quinta-feira, 30 de abril de 2015

Que isso, gente, sindicatos de professores nem são usados pra fazer politicagem, eles querem apenas uma pátria educadora e mais amor, por favor


Não é a educação, estúpido

Curitiba ontem virou a Faixa de Gaza, assim como São Paulo já tinha virado, como o Rio de Janeiro virou, como qualquer cidade que não seja governada pelo PT vira sempre que algum sindicato resolve usar uma categoria como boi de piranha para sua politicagem rasteira.

Para se ter uma idéia de como eles nem disfarçam, só este ano greves de "professores" - e usarei aspas até o final deste texto porque não acho que essa gente tenha o que ensinar a ninguém - atingiram 10 estados, a saber: São Paulo, Santa Catarina, Pernambuco, Paraíba, Pará, Roraima, Paraná, Goiás, Alagoas, Amazonas e Distrito Federal. Em comum entre eles o fato do PT não ser governo em nenhum.

É verdade que alguns são governados por "aliados" da companheirada, mas quem conhece o PT só até a página 2 já sabe que para eles aliado ou adversário dá no mesmo, o PT só é fiel ao PT e a mais ninguém.

Adiante.

O caso do Paraná serve de exemplo para todos os que já aconteceram e que ainda acontecerão. Os manifestantes chegam com suas bandeiras vermelhas e palavras de ordem e logo se inicia uma confusão.

A sequência é: berram, fecham ruas, tentam invadir algum prédio público, incendeiam alguma coisa, jogam pedras, a polícia reage e o local vira uma praça de guerra. Não interessa o motivo ou a pauta, manifestação de ordinário de esquerda só vale se virar baderna. Depois, claro, reclamam da violência da polícia e se fazem de vítimas.

Pedem amor enquanto espalham o ódio, exigem respeito enquanto praticam o desrespeito, dizem querer a paz enquanto promovem a guerra, lutam pela educação transformando seus alunos e consequentemente a sociedade em uma manada de xucros repetidores de palavras de ordem.

Mas ainda assim é preciso deixar algo bem claro: quem faz ato de apoio ao Maduro - como eles fazem - não tem moral para falar em truculência policial. E muito menos quem usa greve como ferramenta para sequestrar parcelas da sociedade e favorecer os chefes do partido.

A razão no Paraná é um remanejamento de aposentados para um fundo de previdência estadual para sanar um déficit, mais ou menos como a Dilma quer dar uma pedalada no FGTS para cobrir seus rombos no BNDES. Onde está a gritaria dos sindicatos contra esse confisco? Porque é o PT está tudo bem? Sejamos honestos, o fato é que se fosse "governadora Gleisi Hoffmann" nada disso teria acontecido por lá, ainda que ela fizesse pior do que o Beto Richa, governador do PSDB.

Mas posso simplificar mais: quando a CUT transformar Belo Horizonte numa praça de guerra porque o Fernando Pimentel não paga nem o piso dos professores, passo a considerar essa pelegada menos pilantra intelectual do que considero.

Porque do contrário, parece que a fórmula para um governador evitar greves e baderna no seu estado é simples: não precisa pagar bem, em dia e muito menos ser competente, basta se filiar ao PT.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

A Venezuela já é aqui

Uma palavra recorrente na Venezuela expressa um medo de grande parte da população: cubanização. 

Lá quem não é ignorante de pai e mãe, recebedor de alguma boquinha do governo, pilantra irrecuperável ou um lunático completo, tem pavor de acordar um dia e perceber que passou 50 anos sequestrado do mundo por uma tirania como a que existe em Cuba e por isso faz oposição à ditadura chavista.

Na Venezuela não se tem como falar em venezuelização. Primeiro porque seria uma impossibilidade ontológica, depois porque ainda que a Venezuela não fosse a Venezuela, aquele país já estaria fatalmente venezuelizado, ainda que com outro nome.

Filas, escassez, inflação, censura, milícias armadas atirando nos cidadãos, opositores encarcerados, povo brutalizado, essa já é a realidade inexorável daquele pobre país.

Quer um exemplo do absurdo vivido atualmente na Venezuela? Uma eleição parlamentar este ano onde o governo certamente seria surrado foi adiada indefinidamente enquanto a justiça eleitoral aparelhada diminui e aumenta bancadas estaduais para que o governo mantenha sua maioria na assembléia nacional mesmo com menos votos.

Conclusão: eles se confortam fingindo que fogem da cubanização, mas já estão nela.

Já o Brasil pode falar tanto em cubanização quanto em venezuelização, ainda que a última é que seja de fato uma realidade cada vez mais palpável.

A inflação é a venezuelização. O magistério militante nas escolas é a venezuelização. O "exército do Stedile" fazendo o que bem entende sem enfrentar a justiça é a venezuelização. A pilhagem na Petrobras e demais estatais é a venezuelização.

Assim como 25 mil vagabundos em cargos comissionados, blogs sujos sustentados como dinheiro dos outros, militantes pagos em manifestações fajutas, tudo isso é a venezuelização acelerada e real.

Quer maior venezuelização do que Toffoli, Lewandowski, Zavaski, Barroso, praticamente militantes do PT no STF prestes a receber o reforço do tal Fachin, defendor da poligamia, da amante com os mesmos direitos da esposa e advogado do MST?

As mentiras, calúnias, boatos, uso desavergonhado da máquina pública e estelionato eleitoral praticados na última eleição são a expressão mais pura da venezuelização.

Esse ambiente político envenenado, medíocre, delinquente que cerca o PT é a venezuelização. Tanto que já deve ter país por aí preocupado com a sua própria brasileirização. E se ainda não tem, não demora.

Não se iluda: você já está na Venezuela. Sua luta agora é para sair de lá.

terça-feira, 28 de abril de 2015

O desespero na petelândia anda assim.


