terça-feira, 7 de abril de 2015

Da série "as catacumbas de um cérebro baldio"


"Troco a minha liberdade por igualdade" é o tipo de frase que resume perfeitamente não só o idiota útil da esquerda, mas também o que o eterno aspirante a comissário pensa: trocar a liberdade - dos outros, que fique bem claro - por uma igualdade que não existe e nem jamais existirá, porque seres humanos não são iguais.
Tentar transformar um ser tão único, um grupo de indivíduos tão diferentes numa colônia de cupins ou formigas é a essência do coletivismo, algo só defendido estupidamente por amebas e malandramente por carrapatos.
A única diferença é que essa vítima aí teve um ataque de sincericídio. Geralmente eles falam é em "mundo melhor" mesmo.
0 Comentários