terça-feira, 2 de junho de 2015

O futebol é mesmo a cara do Brasil

Del Nero fugiu às pressas da Suíça com medo de ser preso. Declarou, entretanto, que veio ao Brasil "esclarecer" o escândalo da FIFA. Ao chegar, disse que não sabia de nada. Esse foi o esclarecimento.
Ricardo Teixeira tem tanta certeza da própria inocência que já colocou até sua mansão em Miami para vender. Sabe como é, nos EUA o sujeito não é "suposto" corrupto até que se ache um vídeo dele nadando numa piscina de dólares com um carimbo "roubado" em cada nota.
O futebol realmente é a cara do Brasil. O Brasil é realmente o país do futebol.
E o futebol, assim como o país, precisa ser menos Brasil, senão vai ser toda hora um 7x1.
Achei sensacional a ameaça da UEFA de sair do circo. Tudo bem que, ao menos aparentemente, era só ameaça, mas pense que legal: FIFA e CBF adoram lembrar a todos que são entidades privadas, no entanto comandam com mão de ferro - e sem concorrência - suas atividades.
Imagina se amanhã a UEFA se retira e, ao invés de Alemanha, Itália, Espanha, França, Inglaterra, a FIFA tem que fazer copa com Tuvalu, Qatar e Vanuatu?
O poder da FIFA, assim como o da CBF, se baseia em puro consenso. Sem aqueles que lhes conferem legitimidade, estas não passam de balcões de negócios e negociatas.
É preciso dizer chega ao consenso. Em nível mundial liderados pela UEFA e em nível nacional pelos grandes clubes, essa é uma boa hora para que todos abandonem esses tanques de piranhas. Deixem o Blatter e o Del Nero com a brocha na mão.
Criem tudo novo, sem vícios. A FIFA, assim como a CBF, é um lixo, acabou, não tem mais moral nem pra abrir uma barraca de camelô.
Sem as principais seleções, o valor da FIFA é menor do que a tintura acaju que os seus diretores passam no cabelo. Sem os clubes, sem jogadores que atendam suas convocações, a CBF é só um saco de gatos gordos.
Vão vender o quê? O clássico Honduras x Fiji? O topete do Ricardo Teixeira?
Pena que essa pode ser uma oportunidade perdida, afinal, cada cartola parece só querer mesmo é tomar o lugar do cretino que vinha antes dele.
De novo: o futebol é mesmo a cara do Brasil. E vice-versa.
P.S.: Enquanto escrevia isso Joseph Blatter renunciou. É grande o risco de que alguma mosca nova entre em seu lugar.
0 Comentários