Pegue o resultado da Apple nos Estados Unidos, em dólares, junte com a substituição de computadores de mesa por iPads, adicione Globo e Petrobras na conversa, use isso para "provar" que tudo vai bem no Brasil do PT.
Como NÃO HÁ O QUE MOSTRAR que preste no Brasil administrado e pilhado pela companheirada, comecemos a comemorar dados aleatórios em outros países.
É o samba do blogueiro doido com banner da Caixa ou simplesmente "TUDO para agradar os chefes da seita", ainda que seja equivalente a elogiar o jantar da esposa dizendo que o carro do vizinho é lindo.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

O seu FGTS é deles

No meio de tantas notícias absurdas saídas das catacumbas do petismo como o petrolão e as revelações da Veja sobre o patrimônio imoral de Lula e sua família, algo passou meio batido: o ministro da fazenda sugeriu que recursos do FGTS sejam usados para cobrir o rombo que o PT fez no BNDES.

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um conjunto de recursos abastecidos por uma porcentagem do salário do empregado que o empregador deposita na Caixa Econômica Federal, ou seja, é um confisco que o governo faz com a desculpa de, entre outras coisas, "amparar os trabalhadores em algumas hipóteses de encerramento da relação de emprego".

O BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - é um banco que serve ao desenvolvimento econômico de compadres do governo. O "nacional" do seu nome até faria algum sentido caso os recursos deste banco não fossem usados largamente para promover os cupinchas bolivarianos do PT, como no caso de portos e aeroportos em Cuba, metrô na Venezuela, obras no Equador e estradas na Bolívia. Para o pagador de impostos nacional, sobra a conta, claro.

E para tirar o banco do vermelho - sabe como é, os companheiros empreiteiros custam caro - e continuar tendo poder de investimento em republiquetas cucarachas assombradas por tiranetes camaradas, o governo quer morder este suado dinheiro do FGTS.

Funciona assim: CONFISCAM seu salário todo mês, daí a Dilma e o PT QUEBRAM o país e agora vão pegar esse dinheiro que te tomam para continuar investindo em Angola ou em qualquer outro lugar que não te beneficie em nada e que certamente - se tiver sorte - jamais terá que pisar na vida.

Para você sobra uma conta de luz astronômica, aumento de impostos, taxas e serviços, inflação e 25 mil vagabundos em cargos comissionados para sustentar.

Agora a pergunta que realmente importa: depois de tungar o fundo de garantia para socorrer o BNDES e equilibrar suas contas, quem garante que o governo daqui a pouco também não vai meter a mão na sua poupança? Ou nos depósitos em conta corrente?

Dessa gente incapaz que é capaz de qualquer coisa não se pode duvidar de nada. É aí que mora o perigo.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

A caríssima corte das bananas



O mensalão já funcionava no mesmo esquema petrolão, ou seja, subtraindo dinheiro do pagador de impostos para comprar aliados e engordar a conta do partido e seus filiados.

E assim como o escândalo do mensalão não impediu que acontecesse o petrolão, o escândalo do petrolão não impede o que acontece em fundos de pensão, bancos estatais e outras empresas sob controle do Estado.

O PT só é um partido de ação quando esta é deletéria ao interesse do país, para o resto todo é apenas um partido de propaganda. Mentiram na campanha eleitoral de 2014, mentiram durante os 12 anos anteriores de governo e agora tentam enganar o público outra vez anunciando que não aceitarão mais doações privadas.

De que isso adiante se o caixa dois pode continuar e principalmente se Dilma não tivesse aumentado os repasses do fundo partidário favorecendo o PT, partido que mais vai receber recursos? A suposta presidenta triplicou esse valor, o que, na prática, obriga VOCÊ a pagar o prejuízo do PT com a paralisação da roubalheira na Petrobras.

Mas não adianta dizer isso para quem segue o partido como uma seita e muito menos para quem ganha muito bem para fingir que segue. Recente levantamento feito pelo ministério do planejamento a pedido do deputado federal José Antônio Reguffe revelou que o governo do PT emprega nada menos do que 23.579 pessoas em cargos comissionados, um verdadeiro exército de militantes que tem como único compromisso trabalhar para o partido e assim manter suas boquinhas.

Para se ter uma comparação, o Chile emprega 600 pessoas e a Inglaterra, 300. Horrorizado, resolvi divulgar isso num grupo de notícias do qual participo, para quê?

Apareceu logo um petista - desses que dizem que não são, mas que inclusive trabalham para algo bem parecido com um aparelho do partido - insinuando que a Inglaterra é pior porque tem uma rainha.

Vejamos: mesmo com uma monarquia ainda ativa, o país continua empregando somente 300 pessoas em cargos comissionados contra 23.579 do Brasil. Além disso, o fato de ser uma República não impede o Brasil de possuir um arremedo de família real e sua corte.

Quem é o fazedor de "presidentas"? O "homi que quando fala o povo abaxa azorelha"? Filhos bem de vida, festas nababescas para netos, jatinhos, coberturas, rios de dinheiro sendo sugados direto do pagador de impostos para custear eventos, convescotes, rega-bofes, pecúlios.

Convenhamos, não sei quando custa por ano a corte da rainha Elizabeth, mas que custe até a mesma coisa - o que duvido muito - pelo menos não colocam o paço em cima de uma laje e dançam na boquinha da garrafa como essa nossa corte de galinheiro.

Já é um ganho, nem que seja apenas estético.

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

(Clique na imagem para ampliá-la)


Outubro de 2014: Vai chorar na Cantareira, tucanada, porque aqui tá sobrando água. É Dilmãe! 13eijos! 

Fevereiro de 2015: Ih, cacete, brinks, vem chorar aqui, tucano gente boa, o açude tá secando!

terça-feira, 21 de abril de 2015

Quantos negros, hein?


Nova pergunta da turma do DCE: e os professores negros? Cadê?

Depois dos alunos "me dá cota" chegarem na graduação e começarem a exigir cota no mestrado "me dá cota" e doutorado "me dá cota", finalmente chegaremos nos professores "me dá cota".

Completa-se assim um ciclo: para pagar a dívida histórica - que como todo mundo sabe é algo mais leonino do que dever dinheiro na Fininvest - basta você dizer que pode ser que tenha tido um antepassado que foi escravizado pela classe média branca cis opressora - ainda que você seja negro descendente de negros belgas que chegaram no Brasil em 1965 - que sua carreira acadêmica ganha um cheat (macete) automático que te ajuda a pular várias fases e ainda garante 20% a mais de munição do que seu adversário no PvP (jogador contra jogador).

