terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Ainda a vitória de Eduardo Cunha


O final de semana foi marcado pela vitória de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara. Mas entre elogios à capacidade de articulação do deputado e o reconhecimento da sua influência no Congresso, o que pouca gente percebeu foi a campanha competente que o levou à vitória.
Cunha reuniu em torno de si gente jovem e talentosa, que foi capaz de organizar em tempo recorde uma campanha de nível nacional. Para se ter uma idéia, nenhum candidato a presidente na eleição de 2014 foi ao Acre, mas Cunha esteve lá cabalando votos.
Sua comunicação foi ágil e eficiente, conseguindo apresentá-lo ao grande público - já que ele é conhecido no meio político - como alguém inteligente, independente e capaz de não permitir que o Congresso se dobre ao lulopetismo. Se é assim que vai ser de fato saberemos logo adiante, mas a mensagem foi passada com sucesso.
Até mesmo a máquina de moer reputações do PT foi abatida nas redes sociais por uma estratégia digna de guerra de guerrilha.
Se não dispunha do exército virtual da Militância em Ambientes Virtuais do PT, Cunha dispôs de um grupo aguerrido de colaboradores que trabalhou bem e levou seu candidato a ser o campeão de citações no Twitter, o que não é pouco conhecendo o que o famigerado MAV-PT é capaz
Visitando todos os estados da federação em eventos bem organizados, se fazendo presente na imprensa e na internet de forma a não permitir que a difamação petista o abatesse e costurando alianças com timming perfeito, a campanha de Cunha tem muito a ensinar inclusive para muito candidato a presidente da República por aí.
A cara de alguém em frangalhos de Mercadante ao cumprimená-lo após sua vitória é a maior prova disso. Cunha fez o que poucos conseguiram até aqui: desossou o PT em praça pública.
O resto fica por conta da história que ainda será escrita.
0 Comentários