quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O problema não é o grau de investimento, é o alto grau de malandragem


Sei que é uma mistura de ignorância de uns com malandragem de outros, mas veja como funciona a cabeça de um petista: em 2008 o Brasil ganhou o "grau de investimento" das agências de risco internacionais (começou com a S&P, mas logo a Fitch e a Moody's acompanharam).
Isso significava que o país de Eike Batista, da Sete Brasil, das empresas do Petrolão, do Paulinho do Lula na Petrobras, do amigão da Val Marchiori no Banco do Brasil, fora o resto, era considerado por estas agências, naquele momento, um "local seguro" para investir.
A partir de então Lula, que já se achava maior do que Napoleão, teve a certeza de que era a reencarnação misturada de César, Chirchil, Deng Xiaoping e do Genival Lacerda. As, como tão bem definiu o ex-ministro Joaquim Barbosa, "plumes-à-gage" correram logo para alimentar a segunda maior obsessão de Lula depois do poder, que é FHC, e comparar o "inferno" de um contra o "paraíso" de outro.
Não demorar muito explicando que as dúvidas sobre o Brasil no final do governo FHC eram fruto do medo que o mercado tinha do PT (depois descobriu que com 1% ou 2% ou 20% tudo se ajeita).
Naquele momento as agências eram uma espécie de conclave da economia que elegeram o novo "pontífice", o "cara" que transformaria o tsunami econômico mundial em "marolinha" e por isso sabiam tudo e mais um pouco das coisas.
O tempo passa, o tempo voa, e finalmente o modo PT de (des)governar - gastança, corrupção, falta de responsabilidade fiscal, elevados custos com cabides de emprego, etc. - levou o país para o atoleiro. A primeira vítima foi a Petrobras, que a operação lava-jato indica funcionar como o caixa eletrônico ilimitado de políticos e despesas de campanha.
A Moody's rebaixou a estatal, retirando seu "grau de investimento" e colocando-a em "grau especulativo" e tudo indica que a próxima vítima pode ser o paisão atrasado e caro assombrado por Dilma Rousseff.
Bastou isso para que aquelas agências batutas e espertas, que sabiam de tudo na época da bonança, virarem burras desinformadas que não entendem de nada, provavelmente lacaios dos piratas estadunidenses que desejam quebrar a Petrobras, o Brasil, roubar o pré-sal e mandar para os Estados Unidos via Fedex (se mandar por Sedex não chega, já que o aparelhamento do PT também quase acabou com os Correios).
Logo se vê porque a "mídia" é golpista e os "coxinhas" merecem apanhar na rua: o problema é que essa gente fascista, racista, homofóbica, machista e saudosa da escravatura não elogia o PT o suficiente.
Para eles quem entende de economia e investimentos é o Eike Batista, de administrar estatais é a Graça Foster e quem sabe de política é o Zé de Abreu e o Chico Buarque.
0 Comentários