Além do que só um negro pode entender toda a opressão sentida pelos negros e assim "humanizar" esses filhotes de leitores da Veja em sala de aula.

Assim como só um japonês pode falar de Hiroshima, só um israelense pode falar sobre o Holocausto, só um polonês pode ensinar a vida de São João Paulo II e só um verdadeiro jedi pode escrever histórias sobre a luta entre o lado negro e o lado iluminado da força, ainda que eu sinta um cheiro de racismo nessa história dicotômica que relega o "lado negro" às forças do mal, reproduz opressões e talvez precise de uma censura, quer dizer, de um controle social.

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"

(Clique na imagem para ampliá-la)


Nesse tempo de humanizar redes - outro nome que o PT deu para criminalizar opiniões que não são agradáveis ao partido - é sempre bom estar atento ao "discurso de ódio", à intolerância, à incitação ao preconceito, porque convenhamos, não achar que mensaleiro é "herói do povo brasileiro", não chamar traveco espancador de idosas e arrancador de orelhas de "mulher trans vítima de homofobia", não relativizar tudo que é tipo de absurdo feito pela esquerda, não ajoelhar para o Lula, não fazer parte de nenhuma tropa de choque do PT, entre outros, é coisa de criminoso que precisa ser levado até as barras dos tribunais e punido exemplarmente.

Enquanto isso vamos amando mais, por favor, e desejando que essa reaçada asquerosa morra (de preferência num gulag).

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"



Umx listx de nomes neutrxs para xs seuas filhxs pedirem ajudx prx professxr comunistx dx escolx pra decidir se gostam de meninx ou meninx.


Afinal é tudo construção social.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

A UERJ e a ditadura companheira

Um ato na UERJ em defesa da ditadura de Nicolas Maduro em si não me espanta, afinal estudantes profissionais e doutores em nada precisam mesmo ocupar seu dia com alguma coisa, qualquer coisa.

Claro que houve confusão, claro que houve gritos de "fascista", claro que não houve nenhum debate como jamais haverá num auditório lotado de idiotas úteis e espertos inúteis, essa é a essência da esquerda. Sem berraria e sem suprimir a fala do outro, seus argumentos não chegam ao final de uma apresentação de grupo na quinta série sem a ridicularização total.

Dito isto, preciso repetir: o que dizem na UERJ ou em qualquer outro madraçal federal é indiferente. Pouca coisa que saia dali presta mesmo e o pentelho do saco de um rato deve ser tão relevante pra Venezuela quanto o apoio da UERJ ao Maduro.

O problema é usarem o meu dinheiro para isso. O problema é que esse circo é sustentado com impostos que o Estado toma do cidadão supostamente para aplicar em algo que preste e termina parando no bolso deste tipo de coisa imprestável.

E pior: a maioria dessa turma que infesta federais faz literalmente o diabo para conseguir uma vaguinha de professor, pesquisador, bolsista. Quando podem usam toda a influência, conhecimentos e o compadrio possíveis para passar nos concursos e dar pedaladas nos outros concorrentes nas obscuras provas didáticas (as provas de aula) e no final - depois que entram - ainda acham que ganham pouco, porque vivem fazendo greves e reclamando do salário, das verbas, das condições.

Imagina! Pagar mais por isso! Dar valor ao que não vale nada? Não, obrigado. Preferia que o meu dinheiro fosse gasto alimentando pombos e não o produto da alimentação destes.

STF do PT Advogados Associados

O PT quer transformar ministros do Supremo em advogados do partido.
E o ministro da justiça em advogado do partido. E o advogado geral da União em advogado do partido. E todo e qualquer ministro de Estado em advogado do partido. Fora a CGU e o TCU.
Diretores de estatais e funcionários de cargos comissionados em advogados do partido.
Quer também que artistas que mamam na Lei Rouanet, cantores que abusam dos incentivos fiscais e shows de inauguração, fora doutores em coisa nenhuma sejam todos advogados do partido.
Estudantes profissionais da UNE? Advogados do partido. Pelegos da CUT e agitadores do MST? Advogados do partido.
A imprensa que leva bordoada do PT dia e noite e ainda assim se ajoelha para a seita? Advogada do partido. Assim como blogueiros a soldo, tuiteiros fantasmas, críticos de cinema, palhaços de circo, comediantes sem graça, apresentadores de talk shows que ninguém mais assiste, economistas que não sabem somar dois mais dois, historiadores que inventam histórias, filósofos de botequim, escravos cubanos, miseráveis haitianos, pintores de ciclovia, madames desgovernadas com complexo de culpa, tem de tudo: todos advogados do partido.
Isso sem contar a OAB, que virou OAB-PT e a CNBB, que na impossibilidade de absolver todos os pecados da seita, resolveu também agir como advogada do partido. Sindicatos, ONGs, movimentos sociais, advogados do partido.
Mas talvez, quem sabe somente talvez, se o PT não fizesse questão de agir de forma que seus políticos virassem investigados, réus e presidiários, não precisasse de tantos advogados?
O bolso de quem paga a banca da vergonha agradeceria.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"



- O companheiro cometeu algum crime?

- Não me importa, desde que não confesse ou não haja provas contra ele a inocência é relativa.

Paulo Henrique Amorim : um colosso moral.

Festa estranha com gente esquisita (e pilantra)


Um termo interessante, porém meio equivocado, é o tal "esquerda festiva". Claro que sei que se refere à gritaria característica dos esquerdistas,à sua preferência por "parecer ser" do que ser de fato, mas é equivocado pois a esquerda não é uma festa, a esquerda é um acidente, uma intercorrência.

Um automóvel andando numa velocidade baixa não consegue tumultuar uma cidade inteira, mas um simples automóvel quebrado pode, sozinho, engarrafar a Marginal Tietê ou a Avenida Brasil e infernizar a vida de milhares. Isso é a esquerda: um automóvel parado atrapalhando a vida de todos os demais.

Como vive de mitos - de Marx a Che Guevara, todos ídolos com pés de barro - criou-se o mito de que a esquerda representa as massas. Se já foi assim um dia - e tenho sérias dúvidas - certamente hoje não é mais.

