais do que carrapato em bunda de cachorro.
Há oposição neste país, só falta quem a represente. O PT é uma fruta podre pendurada num galho, basta sacudir que cai.

Esquerda caviar legítima


Pouca coisa me causa tanta alegria quanto a festa de entrega do Oscar, afinal, é sempre bom saber que o meu dinheiro torrado no cinema brasileiro com leis de incentivo fiscal rende um monte de estatuetas.
Alguém assistiu aquilo tudo ontem? Confesso que fiz como a maioria: leio notícias em portais e depois vejo o compacto. Se já não tinha saco para piadinhas sem graça, imagina para discursos da esquerda caviar hollywoodiana.
Patricia Arquette, vencedora do prêmio de melhor atriz coadjuvante e uma oprimida com patrimônio de 24 milhões de dólares, achou que a estatueta era um bong, que estava numa reunião das mulheres do PSOL e resolveu fazer um discurso feminista tão efusivo que transformou a Meryl Streep numa Marilena Chauí platinada. Só faltou berrar "odeeeeeeio a classe méééédia".
A militância engajada já começou antes da festa, com uma campanha movida pelas atrizes para que parassem de perguntar sobre seus vestidos. Adoraria ser um repórter numa hora dessas:
- Não pergunte sobre o vestido, pergunte sobre a mulher que está usando o vestido.
- Tudo bem, pode tirar o vestido então?
Passei a noite conversando com o pessoal do Twitter e tentando imaginar como seria o Oscar caso fosse no Brasil. A primeira conclusão é que o evento aconteceria no Circo Voador, patrocinado pela Petrobras e apresentado pela Preta Gil e o Laerte.
As categorias também seriam diferentes, pensei em algumas como:
- Melhor filme sobre seca, miséria e enaltecimento da pobreza.
- Melhor ator que faz sempre o mesmo personagem com nome diferente (nessa o Lázaro Ramos seria imbatível).
- Melhor atriz que só é notícia porque troca de namorado duas vezes por mês, é jurada no Faustão e se deixa fotografar até cagando para a revista Caras.
- Melhores efeitos especiais (essa o João Santana levaria com sua obra-prima "Transformando merda em votos").
- Melhor trilha sonora com batuque, sanfona e berimbau chata pra cacete que ninguém aguenta.
- Melhor bichinha alegórica estereotipada da cota de bichinhas alegóricas estereotipadas que todo filme e novela tem que ter.
- Melhor manicure-empregada-doméstica-cozinheira-de-lenço-na-cabeça-que-representa-o-estereótipo-de-mulher-do-povão.
- Melhor drama que todo mundo já conhece o final (esse ano o campeão seria "Roubaram, não sei de nada, a culpa é do FHC").
- Melhor filme conceitual com fotografia escura, insuportavelmente massante e que só prestou para chupar patrocínio estatal e pro diretor comer a atriz principal 10 anos mais nova.
- Melhor montagem (a vitória seria dos parceiros Lula, Dilma, José Dirceu, Delúbio Soares e Vaccari com o filme "O Esquema").
- Melhor cantora baiana de voz anasalada que imita a Daniela Mercury antes de virar fancha.
- Melhor diálogo em dilmês, categoria sempre vencida pela única falante de dilmês na face da Terra.
Exageros e piadas à parte, só na Zona Sul do Rio de Janeiro e na USP existe uma burguesia tão comunista quanto a de Hollywood. Matt Damon, Sean Penn, Benicio del Toro, entre outros, são desse tipo de gente que apoia 100% os regimes cubano e venezuelano, desde que não sejam obrigados a viver como um pobre coitado de Los Sitios, em Havana ou Petare, em Caracas. É um pessoal que possui tanta conexão com o mundo real quanto o Leblon do Manoel Carlos com o Rio de Janeiro do Furacão 2000.
Essa platéia do Oscar, com raras exceções, não passa de uma plenária do PSOL que toma banho, raspa o sovaco, ganha bem e veste Armani, Dior, etc. Mas a chatice é a mesma.
A maior diferença do Oscar pra uma plenária do PSOL é que depois do Oscar eles não vão comer farofa em boteco, é caviar mesmo.
Esquerda caviar legítima.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

E nós vivemos para ver o PT defendendo empreiteiras como se fossem heroínas do Brasil

O ministro da justiça deu a seguinte declaração: "é preciso separar as pessoas das empresas. As condutas individuais devem ser investigadas. Outra coisa é tomar decisões contra as empresas, que possam prejudicar a economia do País. Temos que ter o cuidado para não atentar contra a economia, contra o emprego e contra o bem-estar da sociedade".

