quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Tudo o que Dilma não é


Lula não é chegado numa leitura e nem em se cercar de gente que preste ou seja competente ou ambos, mas tem carisma, sabe se comunicar com seu público alvo, além de possuir faro político e ser safo para se livrar de situações ruins e colocar a culpa nos outros.
Brizola era grande orador e debatedor, mas péssimo administrador, conseguiu destruir o Rio de Janeiro irremediavelmente.
José Serra não tem carisma nenhum, mas até seus adversários admitem sua competência administrativa. Seria com certeza um grande presidente.
Geraldo Akclmin é tão sem graça que foi apelidado de picolé de chuchu, não é tão bom administrador como Serra, mas é um cara transparente. Não fosse esse fiasco da crise hídrica, seria fácil um forte candidato à presidência.
Aécio tem carisma, podia melhorar sua oratória ainda que seja bom, é excelente administrador, mas peca por ser brando demais as vezes. Parece que tem aprendido a lição.
César Maia não é exatamente um cara simpático, mas é daqueles políticos que nasceram para a coisa. É bom de campanha, um verdadeiro nerd com números e sabe analisar conjunturas como poucos.
Miguel Arraes era um colosso fazendo campanha, mas assim como Brizola não sabia administrar os mandatos que conquistava com facilidade.
Mário Covas dizia a verdade no limite da prudência, mas era acima de tudo um cara honesto, sempre foi, inclusive intelectualmente.
Fernando Henrique Cardoso é vaidoso e frio, mas sabe montar equipes como ninguém. O Plano Real é a maior prova disso, ainda que não seja seu único legado.
Anthony Garotinho é um populista cercado de denúncias da pior espécie, mas sabe mexer com uma platéia em cima do palanque, domina a linguagem televisiva e possui um raciocínio rápido e cortadas ferinas que seriam decisivos, não fosse sua tamanha rejeição.
Eduardo Suplicy não tem carisma, não apresentou um projeto decente sequer em mais de 20 anos no Senado, é meio porra louca, mas não podemos negar que é um sujeito que gosta das pessoas.
Até o Maluf, que dispensa introduções, sabe lidar com o seu eleitor com tamanha simpatia a ponto de até hoje ter gente que o idolatra.
Dilma é péssima oradora, não tem carisma, não é simpática, não gosta das pessoas, não sabe se articular politicamente, é péssima debatedora, não tem raciocínio rápido, é horrível fazendo campanha, não é transparente, não é direta, não é boa em analisar conjunturas, não é honesta (pelo menos não intelectualmente), não sabe montar equipes e a atual situação do país mostra que a única qualidade que era atribuída a ela, ser boa gerente e administradora, também era apenas propaganda enganosa.
Como ainda tem gente que acha boa idéia manter alguém assim na presidência é um mistério que somente muitas boquinhas e poucos neurônios podem explicar, mas o jabuti não chegou ali sozinho.
No primeiro parágrafo deste texto está quem botou o jabuti em cima da árvore, resta saber se a sua capacidade de se "safar" das consequências do desastre que inventou será suficiente dessa vez.
0 Comentários