O PT, maior partido de esquerda do país, vai pouco a pouco retornando para o seu gueto original, sendo abandonado por aquele eleitorado cooptado por uma ética de conveniência e que se deu conta de que carros a prestação e televisores LCD podem custar mais do que seu preço de etiqueta. No final dão prejuízo.

Daí a preferirem se aliar sempre aos tais "movimentos sociais" e a chamada "sociedade civil", que nada mais é do que gente que tem por profissão ser "sociedade civil" e dizer exatamente o que a liderança quer.

Nada representa mais a "força" popular da esquerda do que 200 vagabundos do MST depredando uma fazenda, 100 pelegos da CUT queimando pneus, 50 estudantes profissionais da UNE fechando a porta de alguma universidade ou 25 black blocs vagando pela cidade de madrugada quebrando agências bancárias e entrando em conflito com a polícia. Tudo filmado pela "mídia ninja", claro.

Como carecem de povo, fazem espetáculo para sair no noticiário. Sua real importância é mais ou menos a mesma que a fumaça de pneus e colchões incendiados, que pode ser vista de longe, mas não passa de fumaça. Sequestram as cidades e suas vias assim como sequestram a "sociedade" nos debates em Brasília: pelo barulho, pela violência, pela truculência, pelo excesso de tempo para se dedicar a isso e principalmente porque é a única forma de impor sua vontade.

A maioria calada, acossada, saqueada por essa gente só conta na hora de chegar junto com a grana para pagar a festa.

É o povo de verdade, aquele que faz protesto num domingo. Que coloca 2 milhões na rua num mês e 800 mil no outro, só para ser chamado de "chacota" ou "fracassado" por quem não consegue juntar mais de algumas centenas mesmo oferecendo transporte, dinheiro e refeição.

O PT e o resto da esquerda sabem que seu tempo acabou. O quanto durar o mandato de Dilma Rousseff é o que resta para solaparem o quanto puderem a democracia, aparelharem instituições, achincalharem com a justiça e tentarem venezuelizar o que der.

Suas propostas como controle da mídia, voto em lista, financiamento público de campanha, censura na internet, essas indicações sorumbáticas para o STF, isso é a esquerda já fazendo o que sabe de melhor: terra arrasada, para quem vier depois encontrar um terreno minado.

A maioria deve estar ciente disso e deve exercer sua pressão legítima para que esse pesadelo acabe o quanto antes. Porque a festa da esquerda festiva é o pesadelo do resto do país que presta.

terça-feira, 14 de abril de 2015

"Procuro colega de apartamento, mas tem que ser mulher ou gay, hétero, não"



Antes de mais nada que fique bem claro: a pessoa tem direito de só querer gente que pratique zoofilia com tamanduás dentro da sua casa, isso não está em questão aqui. Sou contra essa invasão da nossa intimidade, da nossa subjetividade, da nossa consciência para nos OBRIGAR a gostar de alguém.

Vivo dizendo isso, mas não custa repetir: qualquer um tem todo o direito de não gostar de brancos, pretos, gays, héteros, reacionários, libertários, etc., você não tem é o direito de constranger essa pessoa e nem de atentar contra seus direitos constitucionais, mas tem todo o direito de não gostar dela e de não a querer dentro da sua casa ou no seu círculo de amizades.

Se terminar virando um ermitão que não tem amigos ou pessoas próximas será problema e direito seu.

Mas vamos em frente.

Pelo texto nota-se que é uma dessas representantes da turma-do-bem-mais-amor-por-favor-legalize-tudo-menos-a-opinião-que-eu-não-gosto. E essa pessoa pratica, sim, preconceito contra homens héteros. Direito dela não querer um sujeito que possa assediá-la (ou ela sentir vontade de assediá-lo) entre outros problemas mais ou menos comuns ao estereótipo de homens héteros como toalha molhada na cama, assistir futebol no sofá e deixar latas de cerveja pelo chão, mas imagine um anúncio semelhante só que com esse texto (erros de português e uso de internetês preservados):

"Galera, em breve eu terei um quarto pra alugar aqui no meu apê. Quarto individual, em Vila Isabel, 10 minutos a pé da UERJ, comercio bacana, onibus pra todos os lugares. Internet, faxineira, dois gatos doceis, legalize em termos, só moro eu, entao tudo será negociado e combinado. O ideal seria alguem com uma rotina parecida com a minha de trabalho + estudos para nao dar conflito. Meninas gostosas only (ou caras héteros que curtam um futebol e uma cerveja) Veados nao, sorry. Inbox-me bjs".

Quanto tempo até que os coletivos, levantes, ONGs, associações, a OAB, o Ministério Público e, claro, o Jean Wyllys crucificassem a pessoa como exemplo da idade média que ainda existe e resiste entre nós?

Mas deixa pra lá, eles podem tudo.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

O veado sagrado


As cabidadas da "presidenta" e os mitos do PT

Na foto a presidenta dando um cabidouken em alguma empregada


A existência do PT é toda baseada em mitos e mentiras. A começar pelo nome de um partido coalhado de auto-denominados intelectuais e artistas que gostam de tudo, menos de trabalhar.
Seu líder máximo é um operário que não pisa num chão de fábrica há uns 30 anos, seu braço armado é formado por "sem terras" que conhecem tanto uma enxada quanto o Lula os corredores de uma biblioteca, seu braço estudantil é formado por gente em torno dos 30 anos, que passou os últimos 10 perambulando por universidades sem se formar e que se apresentam como representantes da "juventude".
Acha pouco? Seus "guerreiros do povo brasileiro" são bandidos condenados por assaltar o país, e a Petrobras - empresa que eles tratavam como donzela a ser protegida dos privateiros da oposição - não só foi encoxada, como estuprada pelo partido e deixada ao relento num posto de gasolina de beira de estrada.
A luta por um país melhor virou a luta por uma conta bancária maior. A bandeira da ética virou um pano de chão para limpar as sujeiras da companheirada. O slogan "um país de todos" na realidade escondia o país da ação entre amigos. E o que dizer de "país rico é sem pobreza"? Ricos ficaram os que cobraram porcentagem de propina, enquanto a pobreza assola toda cidade média ou grande.
Pátria educadora? Ensinando o quê? A mentira? A calúnia? A difamação? Todas armas para "fazer o diabo" e garantir mais quatro anos de poder?
E agora, vejam vocês, até as mentiras mais surreais viram verdades nessa degeneração total que é o lulopetismo. O jornalista Ricardo Noblat relatou em sua coluna no Globo uma surra de cabide que Dilma Rousseff deu numa empregada do palácio.
Seu silêncio teria sido comprado com uma unidade do Minha Casa, Minha Vida e um emprego novo, mas o fato não se apaga: a presidente do partido que jura defender os pobres aplica castigos corporais na criadagem.
A empregada usa o mesmo perfume da patroa, mas se essa patroa for Dilma, leva também umas cabidadas.
E aí está mais um dos muitos mitos do PT: quem era mesmo o candidato que batia em mulher?
Resta saber quantas mentiras mais o tempo vai revelar e, principalmente, se o país vai aprender a lição.