Como bem lembrou O Antagonista, a máfia usa o mesmo tipo de argumento para defender suas atividades: geram empregos.

Poderia ir além: milhares de jovens no país são empregados pelo tráfico de drogas, ganhando inclusive salários muito maiores do que os praticados no mercado formal.

Não seria o caso de parar de importunar as atividades do Comando Vermelho ou do PCC e punir apenas os seus chefes, afinal, quantas famílias sobrevivem de tal comércio?

E antes que você me chame de exagerado, dinheiro roubado do pagador de impostos para superfaturar obras que nunca ficam prontas, quando ficam são de péssima qualidade e que irrigam os bolsos de empresários bandidos e políticos corruptos é tão sujo e nocivo ao país quanto o dinheiro obtido através da venda de maconha, cocaína, crack e outras drogas.

Ser frouxo com empresas que há anos roubam o país e desviam dinheiro que poderia ser usado, por exemplo, para equipar hospitais e assim menos pessoas morrerem no péssimo atendimento do SUS, com a desculpa esfarrapada de que "pode acabar com postos de trabalho e prejudicar a economia" é o mesmo que permitir que traficantes atuem nas portas das escolas sob a mesma justificativa.

Abram o mercado nacional para empresas estrangeiras, celebrem contratos com empreiteiras menores, que crescerão e absorverão esses empregos com o aumento de sua atividade, mas acima de tudo deixem algo bem claro: lugar de marginal é na cadeia e não agindo livremente por aí.

Uma estrada construída por uma empreiteira corrupta pode até ter a mesma aparência de outra construída de forma séria, mas é só a aparência. Por trás da falsa semelhança há fome, desamparo, péssimos serviços públicos, altos custos e a honra de um país afundando num mar de lama.

Senhor ministro, arrume outra desculpa.

Agora imaginem uma reunião dessas


12 horas de debate para concluir que o lugar do sorvete é mesmo enfiado na testa. 

Alguém me responda

O fato do Tietê ser poluído automaticamente despolui as praias do Rio? O fato de não haver infra-estrutura em Piraporinha do Mato Dentro faz brotar no Rio de Janeiro um metrô tão bom quanto o de Londres ou Paris? O fato de alguém ser muito branco, muito preto, usar camisa polo ou óculos faz com que a população do Rio de Janeiro seja, em sua maioria, mal educada? O fato de existirem cidades sem praia ou sem o Pão de Açúcar ou sem as novelas do Manoel Carlos transforma a sujeira e o fedor da Lapa Estocolmo?
Porque escrevi um post falando das mazelas do Rio de Janeiro. Só verdades, já que conheço bem a cidade e pelos comentários raivosos que recebi - "recalcado", "deve ter vindo de um buraco qualquer", "o Tietê é poluído", etc - a lógica parece ser esta: estou muito bem se alguém estiver pior.
Será por isso que o Rio não sai dessa? Rs.

Impeachment virou lucro



Caso se confirmem essas denúncias de obstrução da justiça e fosse o Brasil um país sério, deveria ser decretada imediatamente a prisão preventiva do Lula, porque não existe razão plausível para alguém que esteja coagindo testemunhas e fazendo pressão sobre agentes públicos continuar solto atrapalhando um processo que pode terminar punindo o maior esquema de roubalheira deste país desde - como petista adora dizer - "500 anos atrás".
E digo mais: caso isso tudo que tem saído na imprensa se confirme mesmo, como Pasadena, Abreu e Lima e dinheiro sujo alimentando campanhas eleitorais, Dilma não merece impeachment, merece impeachment e cadeia. Assim como todos os petistas que se aproveitaram do assalto ao país para enriquecer e custear suas campanhas.

Não tem nada demais dizer isso, porque se tais crimes forem provados, não é mais questão de legitimidade para governar, mas de total impossibilidade de conviver em sociedade.

