sábado, 27 de junho de 2015

O amor venceu?

O ISIS praticando horrores cada vez maiores e publicando vídeos na internet, escolas ensinando crianças a odiar e se dividir desde a mais tenra idade, violência urbana no Brasil assumindo níveis insuportáveis, instituições públicas falidas e desacreditadas, poluição das águas e do ar galopando na irresponsabilidade e na insensibilidade de empresas e governantes, fome e doenças espalhadas pelos grotões do planeta, a instituição família cada vez mais desprezada gerando vícios,comportamentos antissociais, as pessoas cada vez mais violentas umas com as outras por qualquer motivo, a opinião e o debate sobre quase qualquer tema interditados pelo politicamente correto e pelo vitimismo, a crescente condenação do mérito e do esforço individual, o Estado cada vez maior e se metendo no íntimo das pessoas, impostos sugando a produção, grandes centros urbanos caóticos, sujos, desconfortáveis, gerando um mal-estar cada vez mais frequente, a falta de tempo para sequer olhar o azul do céu ou o pôr-do-sol, o homem cada vez mais lobo do homem, mas, claro, a suprema corte dos Estados Unidos resolveu que pode se meter na definição de uma instituição secular, então só por isso o "amor venceu".
Nota-se como o mundo está mesmo muito melhor por causa disso.
Agora pode sequestrar um belo fenômeno da natureza e usá-lo não para comemorar algo, mas como provocação contra aqueles que você considera "atrasados", tal como uma briga de torcida.
Uma geração inventou a penicilina, outra o automóvel, outra o avião, outra a roda, a pólvora, a lâmpada, as leis da física. Essa mudou o conceito de casamento e esfregou na cara dos reaças, sambou na cara da sociedade, mandou um "aceita que dói menos" pros crentelhos.
Einstein e Darwin se reviram de inveja no paraíso. Vocês ainda permitem que se acredite em paraíso, né?
0 Comentários