Ainda vai piorar antes de melhorar. Mas vai melhorar



sábado, 11 de abril de 2015

A verdade não demorou a aparecer: o governo não pretende "humanizar" a tropa de choque do PT


- Humanize a sua boca!
- Humaniza você a sua!
- Vou aí te dar uma humanizada na cara!
Viram como serve pra tudo? O site pago com seu dinheiro só servirá para te perseguir. Pra não assumirem que pretendem criminalizar opinião dizem que vão "humanizar comportamentos".
MENOS humanizar os robôs e militantes a soldo do MAV-PT que espalham esgoto pela internet, claro. Isso nem que a vaca tussa.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Chegou a hora de caírem as máscaras


Hoje uma nova fase da Operação Lava-Jato prendeu três ex-deputados - dentre eles o famigerado petista André Vargas - além do dono de uma agência de publicidade que tinha as contas da Caixa Econômica Federal, do Ministério da Saúde, do BNDES e da Petrobras Distribuidora.

Diretorias de marketing de estatais têm sido entregues na mão de companheiros desde o governo Lula e agora, ao que parece, foi descoberta a forma que o PT usava para levar esse dinheiro para os cofres do partido: através de contas de publicitários aqui e no exterior.


Porém mais do que identificar outra fonte da sangria dos cofres públicos e levar para a cadeia outros membros da quadrilha instalada na máquina estatal para pilhar o país, esta fase da devassa que o juiz Sérgio Moro faz nas catacumbas do petismo joga luz de uma vez sobre o esquema que sustenta ex-jornalistas transformados em mercenários na internet e veículos impressos de menor expressão.

Basta percorrer os sites que fazem sub-jornalismo, sites que se especializaram em ser louvaminheiros do lulopetismo, advogados dos ladrões do partido, disseminadores de versões, difamadores de adversários e defensores de toda e qualquer excrescência defendida e praticada pela companheirada para ver de onde sai o dinheiro que sustenta aquilo: do seu bolso.

Banners de estatais e ministérios são praticamente a única fonte de renda dessa turma, entusiasmada defensora do "controle da mídia" e do corte de verbas de publicidade para veículos da imprensa que critiquem o governo de Dilma Rousseff e do PT.

Com a cara de pau que só um parasita que se acha independente do hospedeiro pode ter, defendem que o governo pratique chantagem contra quem o critica, usando o dinheiro do pagador de impostos para promover uma censura econômica.

Tratam a verba de comunicação do governo como se fosse o dinheiro arrecadado num churrasco da CUT em alguma laje no ABC.

Precisam descobrir que o destino de quem faz isso é o ostracismo. Ou então um beliche de concreto dentro de um presídio.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Quem fabrica o ódio e desumaniza adversários não tem moral para humanizar nada


Preste bem atenção nessa sequência de fatos: o PT difamou e atacou Marina Silva, chegou a levar a então candidata do PSB às lágrimas, no que Dilma (que no segundo turno virou uma donzela indefesa) comentou "para ser presidente não pode ser frágil" ou algo assim. A máquina trituradora comandada por João Santana reduziu a pó as intenções de voto da ex-senadora..
Quando o embate foi Dilma x Aécio, a sujeirada recomeçou. Nas redes sociais se lia de tudo: cheirador, espancador de mulheres, etc. Visivelmente alterado Lula o chamou de "playboy cafajeste" e a propaganda petista fez literalmente o diabo, só não chamou o Aécio de bonito.
Quando o PSDB resolveu - tardia e covardemente - responder aos ataques, o petista enxertado no STF e no TSE, Dias Toffoli, resolveu que era hora de "acabar com a baixaria" e proibiu ataques de lado a lado.
Longe de demonstrar isenção, ficou claro o seguinte: o TSE permitiu que o PT batesse a vontade e quando o partido começou a apanhar, proibiu todo mundo de bater. O estrago estava feito e a campanha mais suja da história foi premiada com uma vitória ilegítima, que deu mais quatro anos ao governo mais incompetente da história da República.
Agora veja o que acontece na internet. Há muito tempo um monstrengo pago com dinheiro dos outros chamado "Militância em Ambientes Virtuais" aliada a blogueiros sujos, perfis apócrifos e militantes a soldo transforma as redes sociais em terra de ninguém.
Montagens toscas, calúnias, difamações, mentiras, ofensas das mais cabeludas, como quando o ministro Joaquim Barbosa foi comparado a um macaco pelo "Blog da Dilma".
Artistas atrás de verbas, parasitas em cargos comissionados, ex-jornalistas sexagenários convertidos em mercenários, tinha e tem de tudo. Conseguiam distorcer e confundir qualquer história, como a agressão a José Serra ocorrida no Rio de Janeiro na campanha de 2010 transformada em "bolinha de papel", insinuações das mais diversas sobre as famílias de adversários, etc.
Batiam sozinhos, até que os cidadãos desaparelhados encheram o saco e resolveram revidar. Páginas foram criadas, perfis, blogs, gente de todas as matizes se uniu para combater o exército do esgoto petista.
No início a luta era inglória mas pouco a pouco o jogo foi virando e hoje sob qualquer parâmetro que se analise o PT leva uma coça atrás da outra nas redes sociais.
Então o que o governo Dilma resolve fazer? Primeiro usar dinheiro público para contratar gente para "monitorar" as redes sociais a procura de "discursos de ódio" - leia-se: críticas ao PT - e agora surge com um tal "Humaniza Redes" que nada mais é do que uma polícia política paga com o dinheiro do cidadão para censurar o próprio cidadão.
O PT adora um discurso de ódio, um nós contra eles, adora ofender, acusar, difamar, mas quando vem a reação, resolvem pregar uma paz que não praticam.
Dona Dilma quer "humanizar a rede"? Sugiro que comece pela turma que o seu partido mantém para agir como milícia virtual sempre que alguma mentira precisa ser repetida até se confundir com a verdade. Comece humanizando os robôs pagos pelo PT que o Thomas Traumann citou no seu relatório vazado. Retire o patrocínio de gente que vive de sugar a própria irrelevância remunerada.
Até lá nem Dilma nem o PT têm moral alguma para falar em humanizar ou moralizar nada.