Lula deve ser processado e o PT ter seu registro cassado. Isso não é "golpe", é lei. O que este processo parece demonstrar é que não estamos diante de uma agremiação política, mas de uma organização mafiosa. Que os honestos saiam e fundem outro partido, se quiserem, ou entrem em algum que já existe. Nem imagino quantos sejam, mas acredito que ainda existam.
Se a revista Veja não tivesse denunciado essa operação mela-a-lava-jato (bypass no juiz Sérgio Moro para as empreiteiras pagarem multas e todo mundo se safar), ia ter muito advogado administrativo por aí hoje só esperando para ganhar uma cadeira no STF como prêmio.
A tara por "controle da mídia" não tem outra razão de ser: desviar, roubar, embolsar, enganar, mentir, abafar e ninguém poder denunciar.
Finalizando: ficou em casa sem programa para este final de semana? Não queria te falar nada, mas tem dedo do FHC nisso.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

(Clique na imagem para ampliá-la)

Os leitores conseguem ser mais toscos até do que os próprios "blogueiros progressistas".
A classe média apóia a direita e a casa grande, mas se for esperta corre pro lado da Dilma, porque tem dedo dos EUA aí e todos estão em perigo.
A coisa é tão séria que a embaixadora dos EUA que estava no Paraguai na época do "golpe" (impeachment constitucional) do Fernando Lugo (um pateta bolivariano que estava quebrando ainda mais o país) já está no Brasil.
Melhor iniciar uma campanha de boicote aos produtos "estadunidenses" e divulgar através do Facebook, usando o Windows num computador da Dell ou um Mac OS da Apple.
Vamos lá?
Risos.

Não intervenção


Lembre-se: Jamais devemos nos meter em questões internas de outras nações. A menos que seja em Honduras, no Paraguai, em Israel ou na Indonésia. Aí pode.

Ainda o mito da cidade maravilhosa


Se você aí que ficou com raivinha por causa do meu post (link no final deste) falando sobre o Rio de Janeiro real, então me responda essas simples perguntas:
1) Já que é tudo tão lindo e maravilhoso e só pessimistas e azedos não enxergam tanta beleza, por que você não vai dar uma nadada na Baía de Guanabara?
2) A cidade também é "maravilhosa" no Complexo do Alemão, da Maré ou na Pavuna?

3) Se você adora o "calorzinho do verão", por que não vai correr ao meio-dia na avenida Brasil?
4) Por que as fotos turísticas da cidade são todas aéreas ou então viradas para o mar? Será que tem algo em terra (e principalmente em cima dos morros) que não dá pra mostrar?
5) Sensação térmica de 50 graus e ônibus com ar-condicionado é considerado "luxo", você usa transporte público? Por falar em transporte público, você curte esse metrô com uma linha e meia, sempre lotado, caro, com poucas estações e que não leva na rodoviária e nem no aeroporto?
6) Esqueça o calçadão do Leblon, de Ipanema ou de Copacabana, você já foi aplaudir o pôr-do-sol na Dias da Cruz, no Méier, na avenida Braz de Pina, na Penha ou na rua Uranos, em Olaria?
7) Como pode o "maior espetáculo da Terra" ocorrer num lugar (o Sambódromo) que começa num canal podre (o do Mangue) e termina num bairro abandonado, sujo, perigoso e favelizado (o Catumbi)?
8) Blocos de pivetes, usuários de drogas, moradores de rua e demais personagens urbanos que urinam, defecam, dormem e fazem sexo nas calçadas também entram na conta da "folia" como blocos carnavalescos?
9) O turismo na cidade realmente é forte, mas você já parou para se perguntar o porquê da imensa quantidade destes turistas serem homens solteiros que vêm do exterior e curiosamente só circulam em zonas de meretrício?
10) Com uma das contas de energia elétrica mais caras do país, custo de vida altíssimo, péssimos serviços, engarrafamentos, saneamento básico precário, limpeza e iluminação urbanas meia bomba, a relação custo-benefício é lucrativa?
11) Fazer stand up paddle no canal do Cunha, quem curte? E kitesurf em enchente? Vinícius de Moraes e Tom Jobim cantariam a Garota de Ipanema passando "no doce balanço" a caminho da língua negra?
12) Se uma cidade é reflexo do seu povo e o povo é reflexo da cidade, qual o segredo desse Tostines maravilhoso? O que ocorreu primeiro? O morador destruiu a cidade, transformando-a num favelão imundo e quente ou a cidade destruiu o morador, transformando-o num sujeito agressivo, que mal consegue ouvir uma crítica sem berrar "é maravilhosa merrrrrmo, não gostô vaza daqui!"?
Não precisa responder se não quiser, a maioria das perguntas são retóricas mesmo.