terça-feira, 7 de abril de 2015

A imagem diz tudo


"Cuba mostra mudanças na sua economia" e para ilustrar colocam a foto de um calhambeque 1950 caindo aos pedaços.

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


"Troco a minha liberdade por igualdade" é o tipo de frase que resume perfeitamente não só o idiota útil da esquerda, mas também o que o eterno aspirante a comissário pensa: trocar a liberdade - dos outros, que fique bem claro - por uma igualdade que não existe e nem jamais existirá, porque seres humanos não são iguais.
Tentar transformar um ser tão único, um grupo de indivíduos tão diferentes numa colônia de cupins ou formigas é a essência do coletivismo, algo só defendido estupidamente por amebas e malandramente por carrapatos.
A única diferença é que essa vítima aí teve um ataque de sincericídio. Geralmente eles falam é em "mundo melhor" mesmo.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Jesus era barbudo, mas não era revolucionário


Me enviaram um lixo pelo email, uma mensagem de alguém comparando a vida de Cristo com o que acontece em "becos e favelas" do Rio de Janeiro.

Dentre os detritos mentais, havia coisas como "Jesus foi morto por quem achava que bandido bom é bandido morto" ou "Jesus foi morto porque era um jovem subversivo, revolucionário, que queria mudar o mundo".

Não aguento essa gente que geralmente detesta o cristianismo e os cristãos, mas curiosamente usa Jesus para confundir a cabeça dos outros (isso quando a deles mesmos não está confusa) e, no fim desse milk-shake cerebral, dizer mais ou menos que Jesus hoje seria "de esquerda".

Toda essa pachorra iria por terra simplesmente fazendo a seguinte pergunta: Stalin, Ceausescu, Pol Pot, Guevara, Fidel, Raul Castro, terroristas de grupos de esquerda variados, Chávez, Lula, Dilma e aquela geração de golpistas que desejavam transformar o Brasil numa ditadura do proletariado, os lunáticos da Coréia do Norte, fora o resto, algum deles pode ser - ainda que de longe - dito "cristão" ou comparado ao que foi a vida e o exemplo de Jesus Cristo?

Jesus não dizia "tome o que é dos outros dizendo que é para os pobres e viva como um nababo", Jesus não dizia "controle a informação para que as pessoas só saibam o que for interessante a mim", e certamente Jesus jamais diria "detenha vidas que possam proibir a vida", como o "patrono da educação brasileira" disse, enfim, Jesus não tem absolutamente nada a ver com essa escumalha que subtrai recursos e liberdades e que confunde a defesa de "direitos humanos" com uma leniência estúpida que se baseia em nada além de culpa.

O Papa Bento XVI, certamente um dos maiores teólogos da história, esclareceu bem o mito do "Jesus revolucionário" em seu livro "Jesus de Nazaré, da Entrada em Jerusalém até a Ressurreição", onde ele diz que "Jesus não vem ao mundo como um destruidor, não vem empunhando a espada de um revolucionário", mas sim "com o dom da cura" para revelar "o poder do amor".

E o amor de Cristo não tem nada a ver com colar cartazes escritos "mais amor, por favor" nos muros enquanto se odeia quem pensa diferente. É um amor que só um cristão pode reconhecer e que um não cristão dificilmente irá entender.

Finalmente, Jesus não venderia drogas nos morros, Jesus não seria um policial corrupto, Jesus não usaria crianças para cometer crimes e assim burlar a maioridade penal, Jesus não financiaria black blocs, Jesus não tentaria destruir a família porque ela é a base da "sociedade burguesa romana", Jesus não se empregaria numa estatal e defenderia até bandidos se precisasse para viver ali como um parasita.

Jesus deu a Sua vida para que todos tenham vida. Jesus, filho de Deus, Aquele que supera toda a dor e sofrimento, que tira os pecados do mundo, que nos dá a Paz, que é o Caminho e a Salvação, não tem nada a ver com o que acontece hoje no Brasil.

Pelo contrário, é por andar tão esquecido por estas bandas que tudo o que vemos hoje acontece.

Humans of Federais

(Clique na imagem para ampliá-la)

Universidades federais são jardins de infância onde várias pessoas acometidas pelo esquerdismo passam o tempo fazendo birra por causa de alguma coisa, qualquer coisa.

Veja o caso de uma federal do Rio de Janeiro que não tinha bandejão. Pesquisando na internet mesmo, consegui achar uma menção à luta pelo bandejão datada de 2005. De lá para cá campanhas de eleição do DCE, atos, protestos, ocupações, intervenções, manifestos, o escambau foi feito com o único intuito da universidade construir e abrir um bandejão.


Os alunos ali eram humilhados, maltratados, torturados, vilipendiados pela falta de um bandejão. Correto, ninguém estuda de barriga vazia e uma federal custa demais para o pagador de impostos para ser usada somente como clube de chá de mestres e doutores e agência de viagens 0800 para eternos conferencistas e auto-recicladores em nada. É mais ou menos aceitável então (tinha é que privatizar) manter um restaurante com comida honesta e preços justos.

E depois de anos a tal universidade construiu e inaugurou o bandejão. Pronto, resolvido o problema, né? Agora os alunos poderiam dirigir todo o seu furor contestatório para outros assuntos, como professores em sala dando conteúdo decente, por exemplo. Nada!

Logo após a inauguração o tão sonhado bandejão já era praticamente um lixo (na opinião dos alunos, claro). Só tem refresco? Não pode repetir? Esse cardápio não é variado. E a opção vegana? O quê? Tem que pagar? Tinha que ser é de graça. E o camarão?

Universidade pública é um treco que ficou tão zuado e carcomido pelo esquerdismo que só fechando tudo e começando do zero pra dar jeito.

Enquanto isso alguém podia criar uma página "Humans of Federais", porque material humano não falta.

domingo, 5 de abril de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"



"Baixa energia" mesmo é chamar a Dilma de "presidenta".
Agora, é comovente o desespero da esquerdalha ao notar que não falam mais sozinhos, que não intimidam mais ninguém com seu discurso de falso bonzinho autoritário, que agora as pessoas se manifestam, opinam e são contrárias ao que eles pensam.
Imagina você que absurdo! Pensar de forma independente, não fazer parte de clubinho, não repetir que nem papagaio as idiotices que um Gregório Duvivier ou Jean Wyllys.
Esse aí não deve achar que defender mensaleiro ou ladrão do petrolão, pedir censura da imprensa ou uma reforma política para eternizar o PT no poder é "baixa energia".
Já disse: tinham que pegar um pedaço grande do território e doar para essa gente fundar um país só deles. Iriam se "isolar" dos retrógrados, dos "atrasados" e "ignorantes" e só voltariam na hora de sugar um pouco mais do dinheiro dos outros.
Bom, falta, pelo menos pra mim, não fariam.

O patrono da educação brasileira

Método Paulo Freire: o coelhinho é um oprimido distribuindo ovos por uma imposição judaico-cristã. Vamos trocar por um jumento dando jerimum.

Feliz Páscoa!


E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus. Fl 4:7
Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. Prv Pr 4:23
Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Mc 8:36
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o Amor. 1Co 13-13
Jesus ressuscitou e vive entre nós como Vida, Paz, Fé, Esperança e Amor, um amor maior do que tudo.
Feliz Páscoa a todos nós!

sábado, 4 de abril de 2015

Boa Semana Santa!

Rapidinho, gente: come peixe quem é cristão, não precisa sair por aí dizendo que comeu carne na Sexta-Feira Santa bancando "oh, malvadão" como como se fosse passar numa sinagoga se vangloriando de uma fimose.
Menos. E boa Semana Santa!

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Antes de pedir o CNPJ do Revoltados Online, o PT deveria usar um dos seus advogados de mensaleiro para fazer o registro do MST

(Clique na imagem para vê-la ampliada)

O PT é um partido cretino, e suas campanhas eleitorais de baixíssimo nível são a prova disso. Os petistas têm por hábito assassinar as reputações de quem ousa se opor aos seus planos de hegemonia e pilhagem do Estado.
Foi assim com José Serra e sua família, com Marina Silva e sua família, com Aécio Neves e sua família. Foi assim com Rachel Sheherazade, com Jair Bolsonaro, enfim, quem não é companheiro ou não se alia à companheirada é passado pela máquina propagandística de triturar pessoas a serviço do partido.
Redes sociais são terra de ninguém. Blogs sujos com patrocínio de estatais espalham as maiores canalhices impunemente e o próprio partido através dos seus perfis se comporta mais como uma página de humor de gosto duvidoso do que de uma agremiação política séria (também, pudera, o PT não é sério).
E uma das mais recentes peças de humor involuntário do partido foi postar em seu perfil do Facebook um questionamento sobre Marcello Reis, líder do grupo Revoltados Online, não possuir CNPJ e mesmo assim vender camisetas para simpatizantes do seu movimento.
Vejamos: compra a camisa dos Revoltados quem quer e para isso usa seu próprio dinheiro, o Marcello Reis não fica por aí fechando avenidas e incendiando pneus para achacar essas pessoas e assim tomar-lhes numerário.
Quem faz isso, por exemplo, é o MST. Fecha estradas, depreda patrimônio, invade e turba propriedades e ainda por cima recebe dinheiro público, tomado do pagador de impostos, através do governo de seus comparsas do PT.
Uma última curiosidade: mesmo recebendo dinheiro dos outros, que não fazem a livre escolha de sustentar o "exército do Stedile", o MST também não possui CNPJ. É uma entidade pirata, um braço armado do lulopetismo para ser usado como milícia quando é preciso "botar fogo nas ruas"..
O MST portanto não é problema agrário ou social, é problema da falta de uma lei anti-terrorismo no Brasil e da impunidade fiscal que reina para quem está "do lado certo".
Cadê o CNPJ do MST, PT? Deve estar no mesmo lugar que o atestado de bons antecedentes do José Dirceu.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

O patrono dos reeducandos brasileiros


Um termo que usam no Brasil para chamar "presidiário" é "reeducando".
Isso é curioso, porque sabendo que Paulo Freire chamava "aluno" de "educando", podemos supor que o método formador de analfabetos funcionais e idiotas úteis também é excelente para abastecer presídios, já que o "reeducando" provavelmente é uma das vítimas do "patrono da educação brasileira".
Quem sabe se na escola ao invés de "revoluções" e "opressões" estivessem ensinado história, português, física, química, matemática, geometria, literatura, redação, etc., como todo aluno merece, o "educando" não terminasse virando um "reeducando".
Mas agora vou parar com esse reacionarismo, vamos afastar as mesas e formar um círculo. Sobre o que a turma gostaria de dialogar?
P.S.: Como bem lembrado pela excelente resenha de Marcelo Centenaro para o site Reaçonaria, Paulo Freire foi capaz de cometer frases como: “a revolução é biófila, é criadora de vida, ainda que, para criá-la, seja obrigada a deter vidas que proíbem a vida". Como podem notar, o canalha fazia eufemismos para dizer que "reacionários" devem ser mortos. Definitivamente não há patrono melhor para os "reeducandos" do Brasil.