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


Onde está a ONU que não decreta intervenção no Brasil em nome dos direitos humanos e prende esses procuradores, promotores e principalmente o juiz Sérgio Moro?
Imagina que horror, esses carrascos estão ameaçando empresas corruptas que segundo denúncias assaltavam os cofres do país junto com o PT.
Onde é que vamos parar desse jeito? Todos iguais perante a lei? Aff.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

A tara do PT por tiranos, assassinos, canalhas e picaretas, desde que sejam "de esquerda"

(Clique na imagem para ampliá-la)

Suponha que um país latino-americano seja governado por um partido dito "de direita". Siga supondo e imagine que este partido está modificando a Constituição para atender ao seu projeto partidário e à sua visão de país que trata quem se opõe a ela como "bandido" e "golpista".
Dê asas à sua imaginação e pense que este governo sai por aí prendendo opositores sob acusações tão bizarras quanto "perturbar a paz" ou "conspirar contra o bem". Agora imagine que a polícia política deste governo invade uma prefeitura governada por um opositor, mete as patas numa porta de vidro - arrebentando-a - e sequestra o prefeito, levando-o encapuzado para local desconhecido.

Imagine - sempre no plano da imaginação, claro - que este governo de direita mantenha um outro opositor preso por mais de um ano sem julgamento ou prova ou testemunho contra ele, que censure a imprensa e chame isso de "democratização" e que esteja levando o país à bancarrota enquanto os ladrões instalados nos palácios ficam cada vez mais ricos.
Imagine que a oposição vá para as ruas berrar - praticamente a única coisa que pode fazer, já que um "desarmamento pela paz" manteve somente milícias de bandidos a serviço do governo armadas - e que o governo autorize as forças de segurança a usar força letal (abater a tiros) os manifestantes.
Veja, não estou falando de sindicatos e vagabundos a mando do petismo fazendo baderna no Paraná, mas de um país imaginário onde pessoas comuns, não aparelhadas, saem batendo panelas e pedindo coisas como liberdade e comida.
Agora delire um pouco e pense no que faria o PT, que transformou o Itamaraty num cafofo, contra esse governo de direita. Convocaria o embaixador? Daria um golpe no Mercosul como fez com o Paraguai? Abrigaria gente na embaixada como fez em Honduras? Todas as opções e mais outras ainda piores?
Certamente que sim. Mas como o país imaginário é bem real, se chama Venezuela e é tiranizado por marginais companheiros, o Partido dos Trabalhadores que não trabalham emitiu uma nota de APOIO a este governo.
Simplesmente porque os ditadores, assassinos, pilantras e liberticidas companheiros são melhores do que os outros.

Dois presidentes




"A própria liberdade foi atacada esta manhã por covardes sem rosto e a liberdade será defendida. Isto não foi um ato de terrorismo, mas um ato de guerra e em todo lugar onde a liberdade for ameaçada, que os tiranos temam.
Em 11 de setembro a América sentiu sua vulnerabilidade frente ameaças que se unem do outro lado do mundo. Nós então resolvemos naquela época, e estamos resolvidos agora, a confrontar toda e qualquer ameaça de qualquer lugar que possa trazer sofrimento à América"
George Walker Bush.
"Não estamos em guerra contra o islã, mas contra aqueles que pervertem o verdadeiro islã. Quando milhões de pessoas - especialmente as mais jovens - se encontram empobrecidas e sem esperança no futuro, os riscos de instabilidade e extremismo crescem. Nenhuma religião é responsável pelo terrorismo, pessoas são responsáveis pela violência e pelo terrorismo"
Barack Hussein Obama.
Agora vocês tirem suas próprias conclusões.