República Petista-Psolenta da Zona Sul


A esquerda no Brasil é uma minoria. Ponto. Idéias coletivistas, luta de classes transportada para os costumes, doutrinação nas escolas, tudo isso é repudiado pela maioria cada vez menos silenciosa.
A esquerda do país é formada por partidecos com pouco voto e muito grito como PC do B e PSOL e pelo PT que resolveu comprar os votos que nunca teve.
O fato é que tirando o barulho que fazem, sua representatividade na sociedade é pífia, daí a utilizarem artifícios como "movimentos sociais", sindicatos e ONGs, gente que vive para a militância e tem tempo de sobra - porque ganha pra isso - para impor a vontade dessa minoria e fazer crer ao resto que se trata de um "consenso" ou, no máximo, de um "país dividido" entre os progressistas e os "fundamentalistas retrógrados".
Mentira. O que aconteceu é que a minoria esquerdista nas artes, na imprensa e na academia passou 30 anos falando sozinha e confundindo o silêncio de cansaço da maioria com anuência.
Mas esse tempo passou e lentamente as pessoas vão dizendo "chega". E eles estão desconsolados por isso. Daí que pensei numa boa solução.
Como não são chegados em roça, mas numa prainha com choppinho no final da tarde, poderíamos pegar uma faixa de terra na Zona Sul do Rio de Janeiro e doar para que a esquerda PSOL fundasse ali um país independente. Eles chamariam seus amigos da nave-mãe (o PT) e seus parceiros do PC do B e governariam aquilo como sonham em fazer com o Brasil.
Propriedade somente com função social e uma reforma agrária no Jardim Botânico para acomodar o exército do Stédile. A Regina Casé seria ministra das favelas, a Maria do Rosário da justiça e a presidência exercida de forma rotativa pelo Marcelo Freixo, o Gregório Duvivier e o Chico Buarque.
Cortariam relações com qualquer país capitalista-burguês-imperialista e tornariam Cuba parceiro preferencial. Liberariam logo maconha, cocaína e crack, a maioridade penal seria de 90 anos e todo bandido ao invés de cadeia ganharia um chocolate Alpino e um abraço.
Qualquer religião seria banida (menos as que fazem sacrifício de animais), todo poder emanaria do "coletivo" e a Luciana Genro seria garota propaganda de shampoo. Sovacos cabeludos e tetas caídas desfilariam sem problema no calçadão.
Nas quintas-feiras haveria passeatas fechando as ruas, cada semana de um grupo diferente, com muitas bandeiras vermelhas, reivindicações lunáticas, palavras de ordem e bebedeira no final. Toda sexta-feira teria um happy hour na orla com direito a passeata gay.
O Jean Wyllys seria o ministro da tolerância e você seria livre para concordar com ele de todas as maneiras que quisesse. A mídia seria controlada e o ministro da informação Paulo Henrique Amorim pessoalmente daria as notícias do mundo pelo sistema de alto-falantes.
Todos só andariam de bicicleta e as coberturas da Vieira Souto seriam transformadas em lajes para churrascões com pagode e funk, sob patrocínio da ministra da cultura Valesca Popozuda.
Mais ou menos um ano depois eles talvez pedissem reintegração ao Brasil, faltaria comida, papel higiênico e até itens mais básicos como velas e fósforos para acender um baseado, isso porque o país teria que importar literalmente tudo e não haveria mais dinheiro, já que as contas expropriadas das agências bancárias da região estariam zeradas depois de patrocinar o centésimo décimo nono filme sobre pobreza alegórica com trilha sonora do Marcelo Camelo e 20 espectadores de bilheteria.
Como militância remunerada, filosofia de boteco e papo furado não são commodities, o país encerraria atividades e voltaria aos braços dos "fundamentalistas", que são das trevas e da idade média, mas produzem uma riqueza bacana e deliciosa de sugar.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

O esquerdista chocado


Não sei se você aí já se deparou com o esquerdista chocado, mas é um tipo bem interessante. O esquerdista chocado anda chocado, claro, mas também horrorizado com os "rumos que o Brasil anda tomando".
O esquerdista chocado não entende como alguém tem a coragem de exibir uma faixa dizendo "basta de Paulo Freire", como se a fábrica de analfabetos funcionais e idiotas úteis que é o ensino brasileiro já não fosse motivo suficiente.
Ele também se diz triste com as "trevas" e o "fundamentalismo" que tomaram conta do Congresso. Para o esquerdista chocado uma aberração como a existência de um Partido COMUNISTA do Brasil não representa "trevas" ou ainda ter ali gente que defende o chavismo, o socialismo farofeiro, a ditadura cubana, o aluguel de médicos (se forem médicos) como mercadorias, não, para o esquerdista chocado "trevas" mesmo são deputados conservadores, eleitos por uma maioria de eleitores conservadores, fazendo o que esta maioria clama já faz tempo.
Funciona assim: quando elege a Dilma, a Jandira, o Jean Wyllys, o Pimentel, entre outros entulhos de esquerda, o povo é sábio. Mas quando dá a entender que num plebiscito votaria maciçamente a favor da redução da maioridade penal e do porte de armas, por exemplo, aí o povo é burro e precisa que essa gente boa o salve de si mesmo.
Daí que se o cidadão quer a redução da maioridade, a esquerda diz que isso é violar a Constituição e usa todas as manobras possíveis para impedir. Mas quando foi para mudar a Constituição e incluir um tal "casamento" gay, aí tudo bem, foi uma violação do bem.
Mas divaguei, o esquerdista chocado não está só no Congresso militando em partidecos inexpressivos ou em partidões corruptos, ele está na sua família, no Facebook, no Twitter, no seu ambiente de trabalho, é uma gente "chocada" com a "onda conservadora" que assola o país.
Se dizem deprimidos, tristes e dispostos até a cortar relações, porque NÃO ADMITEM que os outros falem coisas com as quais eles não concordam. É a democracia do concorde ou cale-se.
Não dá pra ficar por aí defendendo conceitos de família, o impeachment da chefe de um governo corrupto, cadeia para larápios, o fim da máfia sindical, a criminalização do terrorismo do MST, nossa, não dá! Gente, como assim você pode pensar esse tipo de coisa? Diz o esquerdista chocado.
Falaram sozinhos durante 30 anos. Os coitadinhos, os ofendidos, os defensores do bem, os discípulos de Paulo Freire, os celebrantes de missas negras do Lula, os doutrinadores de sala de aula, os filósofos de boteco.
Já não falam mais sozinhos e estão chocados com isso, esses esquerdistas de galinheiro.
Que fiquem tão chocados que comecem a botar ovos. Pelo menos passariam a ter alguma serventia.