Liberdade de imprensa


"Democratização da mídia" na Venezuela: não tem UM canal de TV confiável para saber notícias do país. Todos chamam opositores de "bandidos".

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O mito da cidade maravilhosa


Nada contra o cara ter a sua carioca-experience: chega no Rio de Janeiro, salta no Galeão e se diverte com o serviço precário - ah, é bagunça organizada - e chega naquele seu hotelzinho que cobra três vezes o que vale.
Se entope de biscoito Globo e mate numa praia lotada e suja, corre do arrastão e termina se achando malandro - "não me pegaram, já sou carioca" - e aplaude o pôr-do-sol que nem um babaca antes de tomar um açaí na casa de sucos com aqueles atendentes tão mal educados que já viraram folclore.
De noite vai pra Lapa ouvir música ruim, beber cerveja ou choppinho caros e sentir cheiro de lixo e urina, na volta é roubado pelo taxista numa corrida superfaturada e termina comendo um podrão na esquina ao lado dos mendigos que dormem em volta do chafariz onde tomam banho.
Sua em bicas o dia inteiro e descobre que no Rio existe o único metrô do mundo que engarrafa - "estamos parados aguardando a normalização do tráfego à frente" - e que não leva a lugar nenhum (não passa na rodoviária, no aeroporto, nos bairros mais distantes).
Nada contra se divertir no Maracanã e descobrir que a infra-estrutura cheia de sobrepreços construída para a copa do mundo só existe no interior do estádio, já que o entorno é favelizado, perigoso e imundo.
O cara pode gritar gol o quanto quiser, cantar que é "Flamengo e tem uma nega chamada Tereza" e andar atrás da barulhenta bateria dos tenebrosos blocos carnavalescos, enfim, toda a liberdade para o turista amigão viver seus 4 ou 5 ou 10 ou 15 dias de carioca antes de voltar para a sua terra.
Mas por favor, só chame isso de "cidade maravilhosa" se você viver o ano inteiro nessa joça e tiver que aturar tudo o que é pitoresco para quem está a passeio infernizando a sua vida diariamente.
Quero ver conseguir.

Mbasogo pra lá, Mbasogo pra cá


De acordo com o jornal O Globo, o ditador da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, gastou 79 mil reais num banquete durante sua viagem carnavalesca ao Brasil. Fora isso foram gastos 120 mil em dois camarotes no Sambódromo alem de vastas quantias em suítes de luxo no Copacabana Palace, onde sua comitiva de 40 pessoas ficou hospedada.
Que horror, o governante de um país cheio de miseráveis se comportar como uma Maria Antonieta!
Agora imagine um governante que durante uma ESCALA em Lisboa com sua comitiva ocupou 45 quartos dos hotéis Ritz e Tivoli ao custo de 8 mil euros por dia, o equivalente a 71 mil?
E se este mesmo administrador da miséria tivesse ido passear em Roma e torrado 324 mil com uma comitiva de 52 acompanhantes que ocuparam um hotel de luxo tal qual uma corte das bananas? Isso fora os veículos utilizados, os banquetes e as comprinhas.

Pois essa foi a conta de somente duas viagens internacionais de Dilma Rousseff e sua entourage.  Bem mais cara que a turma do Nguema. 

Mas também o que poderíamos esperar? Que a suposta presidenta do Brasil Maravilha andasse por aí gastando como se fosse um reles ditadorzinho africano?
Brasil é coisa para profissional, para a realeza da mordomia com o dinheiro dos outros. A Guiné tem muito o que aprender.

Ainda a OAB


Essa entidade apartidária que apenas defende a democracia e o Estado de direito, sem tomar lados e sem defender recursos heterodoxos de nenhuma parte, como um encontro entre um ministro da justiça e advogados de empresas corruptas para, segundo reportagem da Veja, melar a operação lava-jato e impedir que as descobertas sobre o arrastão que petistas fizeram na Petrobras chegue até Dilma e Lula, os que nunca sabem de nada.
Mas você aí, advogado, pague sua anuidade baratinha em dia e sem reclamar, afinal só duas coisas no mundo podem se gabar de sua infalibilidade: o Papado e a OAB.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

E a OAB?


Se antes o clube-sindicato-grêmio-recreativo-unidos-do-direito parecia apenas linha auxiliar do PT, a nota que emitiu durante o carnaval (e a folia do governo tentando melar a operação lava-jato) defendendo o encontro obscuro (e aparentemente extra-oficial) dos advogados das empreiteiras corruptas com o ministro da justiça (que ainda segundo denúncias trabalha ferozmente para inviabilizar a responsabilização dos criminosos que assaltaram a Petrobras) a rebaixou para o status de blog progressista.
Daqui a pouco periga a OAB afirma que é direito do advogado coagir testemunha, queimar arquivo, passar a mão na bunda do guarda e entrar num presídio com um serrote escondido no pão.

Exagero, claro, mas vai que.

Esquizolândia


No ranking dos meus interesses e preocupações imediatas, o "último sucesso do carnaval de Salvador" está umas 300 posições atrás de "qual a areia que minha gata prefere na sua caixa higiênica". Um pouco atrás disso vem a questão "o que estará pensando um peixe-beta no aquário" e descendo mais umas 400 posições vem "quem foi a madrinha de bateria da escola X,Y ou Z" e "quem brilhou no camarote".
Mas muita gente no Brasil considera os hits soteropolitanos, as madrinhas de bateria e as sub-celebridades de camarote notícias relevantes, daí acompanho os telejornais nesta época do ano com a nítida impressão de que o Brasil é a capital mundial da esquizofrenia ou então de que sou mesmo muito mau-humorado e "me preocupo demais":
- Boa noite! Acompanhe agora as notícias do dia. Na Líbia o grupo terrorista estado islâmico decapitou 20 cristãos e publicou o vídeo na internet. Agora vamos para as últimas de Brasília.
- Boa noite, Fulana, causa polêmica a reunião entre o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e advogados de empreiteiras envolvidas na operação lava-jato, uma revista acusou o governo de tentar barrar as investigações e levar o caso para o TCU, onde tudo pode acabar em pizza. De volta contigo aí nos estúdios.
- O preço da gasolina sobe novamente no Brasil, enquanto isso no Paraguai, país que importa gasolina brasileira, o valor do litro do combustível já foi reduzido sete vezes somente este ano. Nos supermercados os preços pressionam a inflação e o governo estuda nova alta de tributos para cobrir o déficit. E agora vamos às notícias do carnaval.
- Milhões de pessoas percorreram fantasiadas as ruas do Rio de Janeiro, Salvador, Recife e demais cidades do Brasil cantando e dançando, numa folia de quatro dias de festa e alegria.
Comemorando o quê?
Não dá pra manter a elegância. E digo mais: nem misturar vinho vagabundo com cerveja quente dá uma ressaca tão casca grossa quanto a que esse país vai ter depois do carnaval.
Porque o mundo não parou por quatro dias e muito menos o bloco de sujos nota 10 em evolução no dinheiro dos outros.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

A classe C que voltará para a D e a B que nunca saiu da C


Brasileiro usa crédito para compras imediatas como roupas e calçados. Isso quer dizer basicamente o seguinte: a farra do crédito fácil serviu para eleger e reeleger vagabundos, para o povo se endividar e ficar inadimplente e para quebrar o país.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


Eu até ia debochar da rainha das catacumbas, mas o Sandro Vaia já deu conta do recado muito melhor do que eu.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Recesso


Viajo hoje para longe do horroroso, calorento, super-lotado, barulhento, fedorento e sujo carnaval do Rio de Janeiro e só retorno na próxima semana. Até lá a página não será atualizada ou se for, será bem pouco.
Desejo a todos que gostam do horrendo reinado de Momo uma boa diversão, juízo e que todos retornem bem às suas casas. Aos que, como eu, têm pavor disso tudo, um bom descanso.
Até breve, amigos!

O recall: uma idéia para a reforma política


Pense num país imaginário onde um partido há mais de 10 anos se mantém no poder através de assistencialismo, luta de classes fajuta, mentiras, difamações, assassinato de reputações, loteamento de cargos, roubo e cooptação.
Imagine que este país tem uma presidente que se auto-intitula presidenta - seguida por todo sabujo que usa o termo - que foi reeleita na campanha eleitoral mais suja e cafajeste da história do país.
Suponha que para conseguir uma reeleição, a tal "presidenta" tenha lançado mão de terrorismo sobre os mais pobres e contado com o desespero de quem mama nas tetas do pagador de impostos e também com trucagens e canalhices de um marqueteiro que confunde processos democráticos com batalha de lavagem de porcos.

Digamos que em suas propagandas e nos debates a tal "presidenta" tenha dito que os adversários tirariam a comida da mesa do pobre, cortariam gastos com saúde e educação, aumentariam juros, impostos e taxas, trariam de volta a inflação e quebrariam a maior estatal do país para vendê-la em seguida.
E já que sua imaginação está colaborando, suponha que a tal política além de uma total despreparada sem o menor cacoete para o exercício do cargo ainda tenha feito tudo o que jurou que não faria e cortou gastos com saúde e educação, aumentou juros, impostos e taxas, deixou a inflação se descontrolar e abriu um rombo de quase 100 bilhões na maior estatal do país.
Fora isso ainda se recusou a cortar uma mordomia sequer, manteve dezenas de milhares de vagabundos em cargos comissionados e jogou a conta do prejuízo pela sua incompetência no bolso do cidadão.
Calma que agora vem a parte boa.
Imagine que neste país há um dispositivo legal que permite aos cidadãos no meio do mandato presidencial reunirem, sei lá, dois milhões de assinaturas e assim convocar um referendo revogatório - ou recall - no qual duas perguntas são feitas:
1) Você deseja que o atual ocupante da presidência seja removido do cargo por não cumprir seus compromissos de campanha, sendo eleito novo presidente para terminar o presente mandato?
2) Qual destes candidatos o senhor escolhe para presidente da República nos dois anos restantes do presente mandato?
Se o "sim" vencer, o vencedor da segunda pergunta é empossado em uma semana, podendo depois concorrer a uma reeleição para um mandato de quatro anos.
Pronto, pode parar de imaginar, existe uma reforma política em andamento justamente para que tais coisas virem realidade.
E o estelionato eleitoral virar peça de museu.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Se liga, mané

Você diz que não votou por você, mas "pelos pobres", no entanto acabou mantendo a boquinha da companheirada que só na Petrobras fez um rombo de 88 bilhões e embolsou 200 milhões.
Chamou José Dirceu de "guerreiro do povo brasileiro" e contribuiu com a vaquinha para os mensaleiros pagarem suas multas.
Acredita em conspirações midiáticas com ajuda da CIA e que o 11 de setembro foi obra do governo americano. Sem contar que FHC afundou uma plataforma só para transformar a Petrobras em Petrobrax e vender pruzamericanu.
Acha que na Venezuela tem democracia até demais e que o Evo Morales defende os índios e está "libertando" a Bolívia.
Faz "oficina de cartazes" do DCE antes da passeata contra o "capital", tira a roupa na marcha das vadias e se acha especialista em segurança pública, medicina e direito só porque fuma maconha.
Repete que nem papagaio as teorias de um psicopata alemão que nunca funcionaram em lugar nenhum e ainda diz que ele foi "deturpado".
Defende um partido dos trabalhadores que não trabalham ou milita num que jura que existe socialismo e liberdade.
Se diz feministo. Acha que é muito simples evitar arrastão, basta não ir na praia. Acredita que bandido faz justiça social. Acha que favela não é problema, é solução e que dividir as pessoas por raças acaba com o racismo.
Sai na rua de teta de fora exigindo respeito, acha que homem de saia é a maior rebeldia e pinta os cabelos do sovaco.
Lê Carta Capital, Pragmapetismo Político, PHA, Socialista Morena, Lola, Sakamoto e apoia as ciclovias do Maníaco da Suvinil.
Considera gênios sumidades do chorume como Pablo Villaça, Gregório Duvivier e Tico Santa Cruz. Se emociona com a "verdade" das charges do Latuff. Acha Israel "terrorista" e quer "negociar" com o ISIS.
Achou lindo o lema "pátria educadora" e no entanto tem como "ídolo" um "doutor" honoris causa que nunca leu uma orelha de livro sequer.
Enfim, você é a personificação completa do idiota útil de esquerda, do palerma repetidor de idiotices do professor comunista do ensino médio e, no entanto, acha que tem condição de zuar quem defende o impeachment da suposta presidenta?
Por favor, né?

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Vacine seu filho


Unidos da Coréia do Norte


Vem chegando o carnaval e as cercas de arame farpado vão surgindo por todos os lados. De repente guardas armados começam a tomar conta das ruas e a vigiar tudo o que você faz pelas redondezas. Em alguns dias, agentes secretos se infiltram até em conversas de elevador, reprimindo o menor sinal de dissenso: todo mundo tem que apoiar o novo regime e movimentos de oposição não serão tolerados.
Desfiles tomam conta das ruas, com fileiras de pessoas reduzidas a pixels marchando ao som de tambores e outros instrumentos para uivos da massa ensandecida. Uniformes reluzentes passam em profusão, tanques alegóricos atropelam tudo o que passa pela frente.
A "patrulha de felicidade" fica de olho em potenciais rabugentos, dissidentes e reacionários que ousam não se render ao chamado dos tambores. Ai deles!
Comparações exageradas à parte, o carnaval é, sim, uma ditadura. Gente que não gosta de "bloco" não só fica com receio de dizer que não gosta daquilo, como por medo das recriminações no estilo "Gosta de que então? Passear em museu na Europa?", até vai junto com os amigos, fingindo que se diverte só para não ser conhecido como o "do contra".
O sujeito encostado num canto se sentindo a mais miserável das criaturas no meio de bêbados, homens com o sutiã da irmã e cheiro de sovaco com desodorante vencido, mas ainda assim quando percebe que alguém o vigia de longe, já com a frase de recriminação pronta - "se diverte aí, cara, é carnaval!" - rapidamente capricha naquele sorriso babaca que todo folião tem (ri de quê?) e fica pronto para a foto do Facebook.
Aliás, só essa frase "...mas é carnaval!" já deveria servir de justificativa para proibirem o evento por uns 10 anos, no minimo.
Alguém está urinando no seu pé no meio da rua e você reclama? "Mas é carnaval!". Um pentelho tenta agarrar a menina? "Que isso, é carnaval!". Parar em cima da faixa de pedestres? Tocar uma corneta cretina às 3:00 da manhã? Peidar na farofa? Mijar no guaraná? Defecar no patê? "Ah, é carnaval!".
E já que é assim, trate de gostar, meu amigo, senão a "tropa de choque da folia" chega batendo de cassetete.
Óbvio que muita gente se diverte genuinamente num desfile de bloco ou atrás de um trio elétrico, mas lembremos que a "Tomatina", evento em que todos atiram tomates uns nos outros no meio da rua, o festival do queijo rolante e o arremesso de cabras também divertem pessoas ao redor do mundo e nem por isso são menos ridículos.
O problema é que essas pessoas que se divertem genuinamente não conseguem acreditar que exista outro tipo de pessoa que detesta isso genuinamente. O espanto já começa em letras de músicas como "Quem não gosta de samba, bom sujeito não é" ou "Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu".
Errado, minha gente. Muita gente boa detesta samba e eu só iria em um trio elétrico sob ameaça de um revólver.
Assim caímos numa situação onde alguém que não goste de: barulho, cheiro de urina, lixo espalhado pela rua, multidões comprimidas em espaços exíguos, gente desconhecida se achando no direito de fazer brincadeiras idiotas como se fosse seu amigo de infância, trânsito engarrafado, ruas interditadas e gringos ávidos por turismo sexual, não necessariamente nessa ordem, se sente até culpado por não gostar de tudo isso sendo recriminado abertamente se ousar dizê-lo.
Não se reúne 20 pessoas no Brasil para derrubar um governo corrupto, mas é fácil juntar uns 100 para olhar cachorro atropelado e milhares para um desastre maior, como um desfile de bloco na orla de Ipanema, por exemplo.
Aos teimosos que cismam em não se render ao "reinado" de Momo Jong Il, resta o exílio, isso se o engarrafamento não o deixar preso no trânsito do país do carnaval.
Aliás, essa gente toda está comemorando o que